Tag: são paulo (Page 1 of 10)

Os brasileiros na Libertadores 2016 (parte I – grupo 1).

Nesta série de posts dedicados aos grupos da Taça Libertadores, comentaremos aqui apenas os grupos onde se encontram os cinco times brasileiros, classificados para a edição 2016 do torneio.

Ler mais

Brasileirão: Cruzeiro titubeia mas segue favorito.

Com a data FIFA de amistosos e jogos eliminatórios acontecendo, só o Campeonato Brasileiro não parou no último fim de semana. “Estranhamente”, diversos times que cederam atletas para as seleções acabaram perdendo suas partidas, entre eles o líder do torneio nacional, o Cruzeiro.

Curiosamente, o rival da raposa, o Atlético/MG cedeu Diego Tardelli, autor dos gols da vitória do Brasil por 2×0 sobre a Argentina no último sábado; mas conseguiu vencer o São Paulo (1×0), no domingo.

Ler mais

São Paulo e o complexo de galáctico decadente

Na metade dos anos 2000, o São Paulo Futebol Clube desenvolveu seu último ciclo vitorioso entre 2005 e 2008. Na época o clube foi incensado pela imprensa mas sua então proclamada “modernidade”, não era mais do que um mínimo necessário de organização estabelecida. Na prática o clube era menos pior que a concorrência.

Ler mais

As culpas evidentes e advogados insuspeitos

Acabo de ler, com surpresa, a defesa de Adalberto Batista por Juca Kfouri, via blog do Victor Birner. Surpresa porque se é evidente que Batista não é o centro do descompasso tricolor, a defesa dele, sob qualquer medida, não cai bem. Ainda que respeite o trabalho tanto do veterano Juca quanto do colega Birner, me sinto numa posição diametralmente oposta em relação ao ex-diretor de futebol do São Paulo. Juvenal morrerá sozinho no naufrágio tricolor porque os culpados menores deixarão o barco antes, exatamente como fez Batista.

Ler mais

Por que o São Paulo deve cair

A derrota para um Cruzeiro meia boca levou o São Paulo à um ponto onde uma conclusão é óbvia. Não se trata de torcida, antipatia, simpatia ou previsão de futuro. O time do São Paulo que disputa o Campeonato Brasileiro é, hoje, o candidato mais forte a “grande-que-cai-nesta-temporada”. E há razões para pensar assim. Aliás, sob todos os aspectos. A mídia esportiva certamente usará a “tradição” e a “qualidade” do time para contra-argumentar, mas isso porque não existe jornalista capaz de, em julho, vaticinar a queda de um grande, mesmo que ela esteja assim desenhada, mas o argumento é tão certeiro quanto uma aposta em um cassino. A agonia tricolor será lenta e dolorosa, como foram as de Palmeiras, Corinthians e Grêmio. Somente um milagre pode impedir a consumação do fato. Milagres acontecem, mas como se sabe, são raros.

Ler mais

Há mais entre o céu e a terra do que sonha nossa vã mediocridade

Dois dias depois do assassinato do menino boliviano em Ururo, as redes e a cidade de São Paulo ainda debatem a correção ou não da punição ao Corinthians. A verdade é que o Corinthians não tem que ser punido. Quem precisa ser punido é o Brasil e sua sociedade, assim como a Inglaterra o foi após Heysel. A discussão obscena que varia de lado conforme o clube do opinionista precisa acabar. É hora do país amadurecer também nas suas responsabilidades. Se a Conmebol tivesse um átomo de decência, baniria clubes brasileiros das competições sulamericanas por um período. E aí, talvez, o país parasse para pensar como país e não com um fanatismo torcedor que nos corrói do futebol à política.

Ler mais

O São Paulo e o Frankenstein funcional de Ney Franco

É um time, objetivamente, modesto, o do São Paulo. Para o nível do Brasileiro, é um elenco bom. Mas curioso mesmo foi ver que Ney Franco, treinador igualmente singelo, montou um time interessante, acertando uma defesa que parecia ‘maldita’. Se no papel o time joga com quatro atrás, na verdade, joga com três zagueiros, um lateral que praticamente joga na meia (Cortez) e um ponta que é lateral de origem e aumenta a marcação desde a saída de bola adversária. É um time taticamente não ortodoxo, cheio de improvisações (um zagueiro na lateral-direita, um lateral-direito no ataque, só um volante no meio-campo e todos os atacantes recuando para marcar), mas funciona. Ney Franco montou um Frankenstein que funciona.

Não dá para dizer o que esse time pode virar. Perde Lucas (mas a verdade é que o time não depende dele como o Santos depende de Neymar), mas deve manter a mesma base para 2013.  Um lateral-direito de ofício poderia melhorar o time, mas a verdade é que mexer na tosquidão esforçada de Paulo Miranda pode desandar o bolo. Mas como Ganso precisa entrar no time, é capaz que sobre para ele. A pergunta é: com um defensor a menos o rendimento da defesa continua em 2013?

Reforma do Morumbi é uma versão fracionada do assalto do Itaquerão

Ainda que nada se compare ao assalto sórdido que foi a construção do estádio do Corinthians/Odebrecht com o apoio das três esferas de poder, num mau-caratismo apartidário que prova que no Brasil, defender um partido contra o outro é sintoma de ingenuidade ou pilantragem, é preciso lembrar que o Morumbi também se beneficiará do banditismo político.

Ler mais

Page 1 of 10

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top