Mês: setembro 2009 (Page 2 of 3)

Pagando a conta

Hoje no La Repubblica, o VP do Milan, Adriano Galliani, declarou que está preocupado com a possibilidade da Itália perder uma das quatro vagas na Liga dos Campeões em 2012. Como a quantidade de vagas é definida pelo rendimento dos times de cada país no torneio num espaço de cinco anos (veja o ranking no post anterior), a derrocada dos clubes italianos pós-escândalo do Calciocaos deixou sua marca.

Ler mais

Ranking dos países na Uefa

# country 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 ranking teams
1 England 14.428 16.625 17.875 15.000 4.928 68.856 6/ 7
2 Spain 15.642 19.000 13.875 13.312 5.071 66.900 7/ 7
3 Italy 15.357 11.928 10.250 11.375 4.142 53.052 7/ 7
4 Germany 10.437 9.500 13.500 12.687 4.583 50.707 6/ 6
5 France 10.812 10.000 6.928 11.000 4.166 42.906 5/ 6
6 Russia 10.000 6.625 11.250 9.750 2.000 39.625 2/ 6
7 Ukraine 5.750 6.500 4.875 16.625 3.800 37.550 2/ 5
8 Romania 16.833 11.333 2.600 2.642 3.750 37.158 5/ 6
9 Netherlands 7.583 8.214 5.000 6.333 3.583 30.713 5/ 6
10 Portugal 5.500 8.083 7.928 6.785 2.333 30.629 4/ 6
11 Turkey 4.000 6.100 9.750 7.000 3.200 30.050 3/ 5
12 Switzerland 9.375 4.100 6.250 2.900 4.000 26.625 2/ 4
13 Denmark 3.500 6.125 5.125 8.200 3.000 25.950 1/ 5
14 Greece 3.333 4.666 7.500 6.500 2.900 24.899 3/ 5
15 Scotland 4.250 6.750 10.250 1.875 1.666 24.791 2/ 6
16 Bulgaria 8.750 5.125 2.750 2.250 2.625 21.500 2/ 4
17 Belgium 5.500 4.700 4.500 4.500 2.100 21.300 3/ 5
18 Czech Republic 4.625 5.750 5.125 2.375 2.700 20.575 2/ 5
19 Cyprus 3.000 1.750 2.666 6.333 3.750 17.499 1/ 4
20 Norway 5.400 2.000 5.400 2.500 2.100 17.400 5
21 Israel 1.500 6.000 2.375 1.750 5.500 17.125 2/ 4
22 Slovakia 4.333 2.000 2.166 4.833 2.500 15.832 4
23 Austria 3.250 1.500 3.200 2.250 4.875 15.075 4/ 4
24 Sweden 2.666 1.125 5.400 2.500 2.500 14.191 4
25 Serbia 3.250 2.125 2.625 3.000 2.500 13.500 1/ 4
26 Poland 1.125 2.625 1.666 5.000 2.125 12.541 4
27 Croatia 0.333 1.000 3.666 4.333 2.000 11.332 1/ 4
28 Belarus 1.333 1.000 1.833 4.000 2.125 10.291 1/ 4
29 Ireland 1.833 2.833 1.000 2.500 1.375 9.541 4
30 Finland 2.333 1.333 2.625 1.833 1.375 9.499 4
31 Bosnia-Herzegovina 1.500 1.833 1.833 1.833 1.750 8.749 4
32 Lithuania 1.333 1.833 1.500 2.500 1.250 8.416 4
33 Latvia 1.333 2.166 1.333 1.166 1.750 7.748 1/ 4
34 Slovenia 2.333 1.250 0.666 1.333 1.375 6.957 4
35 Hungary 1.000 1.000 1.000 1.000 2.750 6.750 1/ 4
36 Moldova 1.666 1.500 1.333 0.666 1.375 6.540 1/ 4
37 Georgia 0.666 1.166 1.000 1.166 1.750 5.748 4
38 Azerbaijan 1.333 1.333 0.666 0.666 1.500 5.498 4
39 Iceland 0.833 1.000 1.166 1.166 1.250 5.415 4
40 Macedonia 1.500 1.166 1.666 0.500 0.500 5.332 4
41 Liechtenstein 1.000 2.000 0.500 0.000 1.000 4.500 1
42 Kazakhstan 1.000 0.666 0.750 0.833 1.250 4.499 4
43 Estonia 0.833 1.500 0.833 0.333 0.875 4.374 4
44 Albania 1.000 0.833 0.500 0.666 1.000 3.999 4
45 Armenia 0.666 0.500 1.333 0.000 0.500 2.999 4
46 Wales 0.666 0.666 0.666 0.333 0.250 2.581 4
47 Montenegro 0.000 0.000 0.500 0.500 1.125 2.125 4
48 Faroe Islands 0.666 0.500 0.333 0.333 0.000 1.832 4
49 Northern Ireland 0.500 0.166 0.500 0.333 0.125 1.624 4
50 Luxembourg 0.500 0.166 0.333 0.000 0.250 1.249 4
51 Andorra 0.000 0.000 0.500 0.000 0.500 1.000 2
52 Malta 0.000 0.166 0.000 0.000 0.750 0.916 4
53 San Marino 0.000 0.000 0.250 0.000 0.500 0.750 2

Vienna über alles

Um fato do qual muita gente não deve se ter dado conta (e de fato não é de chamar a atenção) é que na abertura dessa Europa League, dois resultados ocorreram. O primeiro, uma vitória com autoridade do Rapid Vienna sobre o forte Hamburgo (3 a 0) e outro a vitória do Salzburgo sobre a Lazio, em Roma, de virada. Será que significa algo?

Como não sou vidente, não tenho como adivinhar. Contudo, há alguns bons indícios a favor do futebol austríaco. Morto desde a geração dos anos 70/80, quando tinha Prohaska e Pezzey, Krankl, o país não tem um grande jogador desde então. Só que o campeonato vem se organizando, com o Rapid Vienna se resstruturando e o Salzburg investindo pesado, os times locais parecem se mexer – ainda que a seleção esteja longe de qualquer nível aceitável.

E você se lembra de quem o Rapid desclassificou na fase anterior da Europa League? Foi o Aston Villa, para surpresa de todos. Essas duas vitórias dos austríacos sobre Hamburgo e Lazio – esta última  com um gol de um jogador que chama a atenção, o atacante Marc Janko, (39 gols nos 34 jogos da temporada passada e concorreu á Chuteira de Ouro) sugerem que se preste atenção. Viena, que já foi a competidora de Paris pelo título de capital européia da cultura, mereceria.

E se…?

Como de costume, o Dirty Tackle manda bem: hoje, eles publicaram o “minuto a minuto” imaginário de uma prorrogação da partida entre Inter e Barcelona. Abaixo, os “highlights” do texto:

“O esperadíssimo jogo da LC enre Inter e Barcelona, Ibra e Eto’o, Guardiola e Mourinho, acabou num empate chato. Mas o que teria acontecido se tivesse ido adiante?

97′ – Descobre-se que uniforme fluorescente cor de laranja do Barcelona emite altos níveis de radiação quando uma perna nasce na cabeça de Rafa Márquez. Bojan dá risada.

Ler mais

Comentários

Peço desculpas pelo longo hiato de funcionamento dos comentários, mas creio que o problema tenha se resolvido.

Previsão para 2010

Se eu fosse a um vidente, ele me faria previsão. Diria que os quatro times do Rio terão times medíocres em 2010. Contudo, ele diria que depois do primeiro clássico, a imprensa local decantará um deles como candidato a vencer o Brasileiro (alguns falarão até em obrigação). Pedirão o meio-campista e o atacante deste time na Seleção. “Quem pode vencê-lo?”, perguntará uma manchete de jornal. Considerarão que a Copa do Brasil é desse time e ninguém tasca. Daí, passadas as águas de março, virá o Brasileiro e descobrirão que o rei está nu: que os times do Rio não existem.

Ler mais

Porque um treinador é treinador

No primeiro jogo de Fabio Capello como treinador da seleção, em fevereiro do ano passado, um 2 a 1 chorado em cima da Suíça em Wembley, ele foi muito criticado. Ao usar só um atacante – Rooney – e três meias, teve seu esquema comparado às seleções de Eriksson e McClaren. “Eu gostaria de ver a Inglaterra jogando com o “tempo” da Premier League. O time está muito lento”, dizia o ex-atacante Alan Shearer.

Capello naturalmente não se incomodou com as críticas. A Inglaterra vinha de uma desclassificação para a Eurocopa e ele era mais um estrangeiro no comando da seleção, coisa que Shearer, Mark Lawrenson, Alan Hansen e dezenas de outros ex-boleiros – ingleses – abominam.

Com Lampard machucado, o técnico pôde escalar só Gerrard, mas a cobrança inglesa era a de que os dois jogassem juntos – ainda que ninguém soubesse explicar como. E sem um centroavante goleador, entre outras carências, foi fazendo experiências até chegar ao massacre da Croácia na quarta – ironicamente, a mesma Croácia que tirara a Inglaterra da Eurocopa passada.

Ler mais

Ex-jogador e técnico, água e óleo

Numa coluna feita em janeiro, o jornalista Jonathan Wilson, do Guardian, em seu blog, fez uma aposta: “Zico precisará de mais do que simples firulas brasileiras para dar certo como técnico do CSKA. Se ele conseguir, validará os sucessos que conseguiu em outros clubes e tirará de seus críticos os argumentos contra ele; se falhar, ele próprio será um absurdo, assim como a dos dez brasileiros no Arsenal Tula”.

A história do Arsenal Tula é a seguinte: Yevhen Kucharevskyi, técnico de futebol russo, após a queda do regime soviético, contava a história de que a diretoria do Arsenal Tula, pequeno clube russo era obcecada pelo futebol brasileiro e lhe deram um dinheiro para vir ao Brasil e contratar cinco jogadores aqui. Quando voltou a Tula, Kucharevskyi tinha consigo 10 jogadores brasileiros – que acabaram na reserva.

Ler mais

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top