Tag: miranda (Page 1 of 2)

Eliminatórias para Copa: Brasil 2×2 Uruguai – o duelo tático.

Em partida válida pelas Eliminatórias sul-americanas para o Mundial 2018, o Brasil empatou em 2×2 contra o Uruguai, na última sexta-feira. A partida aconteceu em Recife (PE), e de certa forma representou um resultado desastroso, uma vez que a seleção brasileira se vê em terceiro lugar na classificação (8 pontos).

Ler mais

Atlético de Madrid: jogo a jogo, temporada a temporada.

O clube espanhol Atlético de Madrid confirmou nos últimos dias a chegada de três reforços que devem ser titulares da equipe, na temporada 2015/2016. São eles o argentino Vietto (ex-Villarreal), o belga Yannick Ferreira Carrasco (ex-Monaco) e o colombiano Jackson Martínez (ex-FC Porto).

Ler mais

Atlético de Madrid: Miranda e Arda, muchas gracias!

Nesta semana a imprensa espanhola repercutiu o fim de ciclo do zagueiro brasileiro Miranda e do meia turco Arda Turan, no elenco do Atlético de Madrid. O defensor que subitamente se tornou capitão da seleção brasileira eliminada da Copa América, defenderá a Internazionale. Já o destino de Arda deve ser revelado nesta quinta-feira.

Ler mais

Lazio busca alternativas a Miranda

Parecia a crônica de uma morte anunciada: depois dos sucessos nas contratações de Hernanes e André Dias – ambos titulares em Formello – a Lazio agendava a contratação de Miranda para janeiro ou mais tardar, junho, quando vence o contrato do zagueiro com o Tricolor.

Ler mais

Lazio continua com sãopaulino na mira

Há pelo menos um ano que a Lazio tenta contratar o sãopaulino Miranda. Nunca fez uma proposta oficial mas já sondou várias vezes o jogador. Com a chegada de André Dias e Hernanes no clube, a “moral” do brasileiro aumentou ainda mais e segundo um agente italiano, em janeiro, fará uma proposta oficial.

Ler mais

David Luiz, Benfica, Miranda, Gaitán e Di Maria

O Benfica sabe que manter David Luiz e o argentino Di Maria são as duas tarefas mais difíceis para a temporada que vem, tanto que já acertou com Gaitán, do Boca Juniors, por R$25 milhões.

Ler mais

Zenga no Palermo? Não dura até o final do primeiro turno.

O dono do Palermo, Maurizio Zamparini, acabou de dar uma coletiva para anunciar que “roubou” Walter Zenga que estava acertado coma  Lazio. Zenga fez um campeonato decente com o Catania e saiu se achando a última bolacha do pacote.

É um casamento fadado ao fracasso. O Palermo tem um time decente, mas Zamparini se comporta como um Eurico Miranda no melhor estilo, invadindo vestiários, esculhambando jogadores, árbitros e treinadores em entrevistas e querendo escalar o time, mas entende tanto de futebol quanto uma marmota dopada.

Zenga não é mau técnico, mas o time que ele tinha no Catania era mais do que suficiente para conseguir evitar o rebaixamento. Seu mérito no caso foi não fazer nenhuma bobagem. É pouco para quem quer se achar. Sua outra aventura como técnico, em Bucareste, foi pouco além de escândalos com cocaína e casos amorosos com a filha do presidente. No Gaziantepspor, New Wngland Revolution e Al Ain, não deixou marca.

Torcer contra Zamparini, um dirigente mal-educado e que representa o que há de mais atrasado no futebol, que já destruiu o Venezia e que está arrastando a Série A à bancarrota, é sempre um prazer. Neste caso, nem será necessário torcer. Chato é ver um time agradável como o Palermo ficar propstrado.

Leco, esse gênio gerencial

O sujeito quer demitir o técnico tricampeão brasileiro, foi diretor de futebol do pior presidente da história do São Paulo, provoca o Ronaldo antes de uma final e fica questionando jogadores do time. Este é o cartão de visitas de Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, vice-presidente de futebol do São Paulo.

No meio empresarial, alguém com a competência equivalente à do dirigente amargaria o desemprego eterno, a menos que fosse filho de algum milionário ou bem relacionado de uma forma geral. No futebol, contudo, Leco escapa de estar bem ranqueado entre os dirigentes mais medíocres do planeta. Sim. A competição dos colegas é forte. Há toda uma leva de criaturas bizarras do “management” futebolístico. Roberto Horcades, do Fluminense, Alberto Dualibi (RIP, esportivamente falando, claro), Carlos Augusto Montenegro são alguns dos nomes que mantém Leco entre um “péssimo entre os dantescos”. Claro, sem falar no ícone, no épico, lendário destruidor Eurico Miranda, responsável pela devastação completa do Vasco da Gama.

Quando Leonardo disse que só a privatização salvaria o Flamengo, sabia do que falava. E não era só do Fla que Leo falava. A incompetência de Leco – e de todos os seus pares – para o cargo que ocupa é um caso claro de inaptidão crassa e gritante. Como esses dirigentes conseguem esses cargos? Política, relacionamento, berço. Quase nunca (para não dizer nunca) capacidade e mérito.

As estruturas do futebol brasileiro são como as estatais que os Esquerdossauros berravam para não privatizar e que hoje dão lucros recordes consecutivos. Quem fala contra o pedido de Leonardo – a profissionalização do Fla (ou de qualquer outro clube) vive da aspiração similar à dos Esquerdossauros – a de manter a inércia para comer a carniça.

Não existe incompetência nos outros países? Claro que existe. Freddie Shepherd, ex-dono do Newcastle, fez do segundo maior clube da Inglaterra fora de Londres um lutador contra o rebaixamento; na Itália, Luciano Moggi teve a manha de criar um sistema de corrupção para que a Juventus vencesse (como se ela precisasse disso); na Espanha, o Valencia só não quebra por causa do governo. Incapacidade is everywhere. Mas convenhamos, nenhum país tem a glória de ostentar um Leco, um Eurico e um Horcades simultaneamente, tem?

Page 1 of 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top