Preview da temporada: Milan

Investimento: cerca de €25 milhões (contando o pagamento de Ibrahimovic ao Barcelona)
Reforços: Mèxes, Taiwo e Aquilani.
Ausências: Andrea Pirlo – uma ausência a ser sentida.
Técnico: Massimiliano Allegri.
Destaque: Zlatan Ibrahimovic.
Aposta: Stephan El Shaarawy, o “Faraó”.
Ponto fraco: o gol – Abbiati não é ruim, mas não está à altura de um candidato à Liga dos Campeões.
Luta pelo… título italiano e sonha com o Europeu.
Na temporada… que começa esta semana, o Milan tem uma tarefa dura – a de se manter campeão – e uma quase impossível – provar que a Itália ainda tem como competir com os gigantes de outros países. Allegri não só manteve a base como também a lapidou para ficar com os jogadores que precisa para sua concepção de futebol. Esta lapidação teve um preço alto: a saída de Pirlo, certamente o melhor na sua posição no mundo. O técnico quer um meio-campo “cascudo), mas que saiba passar a bola, e isso, certamente o Milan tem – mesmo sem a genialidade de Pirlo. O clube não fez a propalada compra de “Mister X”, um jogador de nível internacional que abalaria o mercado, por conta de uma multa de mais de €500 milhões (não está errado, o valor é esse mesmo) que Berlusconi teve de pagar. Para competir na Itália, um campeonato enfraquecido e decadente estruturalmente, o Milan está bem armado. Para tentar derrubar a concorrência europeia, a história é outra. O jogador mais estroso do time, Ibrahimovic, é um cracaço que tem medo de partidas decisivas, mas para ser o melhor do mundo, terá de superar esse seu limite. No mercado, o Milan foi o melhor, com contratações sensacionais a custo zero (Taiwo e Mèxès) e a preço de ocasião (Aquilani e Nocerino). O craque fenomenal, contudo, não apareceu. O limite do Milan agora está ligado ao reerguimento da Série A. Ou o Calcio se redesenha, ou será cada vez mais uma periferia europeia.

Anteriores

Preview da temporada: Roma

Próximo

Preview da temporada: Napoli

6 Comments

  1. Cassiano Gobbet

    O MIlan titular, sem desfalques, chega às semifinais da LC e vence o Italiano (ou melhor tem condição de fazer isso). O problema é que exceção feita ao meio-campo, não tem reposição e por isso, aposto em quartas-de-finais na LC e vaga na LC seguinte. Cassano não é titular. abs

  2. Cassiano Gobbet

    Nenhum dos citados esteve nem perto do Milan. O Milan não tem condição de comprar um jogador assim, a menos que com o talão de cheques do Berlusconi, que, ultimamente, anda interditado financeira e psicologicamente. É o ocaso de uma era. abs

  3. O Milan praticamente não gastou para se reforçar, e bem. Manteve a equipe e trouxe reforços que aumentam as opções de Allegri.

    Acho que o único problema é se Ibra cair novamente de rendimento como caiu no returno, porque de resto o Milan desponta como favorito ao titulo.

    El Shaarawy na reta final da Série B e nos playoffs deixou uma ótima impressão…

  4. Anônimo

    Os elogios se referem ao Pirlo antigo ou o atual? só se for o antigo Pirlo porque o de hoje foi corretamente vendido. E tbm estou com o amigo aí, acho que esse El Shaarawy pode ser aquele camisa 10 que falta a Italia depois do envelhecimento de Totti e Del Piero.

  5. Anônimo

    Com a chegada de Taiwo, o Milan resolveu em parte um dos seus problemas que era a vulnerabilidade pelas laterais. Agora, o principal problema do time é a criação. O time não tem jogadores de frente rápidos o bastante para jogar com um contra-ataque rápido (seria o ideal para esse time) então cabe ao Milan tomar a iniciativa e tentar criar jogadas, ter a posse de bola. Mas, o único jogador que consegue criar alguma coisa no time titular é Seedorf. Robinho, Pato e Ibrahimovic são todos jogadores terminais e Cassano é um peladeiro.

    O problema fica ainda maior por dois motivos. Porque os jogadores da frente tendem a afunilar muito o jogo e também porque os laterais não apoiam com frequência e qualidade (Taiwo melhora um pouco esse cenário, em tese…). Contra Chievo’s e Bari’s a qualidade individual dos atacantes decidiu na última temporada, mas é difícil imaginar que qualidade individual sozinha resolva contra um Man Utd ou um Real Madrid, por exemplo.

  6. Anônimo

    O elenco, apesar de ter melhorado em relação ao da temporada passada, ainda carece de alguém com um peso maior. Um jogador do porte de um Fàbregas ou Schweinsteiger, por exemplo. Mas, na falta de gente desse calibre, melhor apostar em gente como Aquilani e Nocerino do que investir € 35 milhões para tirar Hamsik do Napoli.

    O jogador da equipe partnopea, com todo respeito, não vale a metade desse valor.

    E tenho grande curiosidade para ver como será a temporada do Faraó. Quando esteve em campo, mostrou coisas interessantíssimas no Padova.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top