Tag: craque

91, o número do gênio

Para a alegria de santistas e madridistas, o ano acabou e Messi não poderá fazer mais nenhum gol. Mas foram 91, um número que remete ao futebol de outras épocas, de um tempo em que a ausência da TV amplificava os mitos e criou lendas que ninguém viu, como Friedenreich ou que todo mundo diz que viu, como o gol de placa ou o gol da Javari, ambos de Pelé.

Ler mais

seleção com “s” minúsculo e o Ronaldo de Vichy

Esperei para escrever este post depois dos dois jogos da Seleção para poder fazer um apanhado mais completo, incluindo sobre a capacidade brasileira e da CBF de organizar partidas de seleções.

Ler mais

Craque boçal

Depois de ver esse vídeo, sinceramente comecei a achar que o Ibrahimovic, além de babaca, também é um cara com problemas psicológicos ou psiquiátricos sérios.

Ler mais

Candidato a craque

Ele começou num dos maiores clubes do mundo, o Bayern de Munique. Daí, por conta daquelas coisas que ninguém sabe explicar, foi “desovado” para o Borussia Dortmund onde se firmou, chegou à seleção alemã e brilhou na Copa do Mundo contra a Inglaterra [N. do B: na verdade, Hummels não foi à Copa quando a Alemanha jogou. Mancada deste blogueiro apontada pelo leitor Rafael].

Ler mais

Indicações de craque do Brasileiro – comentadas

Goleiro: Bruno (Flamengo), Marcos (Palmeiras), Victor (Grêmio)
Ok. Indicações justas.

Lateral-direito: Jonathan (Cruzeiro), Léo Moura (Flamengo), Vítor (Goiás)
Deveria ter a categoria “nenhum”, embora o goiano tenha sido o melhor dos três.

Zagueiro pela direita: André Dias (São Paulo), Chicão (Corinthians), Danilo (Palmeiras)
Chicão? Chicão? Chicão?????????

Zagueiro pela esquerda: Miranda (São Paulo), Réver (Grêmio), Ronaldo Angelim (Flamengo)
Se o Ronaldo Angelim jogasse exatamente a mesma coisa no Botafogo não ganhava nem para síndico do prédio (embora faça um campeonato correto).

Lateral-esquerdo: Armero (Palmeiras), Júlio César (Goiás), Kléber (Internacional)
Kléber é brincadeira. Muita brincadeira. É quase um programa infantil de tanta brincadeira. Provavelmente o jogador mais “overrated” do Brasil

Volante pela direita: Hernanes (São Paulo), Pierre (Palmeiras), Willians (Flamengo)
Boa seleção, embora a irregularidade do Hernanes pudesse questionar sua presença, uma vez que a avaliação é do campeonato como um todo. O Willians é mesmo o sustentáculo do Flamengo, embora seja visto só como um cabeça-de-bagre.

Volante pela esquerda: Guiñazu (Internacional), Maldonado (Flamengo), Sandro (Internacional)
Guiñazu, não né? Pelo amor de Deus…logo vão dizer que ele é um Essien melhorado e que o Corinthians vai contratar.

Meia-direita: Cleiton Xavier (Palmeiras), Diego Souza (Palmeiras), Souza (Grêmio)
Justo, mas se o cara joga bem só um pedaço do torneio, não é justo favorecer o outro (no caso, o Souza)? O Souza é mediano, mas no Grêmio, é muito regular. E falta o Giuliano.

Meia-esquerda: Conca (Fluminense), Marcelinho Paraíba (Coritiba), Petkovic (Flamengo)
Mesma questão anterior: Conca e Marcelinho jogaram bem o torneio todo, Petkovic, não.

Primeiro atacante: Diego Tardelli (Atlético-MG), Fernandinho (Barueri), Fred (Fluminense)
Justo. Muito, mesmo com Fred jogando meio torneio.

Segundo atacante: Adriano (Flamengo), Iarley (Goiás), Ronaldo (Corinthians)
Ronaldo? Mas por que? Não é prêmio de melhor do Cameponato Brasileiro? Ou vale Estadual e Copa do Brasil? E ademais, não caberia o Zé Roberto?

Treinador: Andrade (Flamengo), Celso Roth (Atlético-MG), Silas (Avaí)
Justíssimo.

Revelação: Fernandinho (Barueri), Giuliano (Internacional), Paulo Henrique (Santos)
Igualmente justo.

Árbitro: Héber Roberto Lopes, Leonardo Gaciba, Paulo César Oliveira
Falta meu preferido, o “nenhum”.

Craque da galera: Conca (Fluminense), Hernanes (São Paulo), Petkovic (Flamengo)
Olha, da galera, da galera mesmo, é o Petkovic, sem sombra de dúvida (não é crítica nem elogio, ok?)



Seleção do colunista:

Bruno (Flamengo), Vítor (Goiás), André Dias (SPFC), Réver (Grêmio) e Júlio César (Goiás); Hernanes (SP), Sandro (Inter), Giuliano (Inter) e Conca (Fluminense); Diego Tardelli (Galo) e Adriano (Flamengo).
PS: Fernandinho tinha ido por engano na seleção.

Técnico: Silas

Revelação: Giuliano (Inter)

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top