Ainda sobre a novela do doping na Itália

Após vários e vários interrogatórios, algumas ações mais incisivas foram realizadas. Por exemplo: o elenco da Lazio foi submetido a um exame anti-doping de surpresa. Já com a Juventus de Turim, vários documentos foram arrestados contra a vontade do clube, para apurar uma eventual conivência do clube com o doping de alguns atletas.
O que começou a se discutir foi o doping que não pode ser detectado em exames após as partidas. O “doping habitual”, que por exemplo aumenta a massa muscular dos atletas é que deve sofrer mais marcação cerrada a partir de agora. De qualquer maneira, parece que a primeira vista, não devem ocorrer punições , já que nenhum doping foi provado. Mas na Itália, que não tem um tribunal sob o controle da federação, e sim sob a tutela de uma entidade independente, provavelmente o doping será duramente combatido neste campeonato, com o apoio da maioria de seus participantes.

Dino Zoff iniciou sua fase à frente da seleção Italiana. O goleiro, um dos principais responsáveis pela conquista do último título mundial da Itália vai Ter a dura missão de devolver o orgulho à “Azzurra”, que tem visto fracassos retumbantes em suas competições internacionais.
Em seu processo de renovação, Zoff deixou de convocar alguns titulares absolutos do time de seu antecessor, Cesare Maldini. Costacurta, Pagliuca e Paolo Maldini são as ausências mais sentidas na lista dos convocados para o amistoso contra o País de Gales. Paolo, o lateral do Milan e filho do ex-técnico, ainda deve ser convocado (ficou de fora por um problema intestinal. Já Costacurta e Pagluica podem ter dado adeus à camisa azul da esquadra peninsular. Costacurta reclamou de sua ausência, mas Pagliuca bateu duro: “Não é justo, ainda mais após o Mundial que eu fiz. Mais do que a desilusão, fica a raiva…”
Quanto à convocação, Zoff foi privado de nomes certos no seu time, como Ferrara (zagueiro da Juventus), Nesta (Lazio) e o já citado Maldini. Outros que foram limados da seleção são Moriero, Di Matteo, Di Livio e Cois.
Os goleiros serão os já conhecidos Peruzzi e Buffon; a zaga também tem muitas opções , com destaque para a primeira convocação de Iuliano (substituto de Ferrara na Juve) e para o companehiro de Juninho no Atl[etico Madrid, Michele Serena.
No meio, as duas novidades são da Udinese, provando que o time friuliano é bem consistente. Bachini e Giannicheda fizeram um excelente campeonato italiano e têm chances de se fixarem. Falando em Udinese, o time alvinegro poderia ter tido mais um convocado, o bom atacante Locatelli. Só não teve porque a disputa na frente é árdua. Os quatro escolhidos são os esperados: Inzaghi, Del Piero, Roberto Baggio e Vieri, e os titulares devem ser provavelmente Del Piero e Vieri. Mas se Zoff ouvir a voz da Itália, escalará também Roberto Baggio.
Provavelmente a Itália, como o Brasil (assim espero), começou a se livrar dos trastes na seleção.

No Milan, o fim de uma novela que se arrasta por quase seis meses. Finalmente Patrick Kluivert foi vendido para o Barcelona, por cerca de US$ 17 milhões. Kluivert, que teve uma temporada sofrível no ano passado, brigou com os dirigentes milanistas, e já tinha jurado não pisar mais em Milão. O paciente novo treinador Zaccheroni gastou muita saliva para convencê-lo a ficar, imaginando formar um ataque Weah-Bierhoff-Kluivert. Patrick aceitou, mas as idéias de Zaccheroni foram por água abaixo com os amistosos de pré-temporada. Kluivert teria de disputar com Bierhoff o lugar no time, já que tem uma característica de finalização, e não de sair fora da área para assistir a seus colegas. E como o alemão é muito mais eficiente, Zaccheroni autorizou a venda.
Para o clube foi um bom negócio, pois vendeu por quase o dobro do que pagou ao Ajax no ano passado, e para Kluivert também, pois vai para o campeonato espanhol, que tem as piores defesas da Europa. O clube ‘rossonero’agora vai tentar comprar o russo Shevcenko, do Dinamo Kiev, dando a impressão de que Zaccheroni não vê em Ganz, o melhor nome para jogar com Weah e Bierhoff

A Lazio provou que não está para brincadeiras: depois de Salas, De La Peña, Sérgio Conceição e Mihajlovic, o clube romano compra agora o atacante Christian Vieri, por US$ 28 milhões, junto ao Atlético de Madrid. Os gastos do time de Sérgio Cragnotti já gastou quase US$ 100 milhões para esta temporada, e agora supre a última possível lacuna em seu elenco. Vieri é o homem de presença na área que faltava para o treinador Eriksson, pois Boksic ainda se recupera de contusão.

A contratação de Vieri já mete medo até na poderosíssima Juventus. Del Piero , o ‘star’ do time piemontês declarou : “achava que ele viesse para cá, e não para a Lazio”. E o treinador Lippi: ”Não é possível que ele tenha ido para um time já tão forte”. Lippi tem razão. A Lazio é favoritíssima!

Pano para manga com Zeman e Juve

Ainda  estão dando (e vão dar muito mais) pano pra manga as acusações do treinador da Roma, Zdenek Zeman, sobre doping no campeonato Italiano. Os depoimentos já começaram, e Zeman e Del Piero deram suas versões. Até agora, nenhuma surpresa, já que Alex Del Piero negou as acusações, e disse que no máximo tomava aminoácidos prescritos pelo clube. Surgiram em meio às investigações os nomes de Dino Baggio e Enrico Chiesa, mas ainda não como suspeitos.

A Inter enfrentou pelas eliminatórias da Champions League o Skonto Riga, da Letônia, na casa do visitante. O time báltico tomou um passeio de 4 x 0 da ‘nerazzurra’ mas principalmente viu uma soberba apresentação de Roberto Baggio. O italiano simplesmente deu a assistência para três dos quatro gols (Zamorano, Simeone e o jovem ‘neoaquisto’ Nicola Ventola), e ainda fez o seu. Milão se rende definitivamente ao craque. E muito provavelmente, deverá fazer com Ronaldo, a dupla de ataque mais arrasadora dos últimos anos na Internazionale. Tomara!

Outro jogador que vem se apresentando bem na pré-temporada é Oliver Bierhoff, do Milan, e vindo da Udinese. O tedesco de 30 anos deve finalmente encerrar a inconsistência dos últimos ataques da equipe, favorecido pelo esquema 3-4-3 do treinador Zaccheroni, que deu muito certo no ano passado no time de Udine.

A Lazio, um dos times que melhor se reforçou, está mostrando que tem uma boa temporada pela frente. No entanto, luta para recuperar o avante Boksic de uma contusão no tornozelo que já o tirou da Copa do Mundo. Sem ele, apesar de um meio-campo consistente, falta incisividade. Questiona-se a venda de Casiraghi, mas eu discordo. Não se sentirá a falta do burocrático atacante, agora enturmado no londrino Chelsea.

Por falar no Chelsea, o clube de Stamford Bridge se transformou em um nicho penisular na capital inglesa. O clube que já tinha o treinador-jogador Gianluca Vialli e os meias Roberto Di Matteo e Gianfranco Zola, trouxe Marco Branca (ex-Inter) e Stefano Casiraghi (ex-Lazio)

Estrangeiros na Itália

Estrangeiros

O assunto que muito se comenta na Itália (e não apenas lá) é sobre as conseqüências que a presença maciça de estrangeiros tem feito  no futebol europeu. Pode parecer uma posição preconceituosa, mas os argumentos dos que vêem na Lei Bosman um mal para o futebol são bem fortes.

Quem levantou a bola do assunto na Itália foi o presidente do Comitê Olímpico. Argumentava que, dado o grande número de estrangeiros, os jovens italianos  que poderiam aflorar como bons jogadores ficam restritos às equipes menores,  e em muitos casos, acabam nem levando a carreira à frente.

Cita como exemplo dois nomes. Um é o companheiro de Ronaldo na Internazionale, Moriero. O italiano surgiu com força apenas no ano passado, e acabou indo à Copa. Francesco Moriero tem hoje 29 anos, e dificilmente disputará outra Copa.
Outro nome é o de Carmine Esposito. O jogador do Empoli foi considerado a revelação italiana da temporada passada, já que nunca tinha-se prestado atenção nele, pois não fez parte de seleções juvenis, a exemplo de Totti, da Roma ou Cannavaro, do Parma. Ou seja: a revelação do campeonato tem…28 anos! Nada adolescente.
Sem nenhum tipo de racismo, ou outra coisa que possa dar aos ‘fornecedores’ de jogadores, uma conotação negativa. Mas o futebol europeu está definhando. Jogadores vindos das colônias e de países mais pobres estão cada vez mais comuns, e a revelações escasseiam, ferrando com as seleções.
Basta ver a seleção alemã. O treinador Vogts simplesmente não teve opção se não chamar jogadores mais velhos como Klinsmann e Matthäus, longe de suas melhores formas. Na Espanha então…jogadores como Alkorta e Etxeberria não seriam titulares no nosso Santos ou no Guarani (com todo o respeito, duas equipes que estão longe de Ter um elenco estelar).
Começa a se imaginar na Itália uma forma de se limitar por algum outro meio o número de estrangeiros. Equipes tradicionais como Milan e Inter tem um terço do elenco vindo de fora do país. Os meninos da península não se estimulam a jogar bola, sabedores das dificuldades que enfrentarão para viverem como jogadores. E assim, nós ficamos sem os nossos craques aqui, e eles ficam sem seleção lá. Realmente não está bom pra ninguém. Aguardem mudanças nos próximos anos. É ver para crer.

O Milan entrou em acordo com Kluivert e vai ficar com o holandês por esta temporada. Não é tarefa fácil, mas se o treinador Zaccheroni conseguir por os pingos nos is e montar um ataque com Bierhoff, Weah e Kluivert, sai de baixo…

Ronaldinho ligou para para patrão e afirmou que está louco para voltar a treinar. Sem trimiliques.

Bologna quase na Copa UEFA. Venceu a Samp em casa, com um golaço do defensor Paramatti,

Esta semana teremos mais o perfil de quatro outras equipes: Parma, Sampdoria, Vicenza e Bologna. E o da Inter ficará disponível até o fim da temporada, para você dispor . Um abraço!

Devagar e Sempre

Como esta semana não houve rodada nos campeonatos europeus, em decorrência das eliminatórias da Eurocopa, todas as atenções da Itália ficaram sobre a “azzurra”. E Dino Zoff, o treinador da Itália deve estar se regozijando. Afinal, mesmo que não tenha apresentado um futebol maravilhoso, o ‘allenatore’ conseguiu duas vitórias consecutivas e colocou a gloriosa “azzurra” na liderança de seu grupo das eliminatórias da Eurocopa. Uma vitória contra a modesta seleção de Gales, uma outra, mais significativa, contra a competente equipe da Suiça.

As dúvidas sobre o time italiano estavam principalmente no ataque. Christian Vieri, o rebelde atacante (leia abaixo) se contundiu no joelho, estava fora. Del Piero ainda não tinha mostrado toda a sua categoria. Teve um início de temporada conturbado pelas denúncias de que teria se dopado. Como se apresentaria o ataque da Itália, com a dupla da Juventus Del Piero – Inzaghi ? Molto bene, Grazie.

Del Piero fez dois gols, um em cada tempo e confirmou que é um dos titulares da Itália, sem contestações. Municiado por um meio – campo extremamente consistente (Fuser, Baggio, Albertini e Di Francesco), o ataque fez o suficiente para arrecadar importantes pontos.

Na minha opinião, os homens de criação italianos são ótimos, mas creio que Zoff é um pouco prudente demais. Falta um jogador mais leve que vá um pouco mais à frente, mas nada que possa comprometer. Fosse eu, escalaria Roberto Baggio como terceiro atacante, e encarregado de armar jogadas, tal a clarividência que tem.

E a defesa, como é tradicional na Itália, fortíssima. Desta vez, Pannucci, Cannavaro, Torriccelli e Maldini não deram chances ao ataque helvético. E pelo que tem jogado, acredito na volta de Costacurta em breve. E quando se recuperarem, Nesta e Ferrara são nomes certos. Sem nada para se preocupar quanto a este setor. Vaga certa na Eurocopa.

O Doping, ainda dando o que falar

Um verdadeiro carnaval o que acontece na Itália. Parece que as acusações não acabam mais. Nesta semana, o destaque ficou por conta do fechamento do laboratório Acquacetosa, que fazia os exames antidoping na Itália. E além disso, o atacante Del Piero confirmou que está processando o treinador Zeman.

Mas o que parece realmente grande é uma greve, ainda em estágio embrionário. Acredite se quiser, mas os jogadores ameaçaram paralisar o campeonato indefinidamente, caso não haja mudanças na conduta das investigações. Os atletas se queixam de que seus nomes estão sendo envolvidos nas manchetes sem que hajam acusações, e isso é verdade. Mas não sei porque, tenho a impressão de que muitos medalhões surpreenderão com envolvimento com doping. É ver para crer.

Vieri, Rebeldia a toda prova.

Ao contrário do que sua carinha de anjo possa sugerir, Vieri não é um exemplo de profissionalismo. Que o moço joga muito, não há dúvidas. Mas que ele deixa um rastro de controvérsias, também é ponto pacífico.

Vieri, de apenas 24 anos já passou por nada mais nada menos do que nove clubes em sua carreira. E a sua última transferência, do Atlético Madrid para a Lazio ao que parece, se deveu mais “ao orgulho do que ao dinheiro”, segundo o jornalista Keir Radnedge, da revista World Soccer.

O atacante peninsular brigou com o treinador do Atlético Madrid no ano passado, Radomir Antic (aliás, Juninho também brigou), e neste ano andou se desentendendo com torcedores madrilenhos. E dizem as más línguas que o italiano teria perdido o interesse no futebol espanhol. Não pelas dificuldades, mas por ter se enrolado com uma beldade italiana. O dono do clube, Jesus Gil estaria de saco cheio do italiano, e teria aproveitado a oportunidade da oferta da Lazio.

Christian Vieri ainda não marcou neste campeonato, e está ameaçado de sofrer até mesmo uma cirurgia no joelho. Poderíamos dizer que o atleta é uma versão civilizada de Edmundo. Mas absolutamente inofensivo fora do campo, já que não quebra câmeras (aliás até odeia dar entrevistas), não bate carros, e nada de incivilizado. E não treme em decisões. Pelo menos não tremeu até agora

Simeone, voltando para a Espanha

De última hora, uma notícia que pode alterar alguns rumos. O meio – campista argentino Simeone, hoje na Internazionale de Milão, declarou que gostaria de voltar ao seu antigo clube, o Atlético Madrid. E conhecendo o ardor dos torcedores interistas, é provável que ainda em Dezembro o botineiro argentino volte ao fácil campeonato ibérico.