Na última quinta-feira o treinador Didier Deschamps convocou os atletas da seleção da França, que vão atuar nesta data FIFA de jogos amistosos prestes a se iniciar. A França enfrentará a Colômbia nesta sexta-feira e a Rússia no dia 27 de março.

É possível afirmar que Deschamps tem um grupo fechado. Por outro lado, o técnico precisou lidar com lesões que afligiram seus jogadores de ataque, nesta reta final de preparação para o Mundial 2018. O detalhe sintomático foi a inclusão do atacante Wissam Ben Yedder.

Estreante na seleção bleu Ben Yedder foi destaque do espanhol Sevilla, ao eliminar o Manchester United das oitavas de final da Champions League. Na última terça-feira, Ben Yedder entrou no decorrer da partida e anotou os dois gols andaluzes na vitória por 2×1 sobre o United, em pleno Old Trafford (Manchester/Inglaterra).

Confira todos os convocados

Os problemas preocupantes afetaram o meia-atacante Kingsley Coman (FC Bayern) e os atacantes Alexandre Lacazette (Arsenal) e Nabil Fekir (Lyon). Coman foi submetido a intervenção cirúrgica no tornozelo, ao passo que a dupla Lacazette/Fekir se recupera de artroscopias.

Diferente do que aconteceu antes da EURO 2016, Deschamps está tendo problemas no setor ofensivo. Naquela ocasião há quase dois anos, o treinador precisou sanar às pressas, problemas que afetaram laterais e miolo de zaga.

70 a 80% do time definido

Para todos os efeitos Deschamps possui sim um time titular. O capitão Hugo Lloris é o goleiro. O miolo de zaga invariavelmente trará o trio Varane/Umititi/Koscielny, com Kimpembe (PSG) sobressalente. A novidade nesta convocação foi o jovem defensor Lucas Hernández do Atlético Madrid.

A dúvida de Deschamps fica para as laterais onde Digne (PSG) e Sidibé (Monaco) parecem garantidos. Uma lesão grave levou Benjamin Mendy (Manchester City), valendo ressaltar que a França encerrou 2017 usando os laterais do Monaco campeão francês 16/17, o que incluía Sidibé junto a Mendy, ex-Monaco.

No meio-campo o quarteto Kanté/Pogba/Tolisso/Matuidi só não estará na Rússia caso lesões indesejáveis surjam. No momento Lemar (Monaco) e Rabiot (PSG) estão convocados. Thomas Lemar é uma opção ofensiva cujas características fazem-no similar a Dimitri Payet (Olympique Marselha), não convocado desta vez.

Lemar/Payet ganham preponderância sem a presença de Coman. Por outro lado, Adrién Rabiot pode perder a vaga para Moussa Sissoko (Tottenham). Deschamps já afirmou publicamente que Sissoko continua “no radar”, tendo enaltecido suas características voluntaristas.

O meia do Tottenham foi comparado pelo treinador a um “soldado”, além de ter feito parte do elenco francês na EURO 2016.

O ataque

A dupla Giroud/Griezmann é intocável para Deschamps. O bom condicionamento físico na véspera da convocação final determinará as chances dos outros jogadores de ataque. Ousmane Dembélé retornou a campo pelo Barcelona, após lesão sofrida no fim de 2017.

Na reta final do ano passado Dembélé parecia à frente de M’bappé por uma vaga. O jovem atacante do PSG está na convocação bem como Florian Thauvin (Olympique Marselha). Ambos tem números bastante similares na temporada, por seus respectivos clubes. M’bappé tem 38 jogos, 19 gols e 14 assistências. Thauvin tem 43 jogos, 18 gols, 16 assistências.

Anthony Martial (Manchester United) reapareceu sendo que a princípio, Fekir parecia muito mais a frente do que o atacante dos red devils. Por fim, Ben Yedder não tem números ruins na temporada pelo Sevilla. São 35 jogos, 19 gols e 4 assistências. Ben Yedder é o que tem mais características de jogador de área.

França e Colômbia jogam nesta sexta-feira às 17 hr (horário de Brasília).

Imagem de Deschamps: AFP