“Resiliência” é um termo da moda, que pode significar o ímpeto de um sujeito perante adversidades. O técnico José Mourinho pode ser acusado de muitos pecados, porém definitivamente não pode ser chamado de covarde. Completando os primeiros seis meses à frente do inglês Manchester United, Mourinho já convive com expectativas de extensão contratual.

Nos últimos dias a imprensa inglesa enfatizou que a direção do United já estaria viabilizando uma extensão contratual, a ser oferecida a Mourinho, prolongando os três anos previstos inicialmente. Uma prova de que o trabalho de Mou junto aos red devils tem se enquadrado dentro do esperado, apesar de dificuldades com as quais o treinador lusitano vem lidando.

Segundo o Guardian a família Glazer gestora do clube vermelho, também se mostra de acordo com a permanência do treinador, por um tempo além do previsto por seu contrato assinado no início do último verão europeu. O panorama sinaliza uma aceitação positiva da proposta imposta a Mourinho e cujo o intento, é o de fazer o United jogar de forma diferenciada.

Recentemente Mourinho expressou este ponto à imprensa, afirmando que um título da Premier League não é exatamente um objetivo nesta primeira temporada. Modernizar a forma da equipe atuar era o ponto primordial, priorizando um jogo vertical com as linhas avançando entre as linhas adversárias, ao invés de jogadas ofensivas pelas extremidades do campo.

Nesta última quarta-feira, o Guardian ressaltou palavras do português que afirmou à Sky Sports, ser ainda muito jovem para aceitar propostas do futebol chinês, mesmo que estas possam ser milionárias. Mourinho atualmente tem 53 anos e disse que se a direção do United lhe oferecer algo, ele aceitará. Mais além, o lusitano expressou que seu desejo é trabalhar no futebol “mais difícil do mundo”.

Red devil’s winter

A Premier League se vê em momento de pausa até a próxima segunda-feira, 26/12, quando haverá a rodada do boxing day. O futebol inglês não dispõe de pausa prolongada de inverno nas primeiras semanas de janeiro, tal qual as outras ligas nacionais europeias.

Na primeira semana de janeiro ocorrerão as semifinais da Capital One Cup (copa da liga) e jogos da FA Cup (Copa da Inglaterra). Nesta reta final do ano, o United elenca 10 partidas sem derrotas, contabilizando três vitórias consecutivas nas últimas três rodadas da Premier League.

A posição na tabela ainda é ruim (sexta colocação, 30 pontos), mas em campo a equipe sim, revela um momento ascendente. O time está classificado para as semifinais da copa da liga e ainda estreará na FA Cup. A imprensa nutre expectativas no que diz respeito ao mercado de atletas do United, uma vez que a janela de transferências de inverno está prestes a se abrir.

O plantel

A imprensa inglesa segue afirmando que Mourinho tem interesse no zagueiro português José Fonte (Southampton). Há ainda uma ênfase no nome do zagueiro sueco Victor Lindelof (Benfica). Chris Smalling se recupera de lesão e Eric Bailly recuperado de problemas físicos antes do previsto, deve desfalcar a equipe agora em janeiro. Bailly servirá a seleção da Costa do Marfim na Copa das Nações Africanas.

Por outro lado, a defesa construída por Mourinho mediante adversidades nos últimos dois meses inspira alguma admiração. Um lateral-esquerdo medíocre, Marcos Rojo se transformou num bom quarto zagueiro em tempo recorde. Matteo Darmian era um lateral-direito dispensável no início da temporada, firmando-se como lateral-esquerdo. O retorno de Phil Jones na zaga central consolidou a linha defensiva.

O respeitado jornalista Jonathan Wilson observou estes detalhes, que condicionados ao “canto do cisne” de Michael Carrick, fixado à cabeça de área, resultou na constituição de um sistema defensivo minimamente confiável. Wilson por outro lado ressalta de forma exageradamente pessimista, o fato do United depender de dois atletas de 35 anos, Carrick e Zlatan Ibrahimović.

O estilo de Carrick, volante voluntarioso aliando força física e técnica defensiva apurada, é um estilo em desuso no futebol atual. Seus contemporâneos similares como Xabi Alonso (FC Bayern), Nigel De Jong (Galatasaray) ou Javier Mascherano (Barcelona), também atravessam seus ocasos. A equipe atuou por 12 partidas com Carrick enquanto titular (elencando-se todas as competições disputadas), venceu 11 e empatou 2.

Ibrahimović por sua vez é o ponto fora da curva. Se Cristiano Ronaldo não tivesse deixado o United em 2009, muito provavelmente ele estaria jogando pelo clube de Old Trafford em alto nível, aos 31 anos. Opções de atletas fora de série para o ataque, também se veem escassas devido aos valores inflacionados.

Neste momento, Ibrah contabiliza 3 gols nas duas últimas partidas jogadas pela Premier League. Acumula 16 gols se somados os torneios pelo qual entrou em campo com a camisa do United desde o início da temporada, sendo o artilheiro da equipe. Apenas CR7 obteve número similar em período similar, na temporada 2007/2008.

Aquisições incoerentes?

Mais além, Wilson também se mostra atento para com a movimentação a ser feita pelo United, quando a janela de transferências se abrir. O jornalista ressalta o valor gasto pelo United em transferências nos últimos três anos, valores estes em sua perspectiva, gastos “sem muita coerência”.

Os contestados Rojo e Darmian custaram juntos 28 milhões de libras, mas parecem estar dando retorno. Rojo, Darmian, Daley Blind e Luke Shaw foram adquiridos nos últimos dois anos pelo ex-treinador Louis Van Gaal, que não parecia tão incoerente assim, preocupado em renovar as peças de defesa do plantel.

Mais além, a equipe dispendeu altas quantias em dois espanhóis em 2013. Ander Herrera (volante) custou 24 milhões de Libras, e contabiliza 21 partidas disputadas na atual temporada. Juan Mata (meia-ofensivo) custou 46 milhões de Euros, ostentando 18 partidas e 5 gols na atual temporada. Não parece um custo benefício tão ruim.

Mourinho tem explorado o melhor das peças que o United pagou caro nas temporadas anteriores à sua chegada. Voltando ao que o treinador disse à Sky Sports, Mourinho afirmou que sente-se em débito para com alguns atacantes e meia-atacantes, que atuam pelos lados do campo.

Devido ao excesso de peças para este setor, alguns destes “wingers” não tiveram os minutos merecidos. Mourinho afirmou que gostaria ter dado mais oportunidades para Ashley Young e Memphis Depay.

O Manchester United volta a campo na segunda-feira 26/12, recebendo o Sunderland em Old Trafford (Manchester/Inglaterra).

Imagem de Mourinho: Reuters