Seguimos com a apresentação dos seis grupos da EURO 2016, que começará a ser disputada na França, no próximo dia 10 de junho.

As seleções se dividem em seis grupos elencando quatro times em cada. As duas melhores colocadas de cada grupo, mais os quatro melhores terceiro colocados dentre todos os seis grupos, avançarão para o mata-mata.

A fase eliminatória se desenvolve em oitavas de final, quartas de final, semi-finais e final. A competição voltou a ter a fase de oitavas de final. A fórmula da EURO não inclui disputa de terceiro e quarto lugar. Confira agora o grupo C.

Grupo C: Alemanha, Ucrânia, Polônia, Irlanda do Norte.

Alemanha
Melhor colocação: campeã em 1972, 1980 e 1996.
Treinador: Joachim Löw
Provável time-base: Neuer, Boateng, Höwedes, Hummels e Mustafi. Khedira, Schweinsteiger, Kroos e Özil. Müller e Gomez.

Após a conquista do Mundial 2014, o treinador alemão Joachim Löw deu todos os sinais de que iniciaria um processo de renovação da seleção da Alemanha. Testou novos atletas disponíveis nas mais diversas posições, e sinalizou que o ciclo de alguns tetracampeões iria se encerrar.

Porém, os principais jogadores da Alemanha para a EURO 2016, seguem os mesmos do Mundial, num elenco não muito diferente daquele que representou no Nationalelf, na EURO 2012. Na última edição, os alemães já detendo forte favoritismo, foram eliminados de forma surpreendente pela Itália, nas semi-finais.

Mario Gómez de volta à seleção alemã (Imagem: Patrick Hertzog/AFP)

Mario Gómez de volta à seleção alemã (Imagem: Patrick Hertzog/AFP)

Dentre os nomes ascendentes pós-Mundial 2014, ficaram de fora o volante Ilkay Gündogän (Manchester City/Inglaterra), e o atacante Marco Reus (Borussia Dortmund/Alemanha). Ambos lesionados. Para vaga de Gündogän ressurgiu o ídolo Bastian Schweinsteiger, que não fez grande temporada pelo Manchester United (Inglaterra).

Também volante, Sami Khedira fez temporada regular pela campeã italiana Juventus, voltando a ter preponderância no grupo alemão. No setor ofensivo, Reus teve mais uma vez a má sorte de se lesionar semanas antes da convocação para EURO. O atacante foi cortado nos últimos amistosos pré-Mundial 2014, por lesão.

Sem Reus, Löw reabilitou Lukas Podolski (Galatasaray/Turquia) e deu chance para Mario Gómez (Besiktas/Turquia), na vaga de atacante de área. Vale ressaltar que Gómez foi titular do Nationalelf durante a EURO 2012, ficando de fora do time que disputou a copa no Brasil.

Ex-FC Bayern, Gómez foi artilheiro da última Süper Lig turca (26 gols), tendo sido um atleta importantíssimo para o Besiktas vencer o campeonato turco. Fica alguma expectativa pela utilização do promissor meia Julian Draxler (Wolfsburg/Alemanha), de apenas 22 anos. Os tetracampeões Miroslav Klose e Phillip Lahm estão definitivamente aposentados da seleção.

Tri-campeão da EURO, o Nationalelf alemão entrará no torneio com um time confiável e sim, favorito ao título.

Ucrânia
Melhor colocação: décimo terceiro lugar em 2012.
Treinador: Mykhaylo Fomenko

No passado a Ucrânia cedia os seus talentos futebolísticos para a extinta União Soviética, campeã da primeira edição da EURO em 1960. Após o fim da URSS, a Ucrânia passou a ter sua própria seleção, a qual apresentou uma grande geração na década passada.

Aquele time dos anos 2000 tinha como ícone o atacante Andriy Shevchenko (ex-Milan/Itália e Chelsea/Inglaterra), hoje auxiliar técnico da seleção comandada por Mykhaylo Fomenko. Enquanto atleta o ex-zagueiro Fomenko (67 anos), tem origem ucraniana mas serviu a antiga seleção da URSS.

A única participação da Ucrânia em Mundiais se deu em 2006, com Shevchenko no auge da carreira. A seleção ucraniana participará pela segunda vez da EURO, tendo sido anfitriã em 2012, numa edição da EURO em que Ucrânia e Polônia dividiram o papel de país sede.

Em 2012 os ucranianos foram eliminados na primeira fase, numa participação que marcou a despedida do citado Shevchenko, dos gramados. Vale lembrar que o futebol ucraniano se vê afetado nos últimos anos, pelos conflitos armados eclodidos dentro do próprio país. A atual Ucrânia apresenta poucos novos valores.

O elenco tem como líder o veterano meia/defensor Anatoliy Tymoshchuk (37 anos, ex-FC Bayern/Alemanha, atual Kairat/Cazaquistão). As referências técnicas são o meia-atacante Andriy Yarmolenko (Shakhtar Donestk/Ucrânia) e o meia Yevhen Konoplyanka, também uma das referências do Sevilla (Espanha), campeão da última Europa League.

A seleção da Ucrânia lutará por uma terceira colocação no grupo, contra a Irlanda do Norte.

Polônia
Melhor colocação: décimo quarto lugar em 2008 e 2012.
Treinador: Adam Nawalka

A seleção da Polônia já participou de sete Mundiais (o último em 2006), tendo obtido honrosas terceiras colocações em 1974 e 1982. Porém, só veio a disputar a EURO nas últimas duas edições da competição 2008 e 2012. A equipe polonesa conseguiu adentrar o torneio continental europeu pela terceira vez.

Embora eliminada na primeira fase na edição 2012, o time polonês chamou a atenção devido às apresentações do então jovem e desconhecido atacante Robert Lewandowski (atual FC Bayern/Alemanha). Hoje em sua plenitude, Lewandowski é o grande ídolo polonês, capitão e referência técnica de sua equipe.

O time do treinador Adam Nawalka pode brigar por uma das duas primeiras vagas do grupo. O elenco conta com atletas que atuam em grandes clubes europeus. Entre os goleiros há Wojciech Szczesny (Roma/Itália) e o veterano Lukasz Fabianski (Swansea City, ex-Arsenal/Inglaterra).

A equipe ainda tem o lateral Lukasz Piszczek (Borussia Dortmund/Alemanha), o meia Jakub “Kuba” Blaszczykowski (Fiorentina/Itália) e o habilidoso meia Grzegorz Krychowiak (Sevilla/Espanha), este o principal articulador. Lewandowski, “Kuba” e Piszczek foram peças importantes do Borussia Dortmund do técnico alemão Jürgen Klopp (atual Liverpool/Inglaterra).

Irlanda do Norte
Melhor colocação: estreante
Treinador: Michael O’ Neill

A seleção da Irlanda do Norte (não confunda com a tradicional Irlanda), participou de três Mundiais (1958, 1982 e 1986). Teve entre seus atletas o polêmico atacante George Best, ídolo do inglês Manchester United, mas nem por isso havia conseguido disputar uma edição da EURO.

Os norte-irlandeses farão sua estreia no torneio continental europeu, comandados pelo técnico Michael O’Neill. O país integra as Ilhas Britânicas e boa parte dos atletas de seu elenco atua no futebol inglês (alguns poucos na primeira divisão). Os mais conhecidos são o zagueiro Jonny Evans, (ex-Manchester United, atual West Bromwich) e o veterano meia e capitão Steven Davis (do Southampton).

Isso além do artilheiro Kyle Lafferty (17 gols pela seleção), que disputou a última Premier League pelo Birmingham. Aos norte-irlandeses cabe lutar por uma campanha que os enquadre na terceira colocação do grupo.

Para ler sobre o grupo B, clique aqui!