Terceiro colocado na tabela de La Liga, o Real Madrid entra em campo pela vigésima-terceira rodada do campeonato espanhol neste domingo, visitando o Granada. O antigo ídolo Zinedine Zidane, foi empossado no cargo de treinador blanco a pouco mais de um mês.

Zizou contabiliza quatro partidas (todas por La Liga), nas quais obteve três vitórias e um empate. A equipe blanca anotou absurdos 17 gols em quatro jogos, tendo sofrido apenas dois. Seu início é sim surpreendente. Zidane afirmou publicamente que anseia por uma equipe mais ofensiva, o que subentende a não utilização de jogar no contra-ataque.

O periódico espanhol El País, sublinhou um estilo de jogo baseado nos contra-ataques, efetivado no modo de jogar merengue, desde 2010 quando o técnico José Mourinho assumiu a equipe. Jogar no contra-ataque em velocidade é algo próprio da filosofia colchonera do rival municipal, Atlético de Madrid.

O jornal recordou a terminologia pitagórico/matemática dada por Mourinho à sua proposta de jogo, que consistia em entregar a bola ao adversário para recuperá-la e contra-golpear. Mou o chamava de “triângulo de pressão adiantada”. Até os atletas compraram o argumento, afirmando que jogar bem não era sinônimo de ostentar a posse de bola.

O defensor Arbeloa era um dos que se apoiavam nesta tese, assim como Xabi Alonso (atual FC Bayern). O veterano meio-campista espanhol chegou a declarar durante a gestão Mourinho, que aquele “el Madrid” jogava de forma diferente do “tiki-taka”, apresentado pelo então Barcelona de Pep Guardiola.

Na coletiva anterior à viagem para Granada, Zizou afirmou à imprensa que quer desvencilhar-se do contra-ataque enquanto sistema de jogo.

O próprio Zidane enquanto modelo de futebol.

Zidane afirmou que prefere que a equipe detenha a posse de bola. Disse que “aqueles que se lembram dele como jogador”, sabem que ele Zidane gostava do jogo, “de ter a posse de bola”. O francês completou: “Quando você não tem a posse de bola, a melhor maneira de recuperá-la é pressionando. Não deixar o adversário jogar. A ideia é ocupar o campo adversário sempre.”

O ex-meia blanco parece condizer com as ideias de futebol propagadas pelo presidente Florentino Pérez. Apesar de Mourinho e Carlo Ancelotti terem trazido resultados, valendo-se do expediente do contra-ataque, Pérez sempre incentivou um futebol ofensivo. O demitido Rafa Benítez também possuía uma preocupação defensiva, no começo da atual temporada afirmando que o time precisava de seis homens no campo de defesa, quando a bola era perdida.

O El País, recorda as “emboscadas” espalhadas pelo campo por Mourinho ordenando um time em postura defensiva, algo que implicava em dar a bola ao adversário. O jornal espanhol frisa que o intento ofensivista de Pérez é fazer com que seus jogadores mais caros, Cristiano Ronaldo e Gareth Bale mostrem o seu melhor.

Zizou conheceu o sistema de jogo, tanto de Mou quanto de Carletto. Foi auxiliar do lusitano na temporada 2011/2012 (que culminou em título de La Liga), e do italiano na temporada 2013/2014 (que culminou na décima Champions League). O El País resgata o termo em italiano “sfruttare” (ou explorar) usado por Ancelotti, que fazia menção ao uso do espaço, valendo-se da velocidade de CR7 e Bale.

Para isso era preciso estar em seu próprio campo, com os adversários também dentro deste espaço. Os títulos da CL e da Copa Del Rey obtidos em 2014 sob comando de Carletto, foram conquistados com muitos momentos em que a dupla CR7/Bale, recebiam a bola e saíam em velocidade. Zidane não quer que o time jogue desta forma.

Em contra-parte Bale tem como principal virtude, esta caracteristica da transição em velocidade. O meia-atacante galês segue como dúvida recuperando-se de uma lesão muscular, e sua presença em Nuevo Los Cármenes (Granada/Espanha), não foi garantida por Zizou.

Granada e Real Madrid jogam neste domingo às 17:30 hr (horário de Brasília). La Liga está sendo transmitida no Brasil pela ESPN e Foxsports.

Imagem de Zidane: Angel Fernandez – AP