Milan-Inter, quase uma final do Italiano

Chegamos à véspera do jogo mais importante do ano na Itália com a expectativa dentro do normal. Apesar de líder, o Milan vê na rival uma vantagem psicológica e técnica considerável. Classificada para as quartas da LC, a Inter ainda pode ganhar tudo. Além disso, o Milan não tem Ibra. Uma vitória interista dá fôlego para disputar a Europa como líder Por isso mesmo, o jogo de amanhã tem peso para desequilibrar quem o perder.Uma imagem do derby da Madonina, mas com a Inter mandante...

A folga forçada de três semanas certamente há de ter dado ao centroavante sueco o descanso que lghe foi negado desde o começo do campeonato. Assim, se ele não se esconder atrás de sua insegurança em jogos decisivos, pode ser o homem a mais na reta final do campeonato, especialmente com o Milan dedicando-se exclusivamente ao campeonato. Mas se a Inter estiver na frente, a perssão cresce em cima dele e reforça-se a tendência de Ibra não render.

Justamente por isso é que a situação de pressão – Inter embalada, Ibra suspenso – dá ao Milan a oportunidade de jogar o clássico sabendo que uma vitória pode reverter totalmente a situação, fazendo a Inter receber o Schalke consciente de ter se complicado no Italiano. A vantagem milanista é que tem um time titular que gosta de jogos sob pressão. Na partida de ida contra a Inter, Seedorf fez seu melhor jogo na temporada. Gattuso, Nesta, Boateng e Flamini são igualmente dados a se exceder em partidas difíceis.

Na Inter, mesmo com a superioridade de elenco claríssima, as ausências de Samuel, Lúcio e Chivu indubitavelmente reforçam a insegurança defensiva. Leonardo deve preferir manter um vértice alto controlando a bola em Sneijder justamente para não manter o ataque milanista em posição de tiro. A necessidade de controlar Sneijder faz pensar que Boateng deva ter espaço na linha média para atacar o holandês. Sem Ibrahimovic, a lógica faz com que Pato seja o primeiro atacante, com Robinho buscando o jogo e o ganês voltando para pegar Sneijder na recomposição do meio-campo como um segundo cabeça-de-área.

Pirlo e van Bommel serão cartas na manga de Massimiliano Allegri dependendo do andamento do jogo. O regente italiano não tem pernas para o jogo todo e deve ganhar um lugar no segundo tempo. Van Bommel também pode ter um lugar na segunda etapa ou na cobertura de uma lesão. Na Inter, todos os setores têm boas reposições, menos na zaga central, onde somente o risível Materazzi pode levantar de sua catacumba em caso de necessidade. Seria até mais seguro para Leonardo ter Cambiasso recuado, com Zanetti indo para o meio-campo e Nagatomo na esquerda do que Materazzófis I disputando a bola com Robinho.

E falando em Leonardo, claro que ele será o grande nome do clássico. Ele pode esperar uma recepção de vilão em San Siro, e não sem razão. Não adianta falar em profissionalismo ou algo assim: sob o prisma de um torcedor, ele traiu aviltantemente a metade rossonera de Milão por conta de sua rusga com Silvio Berlusconi. Menos de seis meses antes de assumir a Inter, ele tinha, não só dito que não voltaria a ser treinador (a menos que fosse da Seleção Brasileira) como que jamais trabalharia na Itália de novo, a não ser no Milan. Se for tratado como um cão, Leonardo não poderá se lamentar e, sabendo disso, ele deve estar com o sangue na garganta para humilhar um San Siro lotado pela primeira vez.

Prováveis formações:

Anteriores

Eto’o, o democrático

Próximo

O erro do apóstolo teimoso

10 Comments

  1. Raphael

    Falo isso porque não confio em Milan e Inter, eles não tem aquela pinta de campeão. E o Napoli na base do espirito de luta, pode chegar lá. A temporada que o Cavani tá fazendo é algo incrível.

    Numa rápida análise da tabela, a Inter tem um caminho bem acessível em relação aos outros concorrentes.

  2. Cassiano Gobbet

    Outra coisa: a escalação do van Bommel estava vetada. Ele diminuiu o inchaço no joelhoe acabou convocado na manhã de sábado. E comeu a bola ( e a canela do Sneijder). abs

  3. Cassiano Gobbet

    A disputa continua sendo Milan-Inter. No momento em que o Napoli tiver a pressão de ser favorito, tenho dúvidas da capacidade deles. abs

  4. Cassiano Gobbet

    Caro, o Robinho não tem estrutura psicológica para um clube de ponta. Pode ser um bom coadjuvante (como vem sendo), mas se depender dele, necas. Abs

  5. Cassiano Gobbet

    Caro, o Pato pode até ir para o Real, caso o real tope pagar uns €100 milhões. Se era fossa, trocar uma morta de fome que nem essa atriz da malhação pela filha do Berlusca, meu Deus, hein? Fossa zero. Ou melhor: Fossa dei Leoni.

  6. Raphael

    1 – Como joga o Seedorf, um dos grandes que vi jogar.

    2 – Como perdeu gols o Robinho, perdeu uma ótima chance de se consagrar.

    3 – Ainda não tem nada decidido, o Milan não inspira confiança alguma e o Napoli venceu, mantendo a diferença em 3 pontos. E mesmo com a derrota, a Inter segue no páreo também.

  7. Diogo Terra

    Rafael, como o Cassiano frisou, era jogo decisivo. Nesses ele não aparece nunca (e olha que se não fosse o Júlio César seria uns 5 ou 6 a 0). Lembra da final da Copa América, dos 3×0 em cima da Argentina? Ele sumiu. Deixa ele para fazer gol nos Catanias e Livornos da vida.

  8. Rafael Canova

    Campeonato decidido, Milan campeão, como eu apostava antes do campeonato começar. A briga agora é pelas vagas na UCL.

    Que partida do Seedorf. Pra mim, o melhor em campo. Pato foi muito bem também, mas não foi espetacular como holandês.

    Outra coisa, Robinho perdeu a maior oportunidade da vida dele. Era jogo pra ele meter um hat trick e o cara não fez nenhum gol. Recebeu três bolas cara a cara com o goleiro, num derby decisivo de campeonato. Era o jogo pra ele marcar com algo positivo sua passagem na Europa, já que em 06 anos nunca fez nada digno de nota. E ele deixou essa chance escapar.

  9. Estou lendo o post agora após o jogo vencido pelo Milan. Uns 85 % do que vc previu aconteceu. Porém Leonardo novamente viu seu padrão tático se evaporar perante uma defesa mais sólida…e desta vez nem era uma defesa montada por Mourinho. Resultado ruim mas que não pode ofuscar todo o resto do seu bom trabalho. Carissimo, o que de real se falava ou se falou sobre uma transferencia de Pato? Ao meu ver o problema dele era ‘fossa’, não???
    Abs!

  10. Gilson

    É mais ou menos isso que espero também. Na análise que fiz da partida quarta à noite com um grupo de conhecidos – foi algo bem próximo de uma análise coletiva -, coloquei o Emanuelson na equipe titular e passei o Flamini para a direita, mandando o Gattuso para o banco.

    O motivo é simples: eu colocaria a equipe em uma deslavada retranca, com o Seedorf esticando bolas para Emanuelson na esquerda, Boateng na direita e Robinho no centro. Em algum momento esse pessoal deve levar vantagem na corrida em cima do meio-campo adversário – convenhamos que Cambiasso, Satnkovic e T. Motta não são exatamente velocistas – e aí em algum momento a bola vai chegar com qualidade até o Pato.

    O grande problema dessa escalação é a baixa estatura do pessoal do meio-campo. Apesar de não parecer pela televisão, apenas o Boateng nessa turma tem mais de 1,80m. Com esse pessoal, o Julio Cesar pode tranquilamente “quebrar” a bola para o meio que a chance da Inter ganhar a disputa pela primeira bola é enorme.

    É, Ambrosini e Van Bommel fazem falta. Quando um desses dois sair do elenco deverá necessariamente ser substituído por um jogador com estrutura física similar, pois os jogadores para o meio que o Milan dispõe hoje são muito baixinhos em sua enorme maioria.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top