Decisão e drama em Milão e olho no futuro

Quem assistiu a 34a. rodada do Italiano até o início do primeiro tempo, poderia imaginar um desfecho amargo para Milão e com um campeonato muito mais aberto nesta segunda-feira. Afinal, o Napoli e a Lazio venciam e nada indicava que o Milan teria vida fácil contra um Brescia desesperado sem Ibrahimovic e Pato. O futuro de Leonardo parecia definido e os napolitanos manteriam suas chances de título enquanto a Inter passaria a ver em risco sua vaga na Liga dos Campeões. Aí, entrou em cena a imprevisibilidade angustiante do futebol.

Com as viradas de Palermo e Inter, mais uma vitória milanista arrancada a fórceps em Brescia, o ‘scudetto’ está praticamente decidido, com o Milan podendo empatar suas últimas quatro partidas para ser campeão. Leonardo não só ganhou sobrevida com o paternalismo emocional de Massimo Moratti, como passou a ter seu cargo ameaçado somente com uma possível e improvável volta de José Mourinho ao banco interista (veja post anterior). E o Napoli atendeu às expectativas de um clube que não decide nada há quase vinte anos e sentiu quando a porca torceu o rabo.

Diante do panorama, é difícil imaginar um Milan tão velho e experiente perder o título. Sim, certamente esse será o campeão italiano mais medíocre em muitíssimo tempo, mas inegavelmente será um título merecido. O grande alerta é em relação à qualidade da liga. O Milan campeão terá passado por times que na época anterior ao escândalo, não chegariam à Liga dos Campeões. A vitória em Brescia teve 97% de experiência e 3% de talento (o que permitiu a Cassano dar o passe a Robinho e as duas defesas de Abbiati), um sintoma claro da atual qualidade do Italiano.

O campeão italiano (mesmo que não seja o Milan), será o primeiro legitimamente forjado na Itália pós-Calciopoli. Os títulos interistas não foram falseados, mas foram decididos numa liga em que viu Milan e Juventus tinham acabado de descer três andares, Exceção feita à temporada passada, onde Mourinho de fato fez uma Inter competitiva sob qualquer ponto de vista, estes cinco anos foram o tempo necessário para que os grandes italianos novamente estivessem em patamares similares. A dominação interista se encerrou, mas não porque os outros grandes cresceram e sim porque a Inter desceu ao nível deles (para quem vê uma Juventus muito abaixo, faço um comentário aqui).

Mesmo as boas surpresas do atual torneio tiveram finais de semana medíocres. A Udinese voltou a jogar mal e salvou o Parma de mais uma semana com a água no pescoço e a Lazio fez um jogo incompreensível, jogando melhor até marcar o gol e depois dando condição a uma Inter tão raçuda quanto cansada de virar graças a manobras individuais de seus melhores jogadores.

Anteriores

Vitória sofrida e Inter se questiona

Próximo

Notas de mercado da Itália

8 Comments

  1. Cassiano Gobbet

    Dos que vc citou, quem eu acho que sai: Pirlo, Seedorf, Roma. Quem sai com certeza é o Janlulovski. Inzaghi deve ficar mais um ano (mais em respeito do que outra coisa) e o Ambrosini deve renovar por um valor mais baixo, assim como o Nesta. Pirlo e Seedorf precisam cortar os salários em cerca de 30% (o que daria um salário de cerca de 3 milhões de euros anuais) se quiserem ficar. (abs

  2. Cassiano Gobbet

    A Série A pós-2006 é toda medíocre. Sim, essa é melhor do que qualquer uma depois do escândalo, mas é pior do que qualquer uma antes. A vantagem da atual sobre as anteriores é que pela primeira vez houve uma disputa de verdade. A Inter teria vencido este campeonato se não tivesse feito tanta bobagem, porque tem um elenco melhor que os rivais. Time realmente bom, competitivo, era a última Inter do Mourinho, como as competições europeias mostram. Nos outros anos, a Inter era melhor que os rivais, mas medíocre, assim como deve ser o Milan campeão. abs

  3. Jean Sousa

    Cassiano,

    Quanto ao Milan,será que seus dirigentes vão mais uma vez deixar o trem da oportunidade passar? Vários jogadores veteranos (e com salários altos)finalizam seu contrato no final da temporada.

    São eles: Pirlo, Gattuso, Ambrosini, Seedorf, Inzaghi, Roma, Jankulovski, Nesta e Inzaghi.

    Não seria hora de fechar o ciclo Ancelotti de uma vez, investir em promessas (Albertozzi, Strasser, Merkel), trazer gente da base e avançar no mercado sobre peças-chave?

    Um abraço.

  4. Raphael

    Salvo uma hecatombe o scudetto é do Milan.

    No mais, a briga pelo rebaixamento tá boa. A Sampdoria só venceu porque pegou o combalido Bari e tivemos uma bela vitória do Cesena fora de casa contra um Bologna que puxou o freio de mão e parou de somar pontos.

    Mesmo pressionado, o Ficcadenti seguiu no comando do time, que vem lutando bravamente para cumprir o objetivo de permanecer na Série A.

  5. Boni dos Santos

    Cassiano,

    Fiquei surpreso de ver que o Cossu tem 30 anos.

    Como é possível esse EXCELENTE jogador chegar aos 30 sem ter jogado num grande clube? tem alguma idéia ou informação que esclareça esse enigma?

    COSSU JOGA MUITA BOLA!! me recorda Fiore nos tempos de Udinese..

  6. Daniel

    Eu já achava que o scudetto já era do Milan desde que venceu o derbi contra a Inter. Na minha opinião, o Milan conseguiu trabalhar bem seus atacantes, usou Ibra, Robinho e Pato de forma correta, mesmo eventuais suspensões de Ibra e lesões do Pato não geraram problemas. E a defesa sólida montada por Allegri também ajudou. Apenas contra o Tottenham acho que o Milan não conseguiu engrenar.

    Por outro lado, vi que a arbitragem do jogo da Udinese foi polêmica, já que um dos gols de Amauri estava em impedimento.

    Enfim, o Milan será campeão até com certa facilidade esse ano, e na temporada que vem vamos torcer para os times italianos fazerem um papel mais bonito na UCL, para tirar a diferença de coeficientes em relação à Alemanha.

  7. Serie A que se encerra realmente não tão brilhante…mas…aquela de 2007 com Milan e Fiorentina dotadas de pontuação negativa e Juve rebaixada não teria sido ainda mais mediocre? Se não me falhe a memória fora o bi-campeonato da Inter que tinha Ibrahimovic com R. Mancini no banco.
    Abs!

  8. Gilson

    Com a defesa do Milan praticamente não levando gols no returno, tudo leva a crer que agora o scudetto é uma mera formalidade. Mas, como bem frisou o Allegri, faltam ainda quatro pontos. Futebol é futebol…

    E creio que o nível desta temporada deu uma bela melhorada em relação à anterior. Longe de ser o desejável, mas parece ter melhorado.

    E, sobre o post anterior, os comentários por lá estão desabilitados, ele parte de uma premissa equivocada: parece a quem lê que a Juventus não tem dinheiro para investir e que o novo estádio irá equilibrar financeiramente as coisas com as potências de Milão. Outro dia o Blanc declarou exatamente isso e foi torpedeado pelo pessoal da versão italiana do goal.com, pois eles mostraram que nas duas últimas temporadas os bianconeri torraram mais de € 110 milhões no mercado para a montagem de dois times.

    O Milan, por exemplo, não gastou a metade disso. É possível que o departamento médico da Juventus seja ruim, que alguns medalhões atrapalhem os treinadores, que o CT não seja dos melhores etc. mas fundamentalmente acho que é preciso dizer que a qualidade técnica do elenco vem despencando nas últimas temporadas.

    Seis temporadas atrás, quando Luciano Moggi montou seu último elenco, Del Piero era quase sempre reserva do Ibrahimović. Hoje o cara em algumas partidas é reserva do Matri.

    Para que a Itália tenha novamente um futebol de respeito, é preciso que a Juventus se fortaleça novamente. Mas está bem difícil que isso aconteça no curto prazo.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top