Segunda-feira, Tolerância Zero: Saída de Adilson do Santos

Toda segunda-feira já nasce com o DNA da Tolerância Zero em seu âmago. Acabou o fim de semana, você acorda cedo, não pode jogar seu joguinho predileto nem ver um filminho com a esposa. E além disso, ainda tem de abrir o jornal e se deparar com o descalabro, burrice e falta de escrúpulos do mundo. Então, borracha na segunda-feira porque ela merece.

Saída de Adilson do Santos

É difícil levar a sério a alegação da diretoria santista de profissionalismo. Depois de demitir Dorival Júnior por causa de um capricho de Neymar – um garoto cujo tamanho do talento só se equipara à própria marra – agora, demite Adilson Batista por causa de problemas similares. Uma derrota para o Corinthians – por favor, sem essa de “clássico” porque um jogo com valor zero não pode ser chamado de “clássico”, um mal-estar com Zé “Van Basten” Love e meia dúzia de torcedores com vida social nula derrubaram o “trabalho planejado e profissional”. É bem verdade que há algo de errado com Adilson, dados os seus trabalhos em Cruzeiro, Corinthians e Santos, mas derrubá-lo durante o PAULISTA é digno de ganhar o Darwin Awards.

Anteriores

Milan x Napoli, jogo de xadrez

Próximo

Segunda-feira, Tolerância Zero: Título do Flamengo

3 Comments

  1. Gilson

    O curioso, vendo o caso de longe – vou precisar da ajuda do Hubble se quiser me aprofundar nele – é o fato de que a diretoria do Santos declarou não estar convicta de que fazia o certo ao demitir o treinador.

    E, plz, pare com essa “Síndrome de Garfield”! 😛

  2. Cassiano Gobbet

    Respondem pelos nomes de Neymar e interesses por trás da venda de jogadores. Abs

  3. Raphael

    Pois é, foi o 2o time seguido onde o Adilson foi fritado. Deve ter algo mais nessa história do Santos…

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top