Amigo de Wagner Ribeiro quer ser presidente do SPFC

José Dias, pior diretor de futebol do São Paulo dos últimos 85 anos, quer ser presidente do São Paulo, segundo o Blog do Perrone. Seria a maior catástrofe possível para o clube que, entre erros e acertos, teve uma gestão que devolveu o time à elite de fato do futebol nacional. José Dias, para quem não sabe, foi o homem forte do futebol sãopaulino e eminência parda no clube durante boa parte do jejum entre a saída de Telê Santana e a conquista do Mundial em 2005. Reproduzo abaixo uma nota publicada pelo meu saudoso amigo Luiz Fernando Bindi sobre Dias em 2001:

“O diário Lance! publicou, no último dia 19, interessante e reveladora reportagem sobre Wagner Ribeiro, empresário que desde que Paulo Amaral assumiu a presidência do São Paulo (no final de 2000), passou a ser procurador de dez jogadores do time do Morumbi, inclusive França, Alexandre e as revelações Kaká e Renatinho. A oposição da diretoria do São Paulo vê com preocupação a excessiva influência de Ribeiro (há dez anos amigo de José Dias, diretor de futebol tricolor), pois acha que a amizade referida rende bons frutos apenas para Wagner Ribeiro. Coisa para se investigar seriamente, pois a influência de determinados empresários normalmente é nociva aos clubes e especialmente aos jogadores.”

O “Kaká”, então revelação é esse mesmo e um dos pouquíssimos jogadores que viraram. Na gestão de Dias, Ribeiro chegou a ter mais de 30 jogadores no elenco do São Paulo. Na maioria esmagadora eram jogadores que ficavam constantemente sendo emprestados a outros clubes. Dias teve negócios e até sociedade com o empresário – que, diga-se de passagem, não é ilegal, mas levantava suspeitas sobre o assunto. O retorno de gente como José Dias ao poder é certeza de belas disputas com a Portuguesa no Paulista, com o Avaí na Copa do Brasil e lutas dignas pelas vagas na Sulamericana.

Anteriores

O Valdiviagate e Ronaldinho quase palestrino

Próximo

Por que é difícil Kaká chegar à Inter

10 Comments

  1. Raphael

    Quem anda com Wagner Dinheiro, bom sujeito não é.

  2. Darcio

    Vagner Dinh…, ops, Ribeiro deve dar alguma coisa aos ‘seus’ atletas. Os caras se sentes a mistura elevada 9123578236166166ª potência de Maradona, Pelé, Cruyff e Zidane no auge. Mas jogam menos que o Materazzi e sem o carisma do carcamano.

  3. Falando em empresários, indico essa interessante matéria sobre os dez maiores agentes do futebol brasileiro.
    Nela, vemos que o SPFC já tem o seu Wagner Ribeiro: Juan Figer.
    http://bit.ly/ggAxwJ

    Abraços.

  4. Rafael Borges

    Talvez a diretoria do São Paulo esteja cansada de ver o time bem. Resolveram que ver o time tendo algumas campanhas no meio da tabela com jogadores recomendados por Wagner Ribeiro, (que deve coincidentemente deve recomendar os seus próprios jogadores) e pelo gênio do scout mundial Milton Cruz vai fazer bem pra torcida.

  5. Boni dos Santos

    Quando o Wagner Ribeiro aparece em programas de TV as palavras que ele mais repete são “honestidade”, “clareza” e “transparência”, até na MTV ele é assim. quem não deve, não teme, pela minha experiência o cidadão honesto não se preocupa em tentar provar isso o tempo todo.

  6. Cassiano Gobbet

    Tem o Vieri para fechar com o Boavista… 🙂

  7. Gilson

    Impressiona como parece que alguns empresários querem tomar conta de tudo. Não basta apenas gerenciar – na maioria dos casos muito, mas muito mal – a carreira de seus clientes. Com todo o respeito, creio que gente como Lucas e Neymar deveria tomar extremo cuidado com um empresário que é capaz de endossar uma troca como a penúltima protagonizada pelo Robinho – do Real Madri para o M. City.

    Mesmo que se tratasse do pior Real da história – não era! – o Real ainda é o maior clube do planeta bola. E o City gastou cerca de € 300 milhões para mudar de patamar. Na boa, os caras passaram de equipe pequena para média. Longe, bem longe dos merengues.

    E, mudando um pouco de assunto, será que além de Galliani e Preziosi existe mais algum cartola italiano no Rio?

  8. Diogo Terra

    Boa a lembrança do Bindi. O blog dele era bem assim, sempre criticando os bastidores e a parte mais irresponsável e corrupta da mídia. E o caso do São Paulo é emblemático: um clube com organização e infra-estrutura que jamais chamariam muito a atenção na Europa, mas que lhe valeram o mote de “diferenciado” nesta terra de cegos por natureza ou por vontade própria.

  9. Cassiano Gobbet

    Lulinha, o ex-novo Ronaldinho Gaúcho…

  10. Ou, pelo menos, certeza de que o clube estará cheio de jogadores agenciados por Wagner Ribeiro.
    Com um pouco de “sorte”, o Lulinha pode vir para ser o novo camisa 10 do Morumbi…

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top