100 nada

Hoje o Corinthians amanheceu com um sabor na boca que já conhecia. O de pensar que poucas horas antes, ainda tinha chance de encerrar o jejum eterno de Libertadores. Hoje, dificilmente alguém vai apontar o dedo para Andres Sanches, especialmente na imprensa, assim como ninguém vinha dizendo que o time apresenta futebol patético. Mas deveria, porque Sanches tem culpa e o time joga futebol de 9o. colocado no Brasileiro.

Não cabe falar sobre o jogo. O Flamengo passou, jogando mal e contra um time ruim e mal montado. Ronaldo é uma sombra e 80% dos “craques” do Corinthians são sobrevalorizados (coisa que também ocorre no São Paulo, diga-se…e no Flamengo e em quase todos os “grandes” brasileiros). A desclassificação do Timão é importante porque a Libertadores do Centenário era a base política de Andres Sanches.

O presidente do Corinthians tem todos os elementos de um político populista. Fala errado, alinha-se como “povão” mas tem vida de milionário (e pensa como um, especialmente na hora de adequar os preços do Corinthians para a torcida, vide ingressos a R$650), faz provocações baratas e está se aliando ao pior tipo de gente possível para construir a própria imagem – não a do Corinthians e sim a dele.

Sanches fala da Libertadores do Centenário desde o primeiro momento em que assumiu o clube e por isso, a derrota do Timão é dele, mais do que de qualquer um. O elenco deste ano é caro, desequlibrado e de qualidade dúbia. Tirando Roberto Carlos, que ainda é um grande jogador, todo o resto não fez nem fará diferença. Ronaldo deve estar com uns 105kg e imprensa e clube insistem em dizer que ele tem o mesmo peso do ano passado. Estamos em maio e o Corinthians não jogou uma partida bem em 2010. A menos que se monte e desmonte o time, o Brasileiro com uma vaga na Libertadores já será equivalente a um título de Libertadores.

A sensação que se tem é a de que Sanches não está só lapidando a sua carreira política no Corinthians, Cria menor de Alberto Dualibi, ele dá sinais de que quer seguir vôos mais altos na classe política. A base corintiana é um bom alento em termos de eleições. Um espaço no PT, também. A imagem na mídia idem. Sua função de dirigente, contudo, não me convence. A gestão do Corinthians é mediática. À parte a contratação de Ronaldo, o Timão voa sozinho nas asas da torcida. A imprensa é conivente porque afaga Sanches ao invés de questionar contratações, dívida, rendimento de jogadores e etc. O Brasileiro que começa em alguns dias é uma tarefa hercúlea para qualquer clube. O Corinthians precisa de trabalho, não de mídia. Falou-se em Zidane, Trezeguet, Riquelme, Lucas e Ronaldinho Gaúcho. Se chegar alguém do Santo André, será muito.

Anteriores

Totti decepciona. E daí?

Próximo

A culpa é de quem então?

6 Comments

  1. josé claudio

    Mais triste que toda a torcida corinthiana junta deve ter ficado a TV Globo, toda a imprensa paulista e os patrocinadores, pois o que eles tavam torcendo pro time paulista é brincadeira. Não sou flamenguista, mas pela primeira vez na vida torci pra esse clube.
    A imprensa , principalmente aquela que tá em rede nacional, precisar ter um mínimo de imparcialidade para cobrir os jogos e eventos, pois o que se viu nessas 2 semanas foi uma vergonha muito grande; se for pra falar só de Corinthians que avisem os telespectadores com antecedencia pra que os mesmos não sejam enganados.

  2. Raphael

    aparentemente eles fizeram uma coisa interessante, renovar com o treinador… isso é um bom sinal, mas vamos ver se ele de fato continuará, pq renovação de contrato não significa muita coisa.

  3. Gilson

    Tenho certeza que existem jogadores realmente muito bons em várias equipes brasileiras. Nenhum craque, é bom deixar claro, pois todos apresentam alguma deficiência. O problema é que são poucos, apenas dois no caso do Corinthians, e, com isso, não conseguem resolver sozinhos as muitas deficiências de suas equipes.

    Se você montar uma equipe com uns três jogadores do Grêmio, uns três do Santos, dois do Corinthians, dois do São Paulo etc. o resultado final será bem interessante. Faltará banco, um goleiro realmente confiável, um lateral esquerdo, e, principalmente, atacantes.

    Jamais na história deste país contamos com tão poucos atacantes de qualidade por aqui. Tenho um amigo que vem bancando esse Lucas Piazon como o melhor atacante do futebol brasileiro. Talvez tenha razão…

  4. Cassiano Gobbet

    O Flamengo é ok, mas venceu o Brasileiro mais pelos tropeços de outros times melhores. Esse Fla, sem Adriano e Love, vai sofrer no Brasileiro. abs

  5. Raphael

    verdade, não duvido se em breve o Sanches se candidatar a deputado pelo PT.

  6. Concordo com sua visão sobre o Corinthians e seu presidente. No entanto, faria uma ressalva ao comentário sobre o Flamengo. O elenco até que é bom (para os padrões brasileiros), mas está passando por uma reforma tática dirigida por alguém que ainda não se provou como treinador.

    Abs.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top