A mesma história de sempre

Posso estar enganado. Posso estar sendo injusto com uma pessoa doente que apesar de ter tudo nas mãos e de ter a força de um touro – que ele mesmo adora mostrar fazendo pose de wrestler – sucumbe ao vício com uma fragilidade de bebê. Contudo, sob o ponto de vista jornalístico, acho prudente pontuar.

Adriano passou dois anos de sua carreira fazendo de tudo para deixar a Inter de Milão. Indisciplinas (chegou a se apresentar para um treino bêbado, ao lado de Maicon), falta de entusiasmo, declarações “polêmicas” (que nos bastidores da Itália são creditadas ao seu empresário), desaparecimentos e até um boato de que ele teria sido baleado na favela. Adriano fez de tudo. Até que chutou o balde, “abandonou a carreira por falta de motivação” e subitamente, quase que por milagre, por obra do divino e do impensável “reencontrou-se” e assinou com o Flamengo, onde carregou o time nas costas rumo ao título nacional.

Agora, a cantilena se repete. Adriano falta a treinos. Adriano vai às baladas. Adriano causa chiliques de namoradas enraivecidas e – principalmente – Adriano não treina. Como eu disse, podemos estar sendo injustos, mas a repetição da novela, exatamente nos moldes da que aconteceu com a Inter, parece muito mais um cenário de saída do Flamengo do que outra coisa. O amor e apego à camisa rubronegra parecem estar se dissolvendo com a proximidade da janela de transferências.

Suposições à parte, Adriano é o maior desperdício de talento no futebol mundial desde Edmundo. Ele poderia ser titular absoluto de qualquer equipe do planeta e concorrer ao posto de melhor do mundo, mas ao contrário disso, joga o suficiente para o Campeonato Carioca – ou seja, nada – e troca a rotina de treinos por baladas em lugares dominados pelo tráfico.

Levar esse Adriano à Copa será uma piada que, acredito, Dunga não fará. O técnico tem muitos defeitos, mas tem um apego ao seu discurso que é notável e as vezes até o compele a más decisões (vide exclusão de Ronaldinho). Vágner Love, que acompanhou in loco a presepada de Adriano, deve ter enterrado de vez suas chances de Copa – que seriam imensas com um Adriano a todo vapor. O Flamengo venceu o título de 2009, mas continua algemado pelo Fator Flamengo.

Anteriores

Kia Joorabchian

Próximo

Comentando a seleção: Dani Alves

12 Comments

  1. Raphael

    quis ser enfático Cassiano, o Brasil tem ótimos jogadores, mas não consigo engolir algumas malas que lá estão, e sei que o Dunga vai deixar de levar gente talentosa pra levar malas amigas.

  2. Cassiano Gobbet

    Teria sido o maior líbero do mundo à época. Tinha um único problema sério para um defensor: não tinha impulsão, provavelmente porque seu tempo para treinos era limitado entre uma festa e outra. Mesmo assim, era um monstro.

  3. Cassiano Gobbet

    Menos Raphael, menos. O Brasil tem um excelente grupo (craque, craque mesmo só Daniel Alves e Kaká mais RG que não deve ir, mas o grupo é bom). Sem o Adriano, a vaga aberta é a de um jogador de área. Farei um post sobre isso nos próximos dias. abs

  4. Cassiano Gobbet

    Não se trata de mudar de ideia: no seguinte cenário – V. Love + Adriano arrebentando no Carioca e Libertadores – a convocação dos dois seria automática. Mas com eles se metendo em festas do tráfico, realmente acho difícil convencer alguém a convocá-lo.

    Mais volantes? Mas que esquema será esse time? Um 7-39-1?

    abs

  5. Cassiano Gobbet

    Vaga tá cheio. Do grupo do Dunga, pelo menos uma meia dúzia vai porque é “chegada de fé” dele, caras que foram leais quando ele estava ferrado. Aprecio isso, mas não numa seleção. Aí, a não ser que seja um caso romarial (onde o cara abertamente desafiava a autoridade do técnico), não dá para tratar com o mesmo peso um Ronbaldinho Gaúcho e um Afonso Alves.

  6. Cassiano Gobbet

    Olha, também acho que realmente parece problema de verdade, mas o ponto é que SINCERAMENTE não acredito em nada impossível. Se Adriano abandonar o futebol em alguns anos ele estará na sarjeta. Sendo tudo verdade, é a típica situação de um astro em processo de imolação. abs

  7. Gilson

    Lamento pelo cara e torço para que ele encontre uma saída definitiva para todos esses problemas. Ele parece esses astros do esporte norte-americano que jamais conseguem tirar o comportamento gangsta da própria vida. Aí você vê cara que ganha um verdadeiro absurdo sendo preso e perdendo contrato$ vários por patrocinar briga de animais, entrar armado no vestiário etc.

    E encontro uma triste semelhança entre o que acontece com o Adriano hoje e aquilo que protagonizou o Válber tem cerca de 16/17 anos. O ex-defensor do tricolor é um dos meus jogadores favoritos de sempre. Podia ter jogado em um gigante da Europa com alguma facilidade.

    Mas jamais teve cabeça…

  8. Gilson

    “pobre seleção, até acho compreensivel ele não ir em consequencia dos problemas, mas ele não indo, a seleção brasileira começa a ficar próxima da Eslovênia no quesito qualidade de jogadores…” (2)

  9. Raphael

    pobre seleção, até acho compreensivel ele não ir em consequencia dos problemas, mas ele não indo, a seleção brasileira começa a ficar próxima da Eslovênia no quesito qualidade de jogadores…

  10. Ramon

    Agora, só porque você mudou de ideia (aparentemente), eu vou torcer pelo Love (o cara parece ser muito gente fina!) na Seleção.

    Com uma possível contusão de Kaká, imagino o escrete canarinho praticando seu futebol bailarino com Felipe Mello, G. Silva, Josué e J. Batista; Vagner Love e Robinho – reeditando a inesquecível seleção que calou o mundo derrotando a seleção argentina (a propósito, merecido aquele Oscar para “O segredo de seus olhos”, apesar do nome ser frutífero para um futuro filme adulto) por 3 x 0.

    Acho que uma possível contusão do Kaká, antes da Copa, abriria vaga para mais um volante, que, ao meu ver, é necessário no momento, assim como a barração do Adriano abrirá vagas para o Love, que parece ser gente fina.

  11. (Comentario jocoso): tá vendo como uma vaga para Ronaldinho no grupo aparece fácil, fácil?

  12. Acredito que Adriano tenha problemas de verdade. Não faria o menor sentido aprontar essas prezepadas às vesperas de uma Copa e buscando reencontrar seu espaço (agora ainda mais reduzido) no futebol europeu.
    Dizem que o atacante confidenciou a amigos que está pensando em abandonar novamente o futebol. Alheia e tudo, a presidente Patrícia Amorim acena com a possibilidade de rescisão de contrato.
    Que situação…

    Abraço.

1 Pingback

  1. Opiniões em Campo

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top