Esclarecendo o esclarecimento esclarecido para não mais esclarecer

Decidi escrever novamente sobre torcida, bairrismo e afins. Mais uma vez volto a um assunto que é a cara do jornalismo esportivo no Brasil: uma discussão com hálito de cerveja com torresmo. Papo de boteco. Pretendo não mais escrever sobre variações do tema. Futuras ocorrências de falta de educação ou déficit intelectual serão ignoradas. Aos leitores frequentes e não frequentes, mas educados, fica meu sincero pedido de desculpas.

Um leitor no post anterior ficou indignado porque eu disse que “o Flamengo subir na tabela era símbolo de mutreta”. Outro, disse que eu “acredito em armações no Brasileirão”. Anteriormente, outros me fizeram acusações similares. Embora não precise dar justificativa, queria esclarecer alguns pontos.

Eu nunca disse nem que o avanço do Flamengo era sinal de mutreta nem que acredite em armações no Brasileirão. Os leitores se utilizaram de sofismas, desenvolvendo sobre minha afirmação um raciocínio aparentemente lógico, mas na verdade, inconclusivo.

Sobre o Flamengo: cansei de dizer e repito: Flamengo e Corinthians SEMPRE terão mais ajuda de árbitros que outros clubes, assim como Manchester United na Inglaterra ou Real Madrid na Espanha. Mais torcida significa mais audiência e maior audiência resulta em maior pressão. Qualquer cidadão, mesmo com a capacidade de raciocínio mais reduzida, sabe que na dúvida entre Flamengo e Lodo Azul FC, o juiz vai dar a falta para o Flamengo. Isso é natural. Não quer dizer que o Flamengo roube e muito menos que não mereça estar onde está. Quer dizer que o Fla e o Timão têm uma predileção da mídia. Nada de novo aqui.

Sobre acreditar em armações no Brasileirão: claro que jamais disse acreditar nisso. Essa afirmação sugere que eu creia que a arbitragem é comprada genericamente. O que eu disse é que – explicando de modo infantil – a arbitragem do Carlos Eugenio Simon NO JOGO Fluminense x Palmeiras era suspeita. Aí, as configurações políticas do esporte no Brasil, que são radicadas no Rio e têm muito, mas muitíssimo mais influência dos dirigentes cariocas do que seus pares paulistas, contribuem amplamente para a suspeita NAQUELE jogo específico, uma vez que ao perder, o Palmeiras beneficiava dois times do Rio. Times do Rio esses que têm VASTO trânsito na CBF e mais ainda no STJD. Ou seja: não acredito em “armações”, mas sim em suspeita “naquele jogo”; não acho que o Flamengo avançar na tabela seja suspeita de mutreta, mas NO CONTEXTO, ajuda a hipótese de favorecimento por parte do Símon a ser crível.

Gosto muito de observações que inquiram sobre algo que eu disse. Geralmente elas têm um nível legal. Se eu dei uma informação errada, ser corrigido por um leitor não é uma vergonha, mas uma colaboração. Mas, além de exigir os ditames básicos da educação, eu gostaria que os textos fossem lidos com um pouco mais de atenção. Eventualmente, trechos que eu escrevo saem em outros lugares distorcidos por 1) uma visão de torcedor cega de paixão, 2) incapacidade de interpretação de texto, algo que se aprende por volta dos 10 anos de idade, 3) pressa de atender à demanda de interatividade da Internet, 4) má fé, 5) uma combinação de alguns desses itens  ou 6) tudo isso junto.

Há torcedores que não entendem críticas aos seus times. A bem da verdade, nem têm a obrigação de entender. Torcedor não precisa ser racional. A obrigação de qualquer um, no entanto, é a de ser educado. Como já disse antes, muitos (mas muitos mesmo) dos meus colegas, têm medo de falar contra esse ou aquele clube porque o torcedor fica irritado. Só fazem críticas quando há unanimidade. Não faz meu gênero. Se o leitor não gosta, lamento.

Anteriores

Arbitragens e outros crimes

Próximo

O melhor campeonato é o mais disputado?

11 Comments

  1. Exato. Eu compreendi isso. Mas no contexto foi também isso que causou uma interpretação errada da minha parte.

    Abs!

  2. Cassiano

    Hani, o Flamengo não tem força “na CBF” mas sim nos meandros do poder do futebol. Vc escutou a frase que um auditor disse ao Vagner Love dizendo a ele que se as tranças fossem rubronegras ele teria suspensão menor? Isso é um acinte. A briga sobre o título de 1988 é pq a CBF organizava o Brasileiro fantoche vencido pelo Sport (que diga,-se, não temn culpa nenhuma de ter aquele título). O Fla se beneficia dessa pressão mediática, mas também é escravo dela: vale ver que com tres vitorias, ja se inicia um oba oba no clube que parece ter voltado a contar com Zico e Adilio. abs

  3. Cassiano

    Allan, o trecho que vc mencionou é exatamente isso: caso tenhamos mais arbitragens polêmicas daqui ao fim do campeonato, a lisura dele estará em jogo. abs

  4. Cassiano,

    Compreendi melhor agora o seu ponto de vista, já que a sua crença na possível armação era direcionado apenas ao jogo entre Palmeiras e Fluminense. Corrigi o texto no meu blog, pois não seria justo.

    Quero apenas esclarecer que não se trata de má fé da minha parte em momento algum. Foi apenas um mal entendido gerado principalmente por causa do trecho em que você cogitou a falta de lisura do torneio. “Logo, a lisura do torneio (ou a falta dela) se esclarecerão nas próximas rodadas”. Mas com essa nova explicação tudo ficou mais claro, fique tranquilo.

    Abraços!

  5. Hani Hassan - Teresópolis-RJ

    O Flamengo tem tanta influência na CBF, que temos um título brasileiro legítimo sem o devido reconhecimento. E tão beneficiado quanto o Flamengo no caso foi o SPFC.

    Sigo achando infeliz o comentário, embora no primeiro momento tenha subentendido a mensagem, pois o Flamengo subiu na tabela com as próprias pernas e muitas vezes sendo prejudicado pela arbitragem, o que infelizmente é normal no Brasil e o erro pode ocorrer a favor quanto contra (mais a favor do que contra, pela questão de mídia que você citou e eu concordo, mas não tem sido o caso).

    Mas enfim, o esclarecimento foi de grande valia e achei legal da sua parte tê-lo feito.

  6. Raphael

    acho que em todo mundo o torcedor é assim, mas parece que aqui o pessoal exagera, eu mesmo no post referido, fiz menção a questão da interpretação, porque pra mim tinha me parecido uma coisa, embora você posteriormente tenha dito que era outra… interpretação é algo complicado, onde podem ocorrer erros, agora, o que acho que não deveria ocorrer são julgamentos óbvios e sem fundamentos, como “meu time foi roubado” e outros, o problema do post anterior, pra mim, é gancho pra se discutir o papel e a qualidade da arbitragem brasileira, que é extremamente ruim, não porque erram em lances capitais, mas porque não há critério algum, e tem erros que chegam a ser inaceitáveis, vide o Simon dando impedimento em cobrança de lateral…

    enfim, deu pra entender o que você quis dizer, novamente válido o registro.

  7. Alexandre

    Nesse sentido que pensei mesmo, o de aproximar mais à uma liga de juízes, em que eles sejam cobrados profissionalmente. Erros sempre vão existir, mas já ajudaria bem.

  8. Alexandre

    Nesse sentido que pensei mesmo, o de aproximar mais à uma liga de juízes, em que eles sejam cobrados profissionalmente. Erros sempre vão existir, mas já ajudaria bem.

  9. Cassiano

    Num mundo ideal, onde não houvesse trairagem, onde os homens não se matassem, não existisse fome no mundo e os programas tipo Cidade Alerta fossem proibidos, a arbitragem seria profissional, gerida independentemente, as federações seriam eleitas pelos clubes de acordo com o peso deles (ex: Flamengo teria muito mais peso que Madureira) e TODO mundo teria de pagar imposto. Mas se a gente continuar aproximando o nosso futebol do modelo de oprganização europeu (que tb não é perfeito), já estará ótimo.

  10. Cassiano

    Num mundo ideal, onde não houvesse trairagem, onde os homens não se matassem, não existisse fome no mundo e os programas tipo Cidade Alerta fossem proibidos, a arbitragem seria profissional, gerida independentemente, as federações seriam eleitas pelos clubes de acordo com o peso deles (ex: Flamengo teria muito mais peso que Madureira) e TODO mundo teria de pagar imposto. Mas se a gente continuar aproximando o nosso futebol do modelo de oprganização europeu (que tb não é perfeito), já estará ótimo.

  11. Alexandre

    Sobre a questão da midia é a mais pura verdade, infelizmente.

    Qualquer time grande jogando em casa com um time menor, tende a ser mais ajudado pela arbitragem; não é o correto, mas acontece há tempos.

    Desvincular a arbitragem do STJD e da CBF poderia ajudar a acabar um pouco essa situação promíscua na sua opinião?

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top