Arbitragens e outros crimes

Eu não sou do tipo de jornalista – nem de torcedor – que acredita no “juiz ladrão”. Não acho que para um juiz entrar em campo comprado e decidir um jogo, seja tão fácil. Se um time for muito melhor que o outro, não há uma falta invertida que faça o serviço.

Exemplos não faltam

Por exemplo: não acredito que o título do Botafogo de 1995 tenha sido “roubado” por Marcio Rezende de Freitas, que anulou gol legítimo do Santos. Que o gol foi erradamente anulado, isso é fato consumadíssimo, mas a histeria criada com o episódio foi fruto da velha guarda da imprensa paulista, de Milton Neves que, santista assumido, tratou o caso com rigor draconiano, e pela torcida do Santos, que estava devastada pela perda do título e acreditaria até na tese conspiratória mais ridícula (que nem era o caso – a “tese” contra o juiz era boa).

Em relação ao mesmo juiz, tenho menos convicção em relação à sua imparcialidade no jogo entre Corinthians e Internacional, em 2005, quando Fabio Costa quase matou Tinga e o colorado acabou expulso. Mas de modo geral, acho difícil um árbitro decidir um jogo que não seja entre dois times parelhos.

No Maracanã, ontem, contudo, o Palmeiras foi roubado. Roubadíssimo. Com uma desfaçatez que choca. Os dois outros erros que eu consigo me lembrar do mesmo nível de cara de pau são do mesmo Carlos Eugenio Símon. – na decisão do campeonato cearense deste ano, quando Edu Sales sofreu falta cometida pelo vento e Símon deu pênalti e na Copa do Brasil de 2007, quando não deu o pênalti mais claro do mundo. Logo, sendo o árbitro da CBF por várias copas consecutivas e com seu currículo recente, desconfiar de Símon não é um absurdo.

A combinação de interesses ao redor do jogo faz mesmo crer em mutreta. O presidente do Fluminense, um cidadão que na minha opinião não sabe se comportar adequadamente em público, é cardiologista de Ricardo Teixeira – que torce para o Fluminense e que cujo genro é um Tricolor histórico, João Havelange. A postura incômoda do presidente do Palmeiras junto à CBF – a de um cara que não participa de esquemas. O histórico de Símon. O Flamengo avançando na tabela.  Tudo leva a crer que haja mesmo algo de podre do reino da Dinamarca. O único fator complô do qual discordo é da “força nos bastidores” do São Paulo (leia abaixo)

Não é segredo que um título do Palmeiras é muito menos interessante para o “establishment” do que um do Flamengo, por exemplo. Um título do São Paulo também seria “incômodo”, porque daria vazão aos gênios que dizem que o “campeonato fica sem graça”, com um time quatro vezes campeão (ou seja: muito melhor é um grande “Roletrando”, com oitenta jogos mata-mata e um sorteio para dar “emoção” ao campeonato. “Roba da stronzi”.

Logo, a lisura do torneio (ou a falta dela) se esclarecerão nas próximas rodadas. Eu não sou palmeirense e até aqui, achei que o favorito era o Palmeiras, com o São Paulo sendo o único time capaz de aguentar o empuxo da reta final. Mas confesso: depois da partida de ontem, passei a acreditar que o verdão tem adversários a mais em campo – mesmo se não está jogando bem o suficiente para evitar palhaçadinha de juiz.

Anteriores

A força dos bastidores do São Paulo

Próximo

Esclarecendo o esclarecimento esclarecido para não mais esclarecer

19 Comments

  1. Cassiano Gobbet

    Hani, resolvi fazer um post sobre o assunto para aplacar sua fúria. Não sou bairrista não, mas se você quiser achar assim, só posso lamentar perder um leitor legal como você. abs

  2. Hani Hassan - Teresópolis-RJ

    O Flamengo subindo nas tabelas é um indício de que há complô de arbitragem? Por que tanta falta de respeito com o Flamengo. Há alguns posts atrás, após o Flamengo ter sido claramente prejudicado em várias partidas, essa mesma idéia de favorecimento ao Flamengo, foi intitulada por você como coisa de débil mental. Agora, mesmo tendo o Flamengo tido dois penaltis marcados contra sí em puxôes na área contra o Santos, você me fala que o fato de subirmos na tabela é sinal de mutreta?

    Sinceramente, que decepção. Não achei que você fosse esse tipo de jornalista bairrista. Lamentável.

  3. Cassiano

    Júnior, reclamaçnao sobre a conspiração dos grandes sempre vai existir. A questão é que a natureza da organização do futebol brasileiro faz com que paulistas e cariocas se confrontem pelo poder, mas a CBF sempre esteve no Rio. Como eu disse, gosse em SP, seria a mesma coisa só que ao contrário. As reclamações dos não-flamenguistas do Rio sobre o Flamengo são mais que centradas: mesmo que sem roubalheira, na duvida, o juiz pende para o lado do time maior. E só o Corinthians se aproxima do Flamengo em pressão mediatica no Brasil. Mas por favor, não interprete a reclamação como bairrista. É só uma constatação. SP não é melhor nem pior que o RJ. A diferença entre oprimidos e opressores é o poder. Na essência, nada muda.

    O Obina não admitiu nada sobre ter feito a falta. Isso foi uma entrevista que o Simon deu ao Zero Hora. Pelo menos segundo a cobertura de hoje. Eu nao vi a falta no Obina porque uma camera de dentro do gol mostra o Obina por uns 30s antes do gol e ele nem se aproxima do marcador. abracao

  4. Júnior

    Você não deixa de ter razão no fato dos times do Rio serem beneficiados pela sede do futebol nacional ser lá. Porém, escuto mineiros e gaúchos reclamando dos paulistas tanto quanto dos cariocas. Vejo também tricolores, botafoguenses e vascaínos reclamando dos benefícios ao Flamengo.
    Erro de arbitragem acontece todo jogo, mas só dão relevância àqueles que interessam (por exemplo, ninguém lembra que o suposto pênalti derivou de erro na marcação de escanteio).
    Outra coisa, o Obina assumiu durante o jogo que realmente fez falta, mas infração que ninguém marca. E agora? Ele também está errado?
    Há um interessante comentário aqui sobre o desvio de foco.
    Abraços.

  5. Alexandre

    Sem contar que JUÍZ CASEIRO é algo que existe no futebol desde os tempos de Charles Muller.

  6. Alexandre

    Valeu Cassiano!

    Tb acho que o Ricardo Teixeira não é muito afeito ao futebol, e não seria absurdo pensar que ele falou do Flamengo mais para fazer uma média com a “massa”.

    O Simon faz o jogo desse pessoal, e penso que o erro de domingo, teve mais a ver com a parte de baixo da tabela, como qdo o time pernambucano foi prejudicado no Engenhão (e obviamente não teve grande repercussão na mídia).

  7. Gilson

    Não lembro desse pênalti na Copa do Brasil 2007. Lembro, isso sim, de uma espetacular performance do Simon na final do mesmo campeonato, mas em 2002. Aquele Corinthians x Brasiliense foi histórico…

  8. Cassiano Gobbet

    Tuiuan, não sei se viajei não. Conheço a figura do Belluzzo e sinceramente não sei se ele faria algo do gênero se não soubesse de algo. E a anulação do gol foi um escândalo. O Simon é um árbitro medíocre, mas a sucessão de erros “táticos” dele levanta muitas suspeitas. Muitas. O que eu digo aqui, todos os jornalistas sérios (do RJ e SP e qualquer outro lugar) dizem fora da câmera. Só não escrevem porque não querem se comprometer. Um abração.

  9. Cassiano Gobbet

    Alexandre, obrigado pela correção. de fato ele se diz flamenguista sim, mas tendo a achar que ele não gosta de time nenhum – só do Ricardo Teixeira FC. Agora, ele é parte da “aristrocracia” das Laranjeiras há décadas. Ninguém ligado ao Havelange não é. A observação foi nesse sentido – e não literal. Mas valeu pela nota.

  10. Cassiano Gobbet

    Ao xingá-lo como xingou, o Belluzzo só tirou o foco da discussão. Ao invés de crucificarem o Simon, agora todos se dividem entre bater um prego no Simon e outro no Belluzzo. Foi uma grande c…

  11. Cassiano Gobbet

    Não, caro: se vc interpretou assim, faço a retificação: o Flamengo realmente melhorou e aproveitou as patinadas dos outros. Mas é fato: o Fla na frente é melhor para todo mundo. A manchete “Botafogo campeão” vende 2% do que vende a manchete “Flamengo campeão”. E sim, o Flamengo leva vantagem nos tribunais (a ponto de um auditor falar ao Vagner Love publicamente no STJD que se ele fosse flamenguista a suspensão era menor). Agora, nesse campeonato o Fla não foi mais beneficiado que ninguém. Mas certamente também não foi mais prejudicado. Abs e obrigado pelo registro.

  12. Cassiano Gobbet

    Meu caro, concordo com sua opinião sobre a figura do presidente, mas o fato é que os círculos de poder do futebol brasileiro são no Rio e estão a um passo da cartolagem carioca. Fosse em SP ou Piauí, seria a mesma coisa. Uma outra coisa que concordo é que o Palmeiras não merecia vencer. Mas que anular o gol verde foi acintoso, ah, isso foi.

  13. Júnior

    Não vejo ninguém comentar sobre o lance anterior ao “pênalti”, que foi um tiro de meta favorável ao Fluminense invertido para escanteio palmeirense.
    Não vejo ninguém falar que o “pênalti” foi a única chance de gol palmeirense.
    Não vejo ninguém falar que o Palmeiras perdeu para três times da zona de rebaixamento e que não está jogando nada há algumas (muitas) rodadas – pelo jeito, não vai nem para a Libertadores.
    Nessa onda, até o Ricardo Teixeira se tornou tricolor…

    Por fim, o Presidente do Fluminense é uma figura patética, incapaz até de armar um esquema desses.

  14. Raphael

    eu custo a acreditar em esquemas, acredito mesmo que os árbitros são ruins, alguns como o Simon, extremamente, vide o impedimento em cobrança de lateral que ele já marcou em Copa Libertadores… em relação ao Ricardo Teixeira, pelo que consta, ele é flamenguista… e o seu texto dá entender em algumas partes, talvez eu que tenha entendido mal, que o Flamengo só está onde está pelos “esquemas” e não pelo bom futebol apresentado em algumas partidas, além de em 13 partidas, ter 9 vitórias, 3 empates e 1 derrota… enfim, válido o registro, abraço!

  15. rodrigo

    concordo que o arbitro eh horrivel e deve ser banido do futebol mas nao adianta nada o presidente do palmeiras falar um monte sobre ele.
    do que adianta os cartolas dos clubes reclamarem sobre os arbitros se sao eles mesmo que perpetuam o teixeira no poder?
    se quiserem um campeonato mais ‘transparente’ os clubes devem se organizar e deixarem de ter rabo preso com a globo e a cbf.

  16. Alexandre

    Penso que justamente por essa parte da imprensa que hj se discute mais a arbitragem do que o jogo, na maioria das vezes, sem um critério de análise bem feito.

    Acho que o erro de ontem se parece mais com os erros de Boatafogo e Náutico há algumas rodadas; a salvação dos “grandes” contra o rebaixamento e não para prejudicar algum time para o título, ainda que a presença do Flamengo na briga pelo seja um fator a se observar.

    Em relação à bola no campo, porém, o Flamengo com o pouco badalado Andrade faz o que o “novo melhor do Brasil” Muricy não faz; tenta jogar um futebol mas técnico e ofensivo.

  17. Alexandre

    “… é cardiologista de Ricardo Teixeira – que torce para o Fluminense e que cujo genro é um Tricolor histórico, João Havelange.”

    O Ricardo Teixeira pelo que sei é flamenguista:
    http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/1989/artigo67958-1.htm

  18. Gilson

    Esse tipo de coisa não acontece no futebol brasileiro, o mais limpo e correto do planeta. O fato, por exemplo, de José Roberto Wright e José de Assis Aragão estarem sempre envolvidos em partidas decisivas do Flamengo na década retrasada – curiosamente a época em que o clube carioca vencia campeonatos -, é puro acaso.

    O futebol brasileiro conta em seus quadros com pessoas tão corretas que nossos legisladores sabiamente não se preocupam em criar nada que impeça armações de resultados, mutretas etc.

    Coisas assim existem apenas em nações ainda em desenvolvimento, como Alemanha e Itália.

  19. Tuiuan

    Cassiano, viajou um pouco ai heim

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top