O futebol

Hoje, um possível comprador da Roma e do Bologna foi intimado a prestar esclarecimentos à polícia por agiotagem.

O Manchester City pertence a uma pessoa que tem – dele – US$ 300 bilhões – e cuja família tem US$ 1 trilhão.

O Chelsea pertence a um cara que há quinze anos era vendedor e vive do óleo russo, enquanto Portsmouth, Notts County e vários clubes ingleses estão na mão de gente cuja origem do dinheiro não se tem ideia.

Até há alguns anos, quando se falava do lado negativo em um clube grande como o Milan ter como dono um político como Silvio Berlusconi, sombrancelhas ficavam em pé.

Perto dos Gaydamaks, Al Fayeds e Abramovichs, Berlusconi é uma bonequinha de pano…

Anteriores

Botafogo…Bo-tafogo…cam-peão…desde 1910…

Próximo

Surpreendente São Paulo

3 Comments

  1. Alexandre Kazuo

    Carissimo. Responda se puder ou se tiver tempo para tal. Uma vez na época em que o tailandes Taksin Shinawada comprou o Man. City ouvi dizer que havia um tipo de 'teste de idoneidade' para alguém começar a investir na Premier League. O procedimento é real? Qual a probabilidade do mesmo ser burlado ou 'feito nas coxas' caso isso realmente exista? Abs!

  2. Diogo

    Cassiano, e o Mauricio Macri que proporcionou ao Boca um catatau de títulos, mas raspou os cofres do clube?

  3. Gilson

    Essa é uma excelente discussão. O fato indiscutível é que o futebol de clubes na Europa alcançou um patamar muito alto. O Berlusconi já previa algo assim uns 20 anos atrás. A coisa chegou a tal ponto que na CL até hino existe antes das partidas, exatamente como nos jogos entre seleções. O problema é que manter e aperfeiçoar esse espetáculo requer muito e$forço. Cada vez mais.

    Não é necessário mencionar que do esforço para tentar suprir essa necessidade nasceu uma quantidade bem razoável de aberrações. Venho dizendo já faz tempo que na Inglaterra, onde tudo parece ter saído mais do controle, a FA só irá se coçar quando um clube grande (‘Pool ou M. United) quebrar – coisa que hoje é difícil, mas não impossível.

    O Uli Hoeness está coberto de razão quando diz que é inconcebível um clube com € 600 milhões de dívidas como o Real Madri, não sei de onde ele tirou esse valor, mas deve saber do que fala, sair por aí torrando quase a metade dessa grana em um mês contratando reforços para o elenco.

    Talvez esteja analisando tudo pelo ângulo errado, mas é bem provável que todo o trabalho de muita gente acaba resultando em nada, pois é difícil você ter muitos players realmente competitivos no esporte de alto nível. No tênis, por exemplo, todo mundo sabe que Federer e Nadal estão em outra dimensão. Outro dia o Cielo declarou que naquela final dos 100m livres em Roma ele lutava contra um francês pelo ouro.

    O futebol sempre esteve descolado da realidade do mundo, mas agora a coisa chegou a um nível de esquizofrenia perigoso. Daqui a pouco deve ter gente se dando mal nessa brincadeira.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top