Nos últimos dois dias a imprensa brasileira passou a reportar uma aproximação entre Corinthians e o atacante marfinense Didier Drogba. Na última sexta-feira tinha-se a impressão de negociação avançada entre clube paulista e staff do atacante de 38 anos, que defendeu o canadense Montreal Impact em 2016.

Porém neste sábado começaram a surgir indícios de que a situação parece configurar um rumor. O periódico francês L’Équipe divulgou nota expressando uma declaração de Tcherno Seydi, agente de Drogba, o qual assegurou que não houve nenhum contato entre Corinthians e staff do atleta marfinense.

Ao passo que a suposta aproximação começou a ser divulgada, algum descrédito em relação ao status atual de Drogba, também passou a ser dito pela imprensa. Muitos olham a negociação enquanto “furada”, que pode agravar ainda mais os problemas financeiros pelos quais o Corinthians atualmente passa.

Entretanto em aspectos futebolísticos, Drogba se mostra muito mais pleno do que Ronaldo “fenômeno” quando chegou ao Corinthians em 2009, e num nível muito acima ao de Jô, re-integrado ao time alvinegro no fim de 2016.

Por onde anda Drogba?

A negativa de Seydi divulgada pela imprensa francesa é minimamente confiável, uma vez que Drogba, nascido na Costa do Marfim, foi formado no futebol francês desde as categorias de base. No início de sua profissionalização o atacante jogou por Le Mans, Guingamp e Olympique de Marseille entre 1998 e 2004, anteriormente à sua chegada ao inglês Chelsea, onde se tornou ídolo e atacante world class.

Drogba adentrou a fase crepuscular de sua carreira após o título da Champions League que o Chelsea obteve na temporada 2011/2012. Ainda que decisivo na final contra o FC Bayern, Drogba não teve o vínculo renovado. De lá pra cá, passou pelo Shanghai Shenhua (China), Galatasaray (Turquia), voltou ao Chelsea para a temporada 2014/2015 e seguiu para o Montreal no decorrer de 2015.

Com a seleção marfinense

Com a seleção marfinense

A equipe canadense disputa a Major League Soccer norte-americana e num primeiro momento, tudo indicava que Drogba deveria se preparar para ser auxiliar técnico de José Mourinho, seu mentor desde a chegada à Inglaterra; e seguir trabalhando no Chelsea. Mourinho porém foi demitido dos blues no fim de 2015.

Voltando a repercussão da notícia, o que espanta é o desconhecimento de muitos jornalistas acerca do status recente de Drogba. Diz-se que o jogador teve o contrato rescindido com o Montreal, devido “a briga com o treinador” em novembro. A temporada 2016 da MLS encerrou-se em outubro.

Drogba disputava posição com atletas de pouco renome como Michael Salazar (de Belize), Matteo Mancosu (italiano) ou Andrés Romero (argentino), conhecido do público brasileiro após passagens por Criciúma e Náutico. Uma insatisfação de Drogba seria mais do normal em meio ao contexto, até porque o Montreal perdeu a vaga canadense para a Champions League da Concacaf, para o Toronto.

A equipe de Drogba ficou em décimo primeiro lugar na classificação geral da MLS 2016. Os números do marfinense na última temporada foram bons, computando 27 partidas e 11 gols.

Se vier para o Corinthians…

Drogba estava num mercado futebolístico rico ainda que de baixo nível técnico. A MLS atrai jogadores renomados no futebol europeu, mas em fim de carreira. Por outro lado, um atleta regular na MLS pode estar num nível acima a jogadores entregues ao futebol chinês/árabe, sendo ainda perfeitamente cabível para os padrões do futebol brasileiro.

O atacante marfinense atuou regularmente na última temporada americana, logo não há por que desconfiar de sua capacidade, caso o Corinthians o contrate. O status recente de Drogba é superior ao de Jô, que aos 29 anos já se vê em franca decadência técnica/física.

De 2015 para cá Jô atuou no futebol árabe (Al Shabab) e chinês (Jiangsu Suning). Anteriormente Jô atuou no futebol europeu entre 2005 e 2010 (CSKA Moskow, Manchester City, Everton, Galatasaray), protagonizou casos de indisciplina na Inglaterra, e não obteve metade dos êxitos de Drogba. O último grande êxito do atacante revelado pelo próprio Corinthians foi a conquista da Libertadores 2013, jogando pelo Atlético/MG.

Em seu período áureo, Drogba foi protagonista do Chelsea em pelo menos quatro de cinco títulos da Premier League inglesa, quatro títulos da FA Cup, além da citada CL 2011/2012. Foi também campeão da Süper Lig turca 2012/2013 e campeão da copa turca 2013, pelo Galatasaray.

Drogba é o maior artilheiro africano da Premier League (104 gols) e da Champions League (44 gols). Disputou ainda três Mundiais pela Costa do Marfim. Drogba esteve nas copas do mundo de 2006, 2010 e 2014.

No quesito futebol Drogba pode ser algo tão certeiro quanto a passagem do meia holandês Clarence Seedorf pelo Botafogo entre 2012 e 2013. A aposta financeira que parece atrair o departamento de marketing do Corinthians, é que se configura enquanto incógnita, uma vez que o custo benefício do marfinense é alto.

O salário de Drogba estaria em torno de US$ 150 mil mensais (quase R$ 500 mil), o que anualmente resultaria em quase US$ 2 milhões. A “marca” Drogba para os brasileiros não é tão expressiva quanto aquilo que Ronaldo “fenômeno” ofereceu ao Corinthians, entre 2009 e 2011. Ressaltamos que o aspecto marketing pode estar totalmente desvinculado daquilo que o jogador rende em campo.

Em contraparte, mesmo diante de um vencimento alto para os padrões sul-americanos, Drogba chegaria sem custos de transação, ao contrário de Alexandre Pato, por quem o Timão pagou R$ 41 milhões em 2013.

Imagem de Drogba ainda no Chelsea: AFP