Nas últimas quarta e quinta-feiras aconteceram os jogos das semi-finais da EURO 2016, que está sendo disputada na França. Portugal e a seleção francesa conseguiram obter as duas vagas para a decisão, que acontecerá no próximo domingo.

Na quarta-feira a seleção portuguesa enfrentou a sensação País de Gales em Lyon, vencendo os galeses por 2×0. O time lusitano ostentava um déficit físico, uma vez que disputou duas prorrogações nas partidas válidas pelas oitavas e quartas de final, respectivamente contra Croácia e Polônia derrotadas nos pênaltis.

Pelo lado galês, o treinador Chris Coleman teve os desfalques dos suspensos Davies e Ramsey. A falta de um plantel com mais peças qualificadas obrigou Coleman a escalar o time de forma demasiado defensiva, num 5-3-2, módulo não utilizado pela equipe em todo o torneio.

Cristiano Ronaldo (à esquerda, de verde) no lance do primeiro gol português. (Getty)

Cristiano Ronaldo (à esquerda, de verde) no lance do primeiro gol português. (Getty)

A ausência do zagueiro Ben Davies implicou no uso de um defensor de área a mais, formando-se assim uma linha de cinco defensores. Somado a isto, a força ofensiva de contra-ataques se viu minada, com a ausência de Aaron Ramsey. Não tomar gol era a estratégia de Coleman.

A partida mostrou-se equilibrada com Portugal definindo a vitória nos detalhes, na segunda etapada. Aos 50 min, Cristiano Ronaldo anotou seu primeiro gol no torneio, aproveitando cruzamento de Raphaël Guerreiro. Três minutos depois, Nani ampliou dando números finais à partida.

No dia seguinte Alemanha e França fizeram um aguardado duelo, em que o Nationalelf do treinador Joachim Löw sofreu com os desfalques de Sami Khedira e Mario Gómez (por lesão), além do suspenso Mats Hummels. Também pesava contra os alemães a disputa de uma prorrogação, ocorrida contra a Itália nas quartas de final.

Os franceses mantiveram-se “frios” por quase todo o primeiro tempo, onde a Alemanha ostentou maior volume de jogo. Os bleus abriram o placar aos 45 min, com Griezmann, cobrando pênalti causado pelo alemão Bastian Schweinsteiger, que por sua vez tocou a bola com uma das mãos.

Na segunda etapa o desgaste físico cobrou o seu preço, mediante os atletas de Joachim Löw. Os franceses mantiveram-se em postura defensiva, aproveitando os contra-ataques em velocidade. Aos 72 min, Griezmann ampliou após grande jogada de Paul Pogba, dando os números finais do confronto realizado em Marselha. Placar final Alemanha 0x2 França.

A grande final:

Domingo 10/07: Portugal x França, 16 hr.

Na decisão os franceses deterão algum favoritismo. A equipe do treinador Didier Deschamps atua em casa, não terá nenhum desfalque por suspensão, nem por lesão física. Os franceses tem um condicionamento físico privilegiado, uma vez que avançaram o mata-mata sem submeterem-se a nenhuma prorrogação.

Pelo lado lusitano, a esperança da torcida portuguesa se concentra na possibilidade de uma boa apresentação de Cristiano Ronaldo. O time do técnico Fernando Santos deve manter a mesma postura defensiva que vem ostentando, mas tem contra si o acúmulo de minutos jogados acrescentados de duas prorrogações já disputadas.

No Brasil a final da EURO 2016 que acontece em Saint Denis (Paris/França) será exibida pela Band e Sportv, com possibilidade da Globo também abrir transmissão.