França: Deschamps sem Benzema por tempo indeterminado.

A exclusão de Karim Benzema da seleção da França por tempo indeterminado em virtude da acusação de chantagem, criou um problema considerável para o treinador bleu Didier Deschamps. Basicamente, os franceses tentam consolidar um processo de renovação, desde o vice-campeonato no Mundial de 2006.

A grande verdade é que desde a aposentadoria de Zinedine Zidane, a seleção francesa não conseguiu consolidar nem uma liderança técnica em campo, nem uma liderança moral em meio ao grupo. E o contexto é bastante curioso, uma vez que o sempre sereno Zizou protagonizou uma cabeçada em Materazzi, enquanto seu último ato de futebolista profissional, na final perdida para a Itália em 2006.

Turbulento passado recente.

No Mundial seguinte em 2010 na África do Sul, o time francês foi eliminado na primeira fase com alguns protagonistas convivendo com uma acusação judicial criminal, em virtude da solicitação de serviços a uma prostituta menor de idade. O treinador à época Raymond Domenech, cortou jogadores em meio à partidas oficiais.

Atletas chegaram a entrar em conflito físico com membros da comissão técnica e o meia-atacante Franck Riberý chegou a fazer um dramático desabafo público, diante das câmeras da imprensa. O citado processo judicial envolvia diversos atletas do time, incluindo-se Riberý e o próprio Benzema. Todos acabaram absolvidos.

Depois do “bafão” de 2010 a Federação Francesa de Futebol iniciou um plano de renovação, primeiro com o treinador Laurent Blanc, no comando do time que disputou a EURO 2012. A equipe foi eliminada nas quartas de final, mas houve uma reformulação. Em contraparte, o meia-atacante Samir Nasri deu mostras de destempero nos bastidores e nunca mais foi convocado.

Blanc saiu e a FFF empossou Didier Deschamps na trilha que levaria os bleus ao Mundial 2014, no Brasil. A renovação de peças se consolidou e ainda revelou-se promissora com o surgimento de Paul Pogba e Antoine Grizemann. No Brasil, no ano passado os bleus foram eliminados nas quartas de final pela campeã Alemanha. O time de Deschamps tinha como liderança técnica em campo, Karim Benzema.

Sem Benzema.

Embora hajam peças de reposição, Benzema (27 anos) é um atleta na plenitude mental e física. O atacante ostenta marca de 25 gols anotados em 75 partidas pela seleção. É o artilheiro máximo dentre os selecionáveis franceses da atualidade. Segundo o periódico espanhol El País, Benzema contabiliza também 15 assistências para gol.

Suas qualidades incluem além da capacidade de definição dentro da área, a possibilidade de se deslocar pelos lados do campo, e a aptidão em jogar sem a bola e/ou de costas para o gol. Nos desenhos táticos usados por Deschamps 4-2-3-1 ou 4-1-4-1, Benzema é peça fundamental inicialmente como o homem de referência único. Mas que pode permutar com os atletas das linhas de 3 ou 4 meias ofensivos, atrás de si. Grizemann e Anthony Martial muito provavelmente entre eles.

No aspecto mental de Benzema, o El País destacou uma menção pública feita por Deschamps. O treinador disse recentemente que Benzema “encanta a muitos”, mas a ele Deschamps “encanta muito mais”. O ex-capitão francês disse que Benzema hoje é “claramente o maior goleador da França”.

O atleta do Real Madrid é um jogador pleno em termos futebolísticos. O dito de Deschamps coincidiu com o período inicial da atual temporada em que o treinador blanco Rafa Benítez, vinha tirando-o de campo antes do término das partidas. A opção do técnico merengue gerou burburinho na imprensa espanhola mas de fato, deu-se em virtude dos problemas físicos que acometeram o jogador.

Opções

A França dispõe sim de atletas diferenciados como os citados Grizemann ou Pogba. Porém, a peça de reposição imediata para Benzema é Olivier Giroud (29 anos), que vem sim fazendo boa temporada pelo britânico Arsenal. Giroud no entanto, é um centroavante de maior vigor físico e menor preponderância técnica.

Segundo o El País, Giroud que fez parte do time no Mundial 2014, tem 13 gols em 45 partidas pela França. Na atual temporada anotou 9 gols em 18 partidas pelo Arsenal, onde tem sido titular absoluto. “Correndo por fora”, Grizemann contabiliza 11 gols em 20 partidas pelo Atlético de Madrid e Martial apenas 5 gols em 9 jogos pelo Manchester United. Griezmann é titular da França, mas não como atacante de área. Martial será o maior privilegiado no grupo, em decorrência da ausência de Benzema.

Convém lembrar que Deschamps se queixou de duas recentes aposentadorias da seleção. Samir Nasri (atualmente no Manchester City) se aposentou prematuramente, após não ter sido convocado para o Mundial 2014. O treinador disse publicamente de forma irônica, que Nasri deveria ir “jogar com a seleção feminina”.

Depois de ser cortado por problemas físicos antes do Mundial 2014, Franck Riberý anunciou aposentadoria da seleção bleu. Deschamps por sua vez, disse publicamente que gostaria que Riberý repensasse sua decisão. O veterano meia-atacante voltou a atuar pelo FC Bayern recentemente, após 265 dias de ausência.

Os últimos títulos expressivos da França foram o Mundial 1998 e a EURO 2000. O sorteio dos grupos da EURO 2016, que será realizada na França, acontece neste sábado às 15 hr (horário de Brasília). Band e Sportv exibem o evento no Brasil.

Imagem de Griezmann e Benzema (camisa 10): Eric Gaillard – Reuters

Alexandre Kazuo é blogueiro de futebol há mais de 10 anos. Ex-colaborador do Trivela (2006-2010) e ex-blogueiro do ESPN FC Brasil (Lyon). É mestre em filosofia contemporânea e também procura por cultura pop, punk/rock/metal.
Twitter – @Immortal_Kazuo