Na última terça-feira o Real Madrid recebeu o sueco Malmö em Madrid (Espanha), pela última rodada da fase de grupos da Champions League. Já classificados no grupo A, blancos e Paris Saint-Germain definiriam os rumos dos seus respectivos adversários mais frágeis, e que disputavam o terceiro posto/vaga para Europa League.

O Real Madrid tentava se desvencilhar das turbulências, mais de bastidores do que de aspecto futebolístico de fato. Cobranças de imprensa/torcida surgiram após a derrota por 4×0 para o Barcelona (por La Liga), há cerca de três semanas. Mais críticas vieram após a eliminação punitiva da Copa Del Rey, em virtude da escalação irregular de Cheryshev, naquele torneio.

Em campo.

Contra o Malmö, Rafa Benítez se valeu de um desenho tático em 4-3-3 escalando Kiko Casilla, Danilo, Pepe, Arbeloa e Nacho. Casemiro, Kovačić e James Rodríguez. Isco, Cristiano Ronaldo e Bezema. É preciso ressaltar que Danilo, James e Benzema não são titulares absolutos no momento.

O treinador blanco poupou Gareth Bale, Luka Modrić e Daniel Carvajal. O galês, o croata e o espanhol tiveram suas prioridades direcionadas para o compromisso do fim da semana por La Liga. Ambos estão alguns passos à frente no que diz respeito a recuperação de lesões físicas, se comparados à James e Benzema.

Com tal disposição a coisa voltou a funcionar sem atropelos e os blancos venciam por 3×0 ao fim da primeira etapa, com dois gols de Karim Benzema e um de Cristiano Ronaldo. O francês em especial teve uma atuação habitual, lembrando que ao atleta também foi um vértice turbulento nas últimas semanas, devido à acusação judicial de chantagem que sofreu.

Na segunda etapa, CR7 ampliou com mais três gols. Destaque na partida, Mateo Kovačić fez o sétimo gol e Benzema completou seu hat-trick fazendo o oitavo. Kovačić concedeu grande dinamismo ao meio-campo merengue, apresentando movimentação nitidamente superior à do ausente Toni Kroos.

Kovačić demonstrou disposição na recuperação de bolas e se for mantido, se tornará um contraponto muito interessante à Casemiro, mais uma vez fixo à frente da linha de quatro defensores. Até a sair de campo aos 65 min, James se aglutinava à Kovačić/Casemiro, mais recuado no intuito de conter a posse de bola.

O tridente ofensivo se designava com Isco aberto pela direita, CR7 pela esquerda e Benzema como referência, completando o 4-3-3. A imprensa espanhola enalteceu a boa partida do capitão Pepe, que também se recupera de lesão. Com a partida resolvida, Benítez o tirou de campo aos 52 min, para a entrada de Marcelo. Porém é preciso ressaltar que a fragilidade técnica do Malmö obscureceu a falta de ritmo de James e Benzema, por exemplo.

À Rafa Benítez resta observar quem de Sérgio Ramos/Varane se recupera primeiro para voltar ao miolo de zaga junto à Pepe. O treinador está concedendo minutos aos principais jogadores que retornam de lesão. No momento há poucos titulares absolutos e com certeza, os que estiverem em momento melhor, serão privilegiados.

Com a derrota por 2×1 para o PSG, o Shakhtar Donestk ficou com o terceiro posto do grupo A, e consequente vaga para a EL. O Malmö se despediu da Champions League.

Foto de Cristiano Ronaldo (de branco), no lance do sexto gol: Kiko Huesca – EFE