Certa vez Vitor Sérgio Rodrigues, comentarista da Esporte Interativo descreveu o técnico alemão Jürgen Klopp, enquanto sujeito dotado de fisionomia similar a de “cientista maluco” de desenho animado. A armação preta do óculos de lentes redondas e a fisionomia ainda jovial de Klopp (48 anos), realmente o faz diferente de outros treinadores de grandes clubes europeus.

Ainda seguindo a alusão bem humorada de Vitor Sérgio, que com certeza se referiu ao cientista do desenho “O Laboratório de Dexter”, a armação do óculos de Klopp e sua fisionomia trazem à mente a caracterização do Normalman, obscuríssimo personagem dos quadrinhos yankees independentes.

Trajado como um nerd e usando um par de óculos, Normalman (ou “homem normal”) era o único cidadão sem super poderes de um planeta povoado por super-heróis. Era uma paródia dos super-heróis convencionais, descaradamente aludidos por toda a trama e desde sempre lidos e cultuados por nerds. O Normalman (grafado oficialmente enquanto “normalman”, com n minúsculo) foi criado pelo renomado Jim Valentino.

The Normal One

O britânico Liverpool Football Club anunciou neste fim de semana a contratação do treinador Jürgen Klopp, praticamente uma semana depois de anunciar a demissão do norte-irlandês Brendan Rodgers. Klopp interrompeu sua temporada “sabática”, que sequer completou um semestre. Assinou vínculo de 3 temporadas a um soldo de 6,5 milhões de Euros por temporada.

Ao seu estilo, Klopp disse em sua primeira coletiva no último sábado que não queria descrever a si mesmo, mas se o fizesse diria que é “the normal one”. Toda imprensa futebolística europeia, tomou a declaração bem humorada enquanto paródia daquilo que José Mourinho disse, quando chegou ao Chelsea em 2004 (“Eu sou the Special one”).

Klopp minimizou a atual situação do Liverpool na Premier League (décimo lugar, doze pontos em oito partidas). O ex-técnico do Borussia Dortmund porém, frisou a dificuldade de disputa da Premier League, onde “6 ou 7 times podem ser campeões”. Em contraparte, a dura constatação não necessariamente deve representar um desastre aos outros competidores. O treinador alemão afirmou que trará um futebol de transições, intensidade e movimentação.

O fato do Liverpool apostar num técnico de fora da Inglaterra por si chama a atenção, devido ao chauvinismo britânico que implica em dar pouco crédito, a treinadores de fora das ilhas britânicas. Vale lembrar que eles inventaram o futebol. A mentalidade de Klopp aplicada de forma vitoriosa no Dortmund, pode funcionar num clube de ambições continentais superiores ao do tradicional time aurinegro alemão.

O Dortmund tradicionalíssimo na Alemanha, venceu uma CL ao passo que o Liverpool venceu cinco. Porém o último título red da CL veio há dez anos. Já o último título inglês, foi conquistado há 25 anos atrás. Nas últimas cinco temporadas o Dortmund de Klopp venceu duas Bundesligas e foi vice-campeão de uma CL.

Para competir com as potencias milionárias em voga na Premier League, será necessária a perspicácia de Klopp, que afirmou anteriormente ainda na Alemanha, que é mais interessante ter ideias e integrar “o time que vence o time mais rico”.

O Liverpool volta à campo pela Premier League no próximo fim de semana, após encerramento da data FIFA de jogos de seleções. Os reds visitam o Tottenham Hotspur em Londres.

Imagem de Klopp se apresentando pelo Liverpool: Craig Brough – Reuters