Para qualquer time do mundo, á exceção de dois ou três gigantes milionários, vencer o Barcelona é improvável mas não impossível. Uma grande euforia se formou em torno do Athletic Bilbao, após o time basco vencer por impensáveis 4×0, a equipe catalã. A ocasião se deu na última sexta-feira, na partida de ida da decisão da Supercopa da Espanha.

A Supercopa espanhola alinha os dois últimos vencedores de La Liga e da Copa Del Rey. Uma vez que o Barcelona venceu os dois torneios na última temporada, o Bilbao vice-campeão da Copa, ganhou o direito de disputar a Supercopa. Anos atrás, vencer a Copa Del Rey era um sonho possível para times médios e “nanicos” da liga espanhola.

O panorama porém mudou de 2009 para cá, com Real Madrid e o próprio Barcelona também “monopolizando” a Copa Del Rey. Blancos e culés venceram juntos cinco edições da competição desde 2009 ao passo que Sevilla e Atlético de Madrid, venceram uma cada, neste mesmo período. O Athletic Bilbao elenca exatas 23 conquistas da Copa Del Rey, em sua sala de troféus.

O Athletic Bilbao apresenta um perfil que se enquadra perfeitamente na maneira “pés no chão”, das forças médias espanholas se configurarem num cenário pautado pelo fair play financeiro da UEFA. A postura ideológica do time de origem basca considera apenas em seu plantel atletas de origem local, o que o priva de dispender valores vultuosos por atletas de apelo midiático.

Dispõe também de uma bem organizada categoria de base. Na última temporada a equipe conseguiu eliminar de forma surpreendente o italiano Napoli, na fase de playoffs que rateia as últimas vagas para a fase de grupos da Champions League. Porém uma vez dentro do torneio, não conseguiu avançar ao mata-mata.

A Europa possível.

Por outro lado, avançar a Europa League é um sonho possível para o Bilbao, uma vez que as últimas quatro edições do torneio tiveram três vencedores espanhóis. Há um domínio espanhol recente no torneio. O Atlético de Madrid venceu a edição 2011/2012 e o Sevilla é o atual bi-campeão consecutivo da disputa.

O periódico espanhol El País ressalta a preferencia do treinador Ernesto Valverde por jogadores “rodados”, ainda que tenha as contratações limitadas pela naturalidade de origem dos jogadores. A equipe atual tem o lateral Bóveda (ex-Eibar), o defensor Elustondo (vindo da rival Real Sociedad) e o meia Eraso (ex-Leganés), que roubou a cena na primeira eliminatória da EL.

O Athletic bateu o Inter Baku (Azerbaijão) e o destaque foi Eraso, anotando dois gols na partida realizada nos domínios bascos de San Mamés. Time basco segue vivo na disputa da Europa League 2015/2016. Além dos citados, o veterano Aritz Aduriz autor de três gols contra o Barcelona na última sexta, é um dos vértices do time. Aduriz (34 anos) tem passagens pelo Mallorca e pelo Valencia.

Vale lembrar que o regimento ideológico do Athletic permite a entrada de treinadores de origem não basca. Sob comando do argentino Marcelo “el loco” Bielsa, a equipe foi vice-campeã da Europa League na temporada 2011/2012. Foi derrotado exatamente pelo Atlético de Madrid naquela ocasião.

Bielsa lapidou jogadores como Fernando Llorente (Juventus) e Javi Martínez (FC Bayern). O radicalismo que procede dentro do Athletic se dá em virtude do nacionalismo do País Basco, que se julga culturalmente diferente e foi anexado ao reino espanhol à força.

O Athletic agora visita o Barcelona na partida de volta da Supercopa espanhola, que acontece já nesta segunda-feira. Uma terceira partida contra os culés acontecerá na primeira rodada de La Liga em 23 de agosto. O clube basco venceu o campeonato espanhol em oito oportunidades.

Imagem de Aduriz (à esquerda) comemorando um de seus gols contra o Barcelona: Miguel Toña – EFE