Já estão encerrados os quatro primeiros jogos de ida das quartas de final da Champions League 2014/2015. A italiana Juventus bateu o Monaco por 1×0 em Turim (Itália) e o atual campeão Real Madrid empatou em 0x0 com o rival Atlético de Madrid no Vicente Calderón (Madrid/Espanha).

O lusitano FC Porto surpreendeu um desfalcado FC Bayern, com os portugueses derrotando os bávaros por um bom placar de 3×1. Em Paris, o PSG padeceu com um elenco sofrendo com problemas físicos, na véspera e durante o jogo contra o Barcelona. Os catalães venceram por 3×1.

Na última terça-feira, na Juventus Arena (Turim), o Monaco mostrou boa resistência diante da Juve, sendo o time monagesco a zebra nestas quartas de final. Com uma postura cautelosa tipicamente italiana e sofrendo da carência de alguma criatividade no meio-campo pelo desfalque de Paul Pogba, a Juve obteve uma vitória pragmática contando com a sorte.

O gol da vitória pelo placar mínimo foi anotado pelo chileno Arturo Vidal, que cobrou um penalti duvidoso, marcado sobre Morata numa falta fora da área. A vantagem obtida é razoavelmente boa e a Juventus, que não é candidata ao título, se classifica para as semifinais com um empate sem gols, na partida de volta.

O maior derby do mundo.

Em Madrid (Espanha) o equilíbrio deu a tona em Atlético de Madrid 0x0 Real Madrid, ao contrário do que os leigos possam supor, apenas olhando os nomes que os merengues tem a disposição no plantel. Foi o sétimo derby realizado entre os clubes madrilenhos nesta temporada e pela sétima vez, o Real Madrid não conseguiu vencer. Porém, os galácticos conseguiram ao menos empatar.

Pelo lado colchonero, o técnico Diego Simeone utilizou bem sua estratégia de povoar o meio-campo, congestionando o setor mesmo com o Real Madrid detendo da posse de bola. A partida foi nervosa, com o “Atleti” abdicando de atacar em nome do jogo coletivo defensivo.

A equipe rojiblanca também contou com grandes defesas do ótimo goleiro esloveno Jan Oblak, que fez seis defesas difíceis só no primeiro tempo. Oblak custou 16 milhões de Euros ao Atlético, é o goleiro mais caro da história do futebol espanhol. O esloveno de 23 anos, se destacou na última temporada guardando a meta do lusitano Benfica, vice-campeão da Europa League.

O Real Madrid teve o gol de Casillas ameaçado frequentemente apenas no fim da segunda etapa. Entretanto, Sergio Ramos abusou do direito de sair jogando errado por diversas vezes na partida. A equipe de Carlo Ancelotti se valeu da pouca efetividade ofensiva do Atlético para não perder.

O 4-3-3 de Ancelotti só funciona se o adversário estiver disposto também a jogar com a bola nos pés. A “guerrilha” que consiste em não deixar o adversário jogar tem sido aperfeiçoada por Simeone. O resultado foi muito bom para o Atlético, que se classifica na partida de volta na casa do rival, se obtiver uma vitória simples ou empate com gols.

A ascensão do “Atléti” nas últimas temporadas com títulos, revalidou a importância do derby madrilenho. Atlético x Real está hoje num patamar superior a outros clássicos de cidades europeias importantes, como o derby inglês Manchester United x Manchester City e muito superior ao derby de Milão, Milan x Internazionale.

Na quarta-feira.

O FC Porto recebeu o FC Bayern no Estádio do Dragão (Cidade do Porto/Portugal) e surpreendeu em noite inspirada de Ricardo Quaresma. O Bayern teve vários desfalques incluindo-se Robben, Ribery e Schweinsteiger. O Porto saiu na frente com Quaresma cobrando penalti cometido pelo goleiro bávaro Neuer.

Os lusitanos aumentaram para 2×0 também com Quaresma que aproveitou falha do zagueiro brasileiro Dante, do Bayern. Os bávaros descontaram com o hispâno-brasileiro Thiago Alcântara, que 1×2 ainda na primeira etapa. No segundo tempo, os dragões ampliaram com Jackson Martinez que deu números finais a partida em 3×1.

O placar dá uma situação confortabilíssima ao Porto que pode perder por até dois gols de diferença, na partida de volta em Munique (Alemanha).

Inoperante PSG.

Em Paris, o técnico do PSG Laurent Blanc lidou com desfalques desde a véspera da partida contra o Barcelona. O PSG não teve Verrati e Ibrahimović suspensos, mais as lesões de David Luiz e Thiago Motta, algo que desmontava seu sistema defensivo. David Luiz ainda foi relacionado e surgiu no banco de reservas.

O Barcelona abriu o placar aos 18 min após jogada de Messi pelo centro que culminou em gol de Neymar, pelo lado esquerdo de seu ataque. No reinício, o capitão parisiense Thiago Silva deixou o campo, obrigando Blanc a mandar David Luiz para campo. A partida era tranquila para o Barcelona, que no segundo tempo chegou aos 3×0 com dois gols de Suárez. O uruguaio valeu-se de lances que expuseram a fragilidade física de David Luiz.

O PSG descontou com bola chutada por Van Der Viel que culminou em gol contra de Mathieu aos 42 min do tempo complementar. Na partida de volta os catalães também podem perder por dois gols de diferença no Camp Nou. As partidas de volta já acontecem nas próximas terça e quarta-feiras.

Foto de Griezmann e Sergio Ramos disputando lance em Atlético x Real Madrid: Javier Soriano – AFP