Após empatar com o Málaga pela rodada de fim de semana de La Liga espanhola (2×2), o Atlético de Madrid que se mantem tem terceiro lugar (66 pontos) da liga nacional, se prepara para enfrentar o rival Real Madrid. O derby visto na final da última edição da Champions League será re-editado nesta terça, pelas quartas de final da atual edição do torneio continental.

O periódico espanhol El País chama a atenção para a presença do meia espanhol Koke, que não atuou nas partidas das oitavas de final da CL contra o Bayer Leverkusen, por estar se recuperando de lesão. Em Madrid, Koke tem sua reputação elevada por ter sido revelado pelo próprio “Atleti”.

A importância do meia no Vicente Calderón está se tornando tão retumbante em termos de caracterização de uma “bandeira”, quanto aquela representada pelo atacante Fernando Torres. Na seleção espanhola, Koke já está sendo escalado por Vicente Del Bosque na função que outrora pertencia a Xavi Hernandez, já aposentado da fúria.

Em “la roja”, Koke é o segundo homem de meio-campo, ao lado de Busquets, com Isco abrindo pela esquerda e Iniesta se deslocando para o lado direito. O meia colchonero está se tornando a liderança técnica/mental tanto da Espanha, quanto do Atlético de Madrid.

Koke no meio-campo colchonero.

O Atlético já encaixa uma sequência de oito jogos sem derrota na liga espanhola, o que coincide com o retorno de Koke ao time titular. O técnico rojiblanco Diego Simeone enaltece tanto a capacidade do meia em retomar a bola, quanto à sua visão de jogo. O El País frisa a insistência do Atlético em criar jogadas pelo lado direito, algo que se intensifica quando Koke está ausente.

Simeone aponta que sua equipe precisa ocupar melhor o campo esquerdo, cabendo ao francês Griezmann abrir jogo pela banda esquerda. O que contribui para o pouco uso deste lado do campo é o fato de Jesús Gámez ser um lateral esquerdo destro. A lacuna pelo lado esquerdo porém, tem ocorrido desde a partida do lateral-esquerdo Filipe Luís, negociado com Chelsea. Detalhe este que nós do 90 Minutos também já ressaltamos.

O El País afirma que nesta temporada o Atlético alçou 417 bolas da direita para a área adversária. Pelo lado esquerdo foram apenas 306 bolas alçadas para a área. O próprio Simeone confirma que aglomerar homens pelo lado direito acarreta num espaço menor para o meia turco Arda Turan trabalhar.

Arda pode proporcionar jogadas “um contra um”, devido a maior habilidade com a bola nos pés. Koke porém, postado como primeiro homem do meio-campo colchonero. facilita a saída de jogo, tanto para a direita quanto para a esquerda. Contra o Real Madrid, haverão poucos espaços e a contenção da posse de bola proporcionada por Koke, pode ser um “boost”.

O El País ressalta que a formação 4-3-3 do Real Madrid sem interditor fixo, favorece o jogo do Atlético que em seis confrontos nesta temporada, venceu os blancos em todos. Toni Kroos é o primeiro homem do meio-campo blanco, mas quando perde a bola, não dispõe de cobertura.

O El País frisa o trabalho de Koke e Arda mais um meio-campista colchonero (Tiago ou Gabi) que acompanhe o lateral que avançará, fazendo-lhe a cobertura em caso de perca da posse de bola. O último confronto entre colchoneros e merengues acabou em 4×0 para o Atlético, em partida válida pelo returno de La Liga espanhola, realizada em fevereiro.

Foto de Koke caído na partida do último sábado contra o Málaga: Jorge Guerrero – AFP.