Champions League: oitavas de final – ida – jogos encerrados.

1424900373_868711_1424901146_noticia_normal

Na última quarta-feira tivemos os últimos dois jogos referentes às oito partidas de ida das oitavas de final da Champions League 2014/2015. As partidas ocorridas em duas semanas, trouxeram alguns resultados previsíveis e algumas zebras, representadas pelos êxitos de Bayer Leverkusen e Monaco. Confira todos os resultados:

Semana 1: PSG 1×1 Chelsea, Shakhtar Donestk 0x0 FC Bayern, Schalke 04 0x2 Real Madrid e Basel 1×1 FC Porto.

Semana 2: Manchester City 1×2 Barcelona, Juventus 2×1 Borussia Dortmund, Bayer Leverkusen 1×0 Atlético de Madrid e Monaco 3×1 Arsenal.

Os jogos da semana 1, mostraram algum equilíbrio. O impossível foi feito pelo ucraniano Shakhtar Donestk, que empurrou um empate sem gols ao FC Bayern, tirando-lhe ainda Xabi Alonso, expulso que cumpre suspensão no jogo de volta. Os bávaros alemães no entanto, seguem favoritos, tal qual o Real Madrid que venceu previsivelmente o Schalke 04, em domínio alemão.

O lusitano FC Porto terá a vantagem do empate sem gols na partida de volta em Portugal, diante do suíço Basel. Situação semelhante à do Chelsea, diante do PSG na partida de volta em Londres. Há uma chance mínima do time parisiense surpreender, porém derrotar o Chelsea atuando em postura defensiva dentro de Stamford Bridge, é uma missão ingrata.

Semana 2.

A semana 2 de jogos que acabou de se encerrar trouxe um grande confronto entre Manchester City 1×2 Barcelona, ocorrido em Manchester (Inglaterra), na última terça. Pelos primeiros 45 min, o Barcelona atuou de forma muito parecida com o Barça de 2011, campeão da própria CL e do Mundial de Clubes.

A identidade do modo de jogar e a formação em 4-3-3 foram resgatados por Luís Enrique. Em campo os atletas deste momento podem executar funções que os atletas daquela temporada, o faziam sob comando de Pep Guardiola. As diferenças entre o Barça 2011 e Barça 2015 são sutis. No meio hoje há um Rakitić tecnicamente superior à Seiydou Keita (hoje na Roma), que por sua vez era um volante de maior presença física.

Junto a Iniesta, como se viu no confronto conta o City, Rakitić se aproxima mais do perfil de Xavi, hoje em decrepitude. No ataque, Messi ainda prossegue, mas hoje há Luís Suárez, um atacante de área decisivo como David Villa, que o Barça tinha em 2011. Neymar pelo lado esquerdo é mais talentoso que Pedro, hoje na reserva. O problema do brasileiro é ocupar o mesmo espaço que Iniesta ocupa, quando ambos atuam juntos.

De qualquer forma, no primeiro tempo da partida contra os citzens, o Barça voltou a trocar 40-50 passes durante, dois ou três minutos seguidos, sem que o City conseguisse tomar-lhe a boa. Os culés são favoritíssimos à classificação na partida de volta que acontece no Camp Nou, independente de qualquer fator que envolva o aproveitamtento de Messi, em cobranças de penaltis.

Além do Barça.

Na Itália, a Juventus foi enfática vencendo o Borussia Dortmund por 2×1. Reside porém algum equilíbrio para a partida de volta no Signal Iduna Park, domínios de Dortmund onde o time aurinegro já obteve alguns “milagres”. Na última quarta as “zebras” se revelaram com a vitória do Bayer Leverkusen sobre o Atlético de Madrid. E a grande partida feita pelo Monaco, vencendo categóriacamente o Arsenal em Londres.

O jogo entre Leverkusen e Atlético em especial foi equilibrado, com os alemães vencendo num lance isolado, com um tiro de fora da área de Çalhanoglu. O treinador rojiblanco Diego Simeone voltou a lidar com contratempos de natureza física do plantel, obrigando-se a fazer duas alterações ainda na primeira etapa.

O destempero emocional colchonero tem sido um problema, como se viu na beira do gramado em alguns momentos com discussões entre Simeone, seu auxiliar e ex-goleiro Burgos e o técnico do Leverkusen, Roger Schimit. A estratégia da marcação dura parando o jogo com faltas, custa eventuais suspensões, tal qual a de Tiago, expulso por segundo cartão.

O meia lusitano colchonero cumpre suspensão no jogo de volta em Madrid. O Atlético tem condições de vencer, mas o Leverkusen mostrou que os “times médios” alemães, podem complicar a vida de muita gente. O atual nível do futebol alemão, deve sim ser respeitado.

As partidas de volta das oitavas de final passam a acontecer a partir de 10/03.

Foto da finalização em gol de Çalhanoglu do Leverkusen contra o Atlético: Alex Grimm – Getty Images.