Na última quarta-feira, o Barcelona bateu o Villarreal sem muitos esforços por 3×1, dentro do Camp Nou (Catalunha/Espanha). A partida de ida foi válida pela semifinais da Copa Del Rey. O destaque foi o volante/zagueiro argentino Javier Mascherano que atuou em sua posição de origem, como primeiro homem de meio de campo, na vitória contra o submarino amarillo.

“El jefecito” (ou “o chefinho”) foi enaltecido pela imprensa espanhola após o jogo. Nós do 90 Minutos já ensaiamos sobre a questão, no início da temporada, quando Luís Enrique deu mostras de que utilizaria-o em sua posição de origem. Mascherano, volante de origem, foi deslocado para a zaga central no período Pep Guardiola. Seria tolice não usa-lo no meio-campo, após Mundial esplendoroso em que Mascherano comandou a seleção argentina vice-campeã, atuando como volante.

Luís Enrique havia escalado Mascherano como volante no jogo contra o Ajax, pela primeira fase da Champions League, véspera do “superclássico” de La Liga, em que os culés acabaram derrotados por 3×1 pelo Real Madrid, em outubro último. Foi a primeira ocasião na temporada em que o argentino atuou no setor, sendo recuado após a vitória contra os holandeses, para o jogo contra os merengues. Contra o Villarreal na última quarta, Mascherano foi adiantado em nome de uma “folga” para Busquets, poupado. Matheiu preencheu a lacuna do argentino na zaga.

Com Mascherano a frente da linha de quatro defensores, D. Alves e Alba podem avançar sem deficiência de cobertura. O periódico espanhol El Pais ressaltou as qualidades do argentino, eficiente num jogo contra times que valem de ataques velozes, caso do Villarreal. Segundo o El País, Mascherano é incomparável na antecipação, caso falhe no desarme, tem velocidade para se recuperar.

Além de ser “el rey del tackle”, ou no bom português brasileiro, “rei do carrinho”, conseguindo executar o movimento visando a bola e sem derrubar o adversário. O treinador do Barcelona Luís Enrique, por sua vez elogia a capacidade de “leitura de jogo” do volante. No time argentino vice-campeão Mundial, Mascherano atuava da mesma forma que Alejandro Sabella escalava Juan Sebastian Verón, no time do Estudiantes La Plata, vencedor da Libertadores 2009.

O El País contabilizou sete partidas de Mascherano como volante nesta temporada. Seus números no entanto, são superiores aos de Sergio Busquets. O argentino recupera média de 10,8 bolas por partida, contra 5,8 de Busquets. “El jefecito” porém, comete uma falta para cada 0,8 de Busquets. No quesito passes, Mascherano realiza média de 88,2 passes dos quais 81,8 são certos. Busquets tem média menor de 70,8 passes por partida dos quais 65 são certos.

Neste fim de semana o Barcelona volta a campo pela liga espanhola, recebendo o Levante no Camp Nou, pela vigésima terceira rodada. Os blaugrena são vice-líderes do torneio com 53 pontos, um a menos que o líder Real Madrid.

Foto: Mascherano antecipando-se a Vietto do Villarreal na última quarta: Alejandro Garcia – EFE