Um dia após o empate em 2×2 entre Atlético de Madrid e Real Madrid pela Copa Del Rey, a imprensa espanhola ainda festeja a participação de Fernando Torres, que anotou os dois gols colchoneros no certame. O resultado confirmou o Atlético nas quartas de final do torneio. Além de comprovar que “el niño” de fato, não é um jogador decadente.

A enfase emocional no retorno de Torres (hoje com 30 anos) ao Atlético, se dá tanto no âmbito clubístico quanto no âmbito da seleção espanhola. No âmbito clubístico tem-se um jogador revelado pelo próprio time rojiblanco, capitão do time principal com apenas 18 anos.

O atacante vivenciou um período colchonero de “vacas magras”. Torres foi lançado no time principal na temporada 2000/2001 com a equipe na segunda divisão.  Integrou posteriormente o grupo que foi campeão da segunda divisão na temporada seguinte, voltando a disputar a elite da liga espanhola na temporada 2002/2003.

“El niño” foi negociado em 2007, para que o Atlético simplesmente pudesse fechar o caixa. A chegada de Torres ao inglês Liverpool coincide com o início da grande trajetória da maior seleção espanhola de todos os tempos. Torres fez o gol da vitória por 1×0 sobre a Alemanha, na final da EURO 2008 o primeiro grande título da história da “fúria” espanhola. Em termos de ídolos nacionais, Torres retorna à Espanha no momento do crepúsculo da geração que também venceu o Mundial 2010 e a EURO 2012. David Villa e Xavi por exemplo, já se aposentaram da seleção.

No aspecto clubístico, “el niño” pode vencer títulos importantes pelo Atlético, pois retorna num período em que o patamar do time que o revelou mostra-se muito diferente daquele dos tempos em que ele foi negociado. O periódico espanhol El País enfatiza o aspecto produtivo do atacante, sendo que sua volta não se trata apenas de um ato para agradar a torcida colchonera.

Ainda útil em termos técnicos e táticos.

O El País frisa as palavras do treinador Diego Simeone que disse que a ele “só interessa a parte desportiva do regresso”. Torres por sua vez mostra-se atento a necessidade de adaptar-se ao método de Simeone e à necessidade de contribuir na marcação. “El niño” disse: “Vou entendendo um pouco melhor a maneira de jogar da equipe mais trabalhadora da Europa, o que não é fácil. O Atlético tem que trabalhar muito para poder competir contra equipes como o Real Madrid, cada detalhe é muito importante. Se houver um descuido com a pressão, a equipe pode sofrer muito.”

Em termos táticos o time do Atlético com Torres realmente se assemelha ao módulo que Simeone tinha ao dispor na temporada passada, com Diego Costa (atual Chelsea). Torres também é um contraponto interessante ao croata Mandzukić, atacante de área de maior vigor físico. Na partida da última quinta como titular, Torres mostrou um trunfo válido ao jogar com Griezmann gravitando ao seu redor.

O francês que chegou ao Vicente Calderón nesta temporada, atua com Torres de forma muito parecida com a forma como atua na seleção da França, quando faz dupla com Karim Benzema. Por outro lado, Torres que sofreu com seguidas lesões em sua estada na Premier League inglesa, não tem condições de enfrentar sistemas defensivos que se valem de defensores pesados. Mandzukić ainda se faz essencial no plantel.

O El País também ressalta palavras de Pep Guardiola (atual técnico do FC Bayern) sobre “el niño”: “Fernando Torres é perfeito para o Atlético. Simeone gosta de jogar contra-atacando e Torres se encaixa perfeitamente tanto no clube, quanto no sistema. É um craque na equipe de seu coração”. Para o periódico espanhol, a meta do Atlético de Madrid em frequentar assiduamente a Champions League necessita da manutenção de Simeone no comando. Mas Torres é um chamariz midiático e atrativo comercial.

A representatividade de Torres para os espanhóis é similar àquela exercida por Raul Gonzales, hoje ex-Real Madrid, até a metade da última década. Um jogador espanhol revelado e que atua num clube tradicional da capital espanhola. E que pelo espirito de liderança, pode conduzir uma renovação na seleção espanhola. Perfil de jogador que o atual Real Madrid hoje não tem.

O Atlético de Madrid volta a campo neste domingo, recebendo o Granada no Vicente Calderón às 14 hr (horário de Brasília), pela décima nona rodada de La Liga. No Brasil a liga espanhola está sendo exibida pela ESPN e pelo Sports +.

Foto de Torres finalizando bola que culminou no primeiro gol da partida contra o Real Madrid na última quinta: Alejandro Ruesga.