Mourinhite

“No ano que vem é melhor eles darem logo o título para o Barcelona”. O desabafo de Cristiano Ronaldo, logo após a eliminação do Real Madrid na semifinal da Liga dos Campeões, é um sintoma de uma doença que já tinha tido epidemias em Stamford Bridge e em San Siro. Nos dois focos anteriores, contudo, os sintomas da mesma tinham sido notados com menor freqüência, uma vez que lá, os infectados venciam mais (e por isso, exibiam menos esses sintomas). Trata-se da Mourinhite, a incapacidade crônica de saber perder, que causa negação, mal-estar, irritabilidade aguda e irresponsabilidade.

A parte da negação é a mais simples de constatar. Mesmo sem ter forçado o segundo gol, o Barcelona manteve a partida sob controle de uma forma tão explícita que chega a ser ridículo o chorinho de Cristiano Ronaldo, que mais uma vez, fraquejou quando tinha de dar um murro na mesa dentro de campo (errou 40% de seus passes, só para citar uma cas estatísticas). Sozinho, Xavi deu o equivalente a metade dos passes certos do Real Madrid; o Barça acertou 85% de seus passes, 16% a mais que o rival; cometeu um terço das faltas e chutou quatro vezes mais a gol. Estatísticas podem encobrir verdades, mas no caso do jogo de ontem basta escolher o critério e ver que o melhor foi o Barcelona.

O mal-estar é óbvio. Depois de um jogo no qual um time deu uma demonstração tão crassa de superioridade, qualquer resmungo do Real Madrid causa constrangimento. Houve um gol legal? Por mais paradoxal que seja, não interessa. Se o Barcelona apertasse o passo, teria feito outros. Erros de arbitragem acontecem e certamente, o árbitro belga De Bleckeere não entrou para operar o Real Madrid. Se assim, fosse, poderia ter dado o vermelho a Ricardo Carvalho e feito o Real terminar seu quarto jogo em cinco com um jogador a menos (fato que os negacionistas interpretarão como parcialidade na arbitragem, mas que não é difícil de entender num time que tem em Pepe Butcher seu jogador vital).

A irritabilidade aguda é um sintoma que se podia ver no rosto do astro português. Ronaldo é um fenômeno com a bola nos pés, mas não suporta situações de pressão. Nos quatro jogos, só conseguiu apresentar o que sabe (e certamente sabe muito) quando ainda tinha o tempo jogando ao seu favor. Assim como Ibrahimovic, o luso vai definhando conforme vai se dando conta de que é dele a responsabilidade. E ontem, coroou sua apresentação nota 5,5 com a queixa sobre o “poder” do Barcelona (como se ele jogasse no Getafe…).

A irresponsabilidade causada pela Mourinhite é um sintoma mais amplo. Se dá quando pessoas que têm projeção global por causa dos cargos que ocupam não se dão conta de que ao falar, podem criar um estado de tensão que coloca multidões em risco. O irresponsável presidente do Corinthians é um exemplo do mesmo sintoma da Mourinhite (embora não tenha o talento que o técnico português tem numa fração de cutícula). Nesses casos (e como Mourinho faz há semanas), o personagem em questão não percebe que pode causar uma tragédia pela tensão que põe nas situações (o episódio no qual o próprio Mourinho quase foi esfaqueado é um exemplo disso).

A leitura final dos quatro conforntos entre Real e Barça é simples. O Barça é melhor. Muito melhor. Mas o Real é um clube à altura e só por isso, já equilibra as coisas. O Real voltou a ser um time – um time que bate, joga feio, chora, late, mas um time, e isso é mérito de José Mourinho. Pena para ele que todos os pontos baixos do confornto – acusações, agressões, expulsões, dúvidas, mágoas, também tenham ido para a sua conta. Ele poderia estar sendo elogiado como o técnico que recolocou o Real em no caminho de poder disputar com o Barcelona em um ou dois anos, mas em vez disso, sai da temporada como o vilão que não sabe perder. As duas coisas são verdadeiras, mas a última é mais verdade que a primeira.

Anteriores

Pazzini fez dois contra o Cesena e um contra o futuro

Próximo

Choque de realidade

16 Comments

  1. Daniel Mendes -BH

    Cristiano Ronaldo não fraquejou. Fez o gol decisivo na Copa do Rey e sua grande jogada nesse jogo resultou em um gol que se não fosse mal anulado, faria a disputa pegar fogo. Vc só fica pegando no pé do portugues e hamenizando com o Kaka que há anos não joga nada. Hj na Europa não existe dúvidas Messi é o melhor disparado Cristiano o segundo melhor disparado e depois vem o resto. Se vc acha que algum jogador vai arrebentar mesmo jogando em um time infinitamente inferior e com 35% de posse de bola o senhor está enganado! Cristiano Ronaldo é craque sim! Messi é gênio! O resto é nop máximo acima da média…

  2. Cassiano Gobbet

    Kazuo, eu acho o Mourinho o melhor técnico do mundo. O ponto é que ele não entende que no futebol, nem tudo se decide na pressão. O Barça é muito superior e só perderia para o Real se houvesse uma falha deles mesmos. O Manchester é inferior ao Barça, mas justamente por saber isso, é um adversário muito mais perigoso. Será uma grande final. abs

  3. Cassiano Gobbet

    Na hora do jogo, acho que ninguém sabe mesmo. Mas depois, há diferença entre derrotados e derrotados. O Mourinho não admite derrotas de anos atrás ainda hoje. abs.

  4. Cassiano Gobbet

    Legal o video, Afonso, mas qual o ponto exatamente? Da água ter sido ligada? Os jogadores do Barça saem arrasados, mas não vi nenhum sinal de não saberem perder. E se alguém fizesse aquela comemoração do Mourinho no Bernabéu, seria executado.

  5. Cassiano Gobbet

    As canelas dos Barcelonistas também não viam nada, além de estrelas. O Pepe se transformou num daqueles jogadores odiosos, tipo Materazzi e Argel, que confundem violência com determinação. abs

  6. Cassiano Gobbet

    Que é uma equipe, é. Só de ter chegado a fevereiro ainda correndo nas três frentes mostra isso. Infelizmente, para o Real, o Barça é sobrenatural. abs

  7. Gregório

    Off Topic total, Cassiano, mas… Adoraria ver um comentário seu sobre a “quarta-feira negra” dos times brasileiros na Libertadores.

    Abraço

  8. Raphael

    Essa Mourinhite toda acaba por esconder os méritos do ótimo treinador que ele é.

  9. Leitura pertinente e a observação a respeito da ‘condição humana’ revelada pelo Real Madrid também é valida. Entretanto na estatistica dos 4 confrontos há um empate. Dois empates e uma vitória para cada lado. Sei que posso ser metralhado por todo o mundo mas estou na condição de fã do Mourinho, ciente de todos os defeitos que ele tem e que foram apontados aqui. Lucidamente, não ficarei debruçando sobre o que poderia ser. Ao meu ver não ter R. Carvalho suspenso e Khedira lesionado peças defensivas cruciais foi o fator preponderante para a derrota contra o Barça no Bernabeu. E só. O estrago foi feito por um time que soube ser superior. Abs

  10. Diogo Terra

    Ninguém sabe perder. Nem os moralistas que vivem reclamando disso. A diferença é a reação:

    – Argentinos e uruguaios: partem para a porrada (especialmente em Libertadores);
    – Brasileiros: inventam 1001 desculpas, como árbitro, gramado, bola, tamanho do campo, conspirações (especialmente em Copas do Mundo);
    – Italianos: inventam 1.000.000 de desculpas e mantêm hostilidade permanente aos “responsáveis”;
    – Ingleses: hostilizam o jogador pipoqueiro da vez (Beckham em 1998, Rooney em 2006).

  11. Afonso

    Cassiano, da série “Quem não sabe perder”, temos aqui um vídeo que mostra como os catalães se comportaram no próprio estádio ( Nou Camp ) depois de serem eliminados pelo time do MOURINHO na Champions League em 2010. Observe o acidente que acontece quando a água que irriga o gramado é ligada durante a comemoração dos jogadores da Inter: http://www.youtube.com/watch?v=u9zl0h32I1s&feature=related

  12. Boni dos Santos

    Sem duvida o Barcelona é superior pelo conjunto, mas analisando friamente os confrontos foram os detalhes que decidiram.

    O Real foi campeão da Copa do Rei, depois foram dois empates e a vitória do Barça no Bernabeu só veio com a expulsão de Pepe. Com ele em campo, a linha de frente catalã não viu a bola naquele jogo..

  13. Gilson

    Rápidos pitacos: 1) Mourinho precisa aprender que o erro – feliz ou infelizmente – faz parte de nossas vidas. Geralmente é com eles que nos aperfeiçoamos;

    2) Tenho dúvidas se o Real já é uma equipe. É verdade que não acompanhei pormenorizadamente a temporada merengue, apenas jogos esporádicos, mas, pelo elenco que a equipe possui, pelo fato dos titulares serem praticamente os mesmos da temporada passada etc. esperava mais. Mas pode perfeitamente ser uma impressão falsa pelo pouco campo de observação.

  14. Cassiano Gobbet

    Caro, não vou lutar contra a lógica e, claro, se um gol legal não foi marcado, favoreceu. O ponto (que eu classifiquei como paradoxal) é que o Barcelona era tão melhor que um gol anulado não bastaria para o Real reclamar. Tivessem sido confrontos parelhos, entre dois times jogando igual, um gol faria toda a diferença. Mas diante de tamanha superioridade dos catalães, não faria. Mourinho conseguiu passar pelo Barça com uma Inter nitidamente inferior, mas um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. abs

  15. Afonso

    Acho que reclamar de arbitragem sem apontar lances irregulares que interferem no resultado do jogo é mero chororô. Mas a não expulsão do Mascherano no jogo em Madrid em falta tão desclassificante quanto a do Pepe e a anulação de um gol legal do Real aos 2 minutos do 2o tempo, enquanto ainda estava 0x0, com certeza ajudaram o Barça a se classificar.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top