Andres Sanchez em dois anos

Um título da Série B, um título do Campeonato Paulista e um título da Copa do Brasil.

Este é o saldo dentro de campo da gestão de Andres Sanchez no Corinthians.

Foram mais de 60 jogadores contratados (há quem fale em até 100, contando divisões menores e outros imediatamente mandados a outros clubes), sendo a maioria esmagadora completamente abaixo da crítica.

O clube é hoje um curral de empresários que transitam por lá livremente estacionando zebus e vendendo as poucas revelações dignas de nota.

Pseudojornalistas ganham comissões e presentes do clube e se envolvem em negociações de empresários.

O Corinthians tem os ingressos mais caros do Brasil, que certamente hão de ter expulsado o corintiano fanático de anos à fio das arquibancadas.

O clube tem um CT detestado pelos atletas pela distância e conseguiu uma promessa de assalto aos cofres públicos por parte do governo federal para ganhar um estádio de graça.

Nas seis partidas decisivas que o clube teve em torneios minimamente importantes (duas decisões de Copa do Brasil contra Internacional e Sport, a partida com o Flamengo na Libertadores e os confrontos com os rebaixados Vitória e Goiás neste Brasileiro), o clube fracassou.

Mais próximo do que nunca da CBF, o Corinthians é clube preferencial de gestão de atletas de uma série de empresários.

E estaria se reaproximando de Kia Joorabchian (fato esse, diga-se, não comprovado), que é inegavelmente o responsável pelo caos que levou o Corinthians ao rebaixamento (lembrando que com o aval ininterrupto de Andres Sanchez)

Tudo isso com uma enxurrada de verbas propiciadas pelo marketing falastrão do clube – que talvez seja o único setor com verdadeiros avanços – mas cujo aporte não serviu para diminuição da dívida do clube, porque como se sabe, seguindo uma máxima de Eurico Miranda, “dívidas existem para não serem pagas”.

Ainda tem gente que celebra Andres Sanchez.

É o seu caso?

Lamento.

Anteriores

Rússia, sede da Copa e país que mais mata jornalistas

Próximo

Caos no Ajax

13 Comments

  1. Jean Santana

    Na lista dos 100 brasileiros que mais se destacaram em 2010 presente na revista ÉPOCA, eis o nome do presidente do Corinthians no contingente ligado ao esporte.

    Quem assina o texto com as qualidades do escolhido, surpresa, é o manda-chuva da CBF…

  2. Diogo Terra

    Nossa Michel, se na ESPN os caras pagam pau pro Sanchez, imagina nos globoesporte.com da vida…

  3. Cassiano Gobbet

    Certamente o SP recente do Juvenal é lamentável. A política de contratações “miradas” do clube é risível. O índice de acerto dos últimos anos deve ser em torno de 10% – ou menos. É preciso rever a fama de “olheiro” de Milton Cruz. abs

  4. Cassiano Gobbet

    Como eu disse, lamento. Até concordo que o torcedor comum, alienado e centrado nas conquistas de seu time, possa celebrar. Eu creio que não – da mesma maneira que achava que o “avanço” do Corinthians-MSI era nefasto. Contudo, cada um acha o que quer, não é?

  5. Curioso. Navegando no site da ESPN, encontrei um post que trata exatamente do mesmo assunto sob uma ótica totalmente diferente. Vale conferir: http://goo.gl/MDjSK

  6. Sim, no caso do Corinthians não vejo como discordar. Apenas incluí o São Paulo na história, uma vez que o Tricolor errou demais – pra mim, até mais do que o Timão – nas últimas duas temporadas.

    Abraços.

    Ps: Genial a expressão “palmarés somali” 🙂

  7. Cassiano Gobbet

    Não confirmo nem desminto os nomes que vc citou. Só digo que a lista é bem maior. abs

  8. Cassiano Gobbet

    Michel, isso não tem nada a ver com salto ou não. Se o SP tem uma postura arrogante – o que tem mesmo – explica-se porque uma gestão que venceu três brasileiros, uma Libertadores (e perdeu outra final) e um Mundial em cinco anos, tem motivos para cantar de galo (mesmo que isso seja burrice de gente sem visão). Isso acontece com todo clube vitorioso no mundo. Por muito, mas muitíssimo menos, Flamengo e Internacional cometeram o mesmo erro (com direito a derrotas bem mais patéticas). O ponto é o modo como o Corinthians segue decantado por sua administração apesar do ‘palmarés’ somali. abs

  9. Concordo com tudo. Mas o que dizer de um time – no caso o São Paulo – que não consegue ganhar desse Corinthians?
    Não estaria na hora do Tricolor descer do salto?

    Abraços.

  10. Raphael

    Não duvido mesmo do Kia em breve reaparecer, nem que seja “só” nos bastidores.

  11. Boni dos Santos

    “Pseudojornalistas ganham comissões”..
    Nesse balaio se encontram Bianconi, Ronaldo e talvez Neto. A dupla da Rede TV chegou ao cúmulo de dizer que Cristiano Ronaldo e Messi são farsas, o primeiro é “só gel” e o segundo “um perninha curta”, alem de afirmaarem que o Conca deveria estar na disputa pela bola de ouro.

  12. Diogo Terra

    Grande parte do que se diz neste texto pode ser adaptado a outros clubes brasileiros. E se o presidente do clube fala assim com tanta franqueza, Gilson, é porque tem banca com a mídia. Claro, ninguém quer ficar de mal com o braço-direito do imperador Ricardo I…

  13. Gilson

    Não pode passar sem uma nota o fato de que a dívida cresceu neste ano mesmo com a impressionante expansão dessa franquia que o clube criou para vender produtos. Isso segundo relato do próprio presidente do clube.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top