Corinthians, o melhor do mundo…II?

Não tive tempo de escrever sobre a decisão da Copa do Brasil na semana passada. Mas a assisti. Não houve jogo. O Corinthians comandou o show e humilhou o Internacional, que é chamado (e auto-intitulado) de “o melhor time do Brasil” há três ou quatro anos. Não haveria modo mais crasso de desnudar a essência deste time do Inter. É um bom elenco, sem dúvida. Tem dois ou três ótimos jogadores, como Nilmar e D’Alessandro. Mas é o time mais sobrevalorizado do país desde o São Paulo de Kaká, o “Real Madrid do Morumbi”.

Eu, sinceramente acho que o Inter será campeão brasileiro. Não, não é uma contradição. Não acho que o Inter seja “o melhor time do Brasil”, mas tenho certeza de que é um dos elencos capazes de lutar pela ponta. Além dissom tem dinheiro e está focado. Só precisa fazer algumas coisas que insiste em não fazer há anos, como tomara real consciência da qualidade de seus jogadores, aprender a jogar defensivamente também e se desfazer da quantidade industrial de reservas no grupo.

Exemplo: Guiñazu é um ótimo jogador para o futebol brasileiro. Na Itália, poderia atuar no Livorno ou no Parma. Na Espanha, no Deportivo. Na melhor das hipóteses, disputaria posição no Porto, em Portugal. Kléber é um lateral razoável, só que não consegue ser vendido nem com toda a boa vontade do mundo para um clube do exterior – nem esses nos quais Guiñazu jogaria. Taison, Walter, Tales Cunha, Andrezinho e Giuliano têm potencial, mas o clube deveria escolher um ou dois e apostar mesmo neles – juntos no elenco, jogando muito de vez em quando, nenhum deles vai vingar.

A negação colorada é um resquício da conquista do Mundial. O Inter venceu o Barcelona, mas assim como o São Paulo, que venceu o Liverpool, não era nem de longe o melhor time do mundo. Pior: era um bom time com um técnico risível (Abel Braga) que tinha ganho a Libertadores com um time montado por Muricy. O Inter tem tudo para abrir um ciclo de dominação, assim como fez o São Paulo, mas precisa descer do salto e colocar os pés na lama.

Muricy, aliás, seria o nome fundamental para o ciclo. Ele é respeitado, entraria no Beira-Rio com moral e poder e faria o time colorado parar de pensar que é o Real Madrid. A vitória do Corinthians foi sobre esse Internacional, um time que bom que se acha sensacional. Para azar de Mano Menezes, agora, também corintianos estão certos de que têm um time imbatível. A Copa do Brasil é corintiana com méritos, Não foi colorada por culpa única de sua autoconfiança doentia. A liderança no Campeonato Brasileiro não é acaso, mas só será colorada na 38a. rodada se a arrogância diminuir.

Anteriores

Corinthians…o melhor do mundo?

Próximo

Da sub-21 para a seleção principal

4 Comments

  1. Michel Costa

    Pela idade, talvez. Pelo que já li sobre o argentino, ele nunca havia brilhado tanto na carreira quanto hoje.
    Agora, cá entre nós, o Guinazu joga menos que o Poulsen, o C. Zanetti, o Muntari, o Ambrosini, o Fletcher, o Gago, o Lass Diarra, etc?
    Sinceramente, eu não acho.
    Abs
    Ps: Por favor não deixe de ler o meu comentário no post anterior.

  2. Cassiano Gobbet

    Michel, se o Guiñazu é tudo isso por que razão ninguém o contrata? Preconceito? 🙂 abs

  3. Michel Costa

    Ainda na linha do meu comentário anterior, acho o Guinazu muito bom. Hoje, diria que ele é melhor que o Gattuso, além de ser mais técnico. Portanto, para mim, seria titular em diversos clubes grandes da Europa.
    Entretando, tudo isso fica no campo do achismo. Sempre que há uma comparação entre times e jogadores dos dois continentes costumo pedir cuidado para que não se misture o glamour, os estádios, a organização e o poderio financeiro das equipes do Velho Continente com o que deveria ficar limitado apenas ao que aconteceria no gramado.

    Abraço.

  4. Gilson

    É a primeira vez que leio alguém escrever que o Abel Braga, que parece ser excelente pessoa, não é lá tudo isso como treinador. Aleluia!

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top