Nesta segunda-feira o meia alemão Bastian Schweinsteiger, foi re-integrado ao elenco principal do inglês Manchester United. Nada está suficientemente ruim, a ponto de que não possa piorar para o treinador português José Mourinho. Foi o técnico quem optou por afastar o meia alemão do elenco, desde que chegou ao clube.

A reabilitação do alemão é consequência de desfalques súbitos recentes. Nos últimos dias, Mou passou a lidar com lesionados e suspensos, num ciclo curto de 72 horas. Na última quarta-feira os red devils venceram o Manchester City pela Capital One Cup, partida em que o lateral/meia Antonio Valencia se lesionou ao fraturar um dos braços.

O equatoriano passou por uma cirurgia, tornando-se desfalque. No último sábado Valencia já foi substituído por Matteo Darmian, no problemático empate sem gols diante do Burnley, pela Premier League. Darmian formou uma linha defensiva nova, com Daley Blind, Marcos Rojo e Luke Shaw.

Mourinho já teria o desfalque de Eric Bailly e contou com um veto à presença de Chris Smalling. O treinador lusitano se viu sem seu miolo de zaga, e a situação mostra que seu interesse no zagueiro português campeão da EURO 2016 José Fonte (Southampton), não era exagero.

O citado confronto contra o Burnley terminou com o volante Ander Herrera expulso, e consequentemente suspenso. Uma vaga no setor de meio-campo se abriu e Schweinsteiger foi re-integrado. Ainda no fim de semana, a imprensa repercutiu a notícia de que o alemão estava autorizado a utilizar as dependências do clube, apenas para treinar.

Schweinsteiger não se via integrado nem mesmo a grupo sub-23 do United, embora ainda tenha contrato vigente (9 milhões de Euros) até 2018. Tão logo chegara em Manchester para a presente temporada, José Mourinho excluiu o meia tetracampeão mundial de 32 anos. A idade avançada e um baixo rendimento na temporada 2015/2016, foram sim motivos para tal.

O alemão chegou a Old Trafford como reforço, após contrato findado com o FC Bayern na metade de 2015, mas já em decrepitude de carreira. Seu rendimento havia sido ruim na última de suas 17 temporadas pelo Bayern. Na temporada 2014/2015 fez 28 jogos pelos bávaros e anotou cinco gols.

No United re-encontrou o treinador holandês Louis Van Gaal, com quem havia trabalhado no Bayern. O meio-campista cumpriu 31 partidas (18 pela Premier League, 13 como titular neste torneio), anotando apenas um gol, em toda a temporada 2015/2016.

Somado ao baixo rendimento, José Mourinho tinha a favor o argumento de que o elenco red devil estava “inchado”, além do maior investimento para a temporada, o meia Paul Pogba (105 milhões de Euros) ter características similares às de Schweinsteiger. Pogba seria e vem sendo titular absoluto.

Os recentes investimentos onerosos do United antes da chegada de Mourinho, tem menos de 30 anos (Mata/Depay/Martial) e estão recebendo oportunidades. Ao excluir Schweinsteiger, Mourinho não foi incoerente.

Oportunidades apenas na Premier League

O Guardian informou que Schweinsteiger não consta na lista de atletas que viajaram para a Turquia, onde o United enfrentará o Fenerbahçe quinta-feira pela Europa League. Suspenso na Premier League, o espanhol Ander Hererra pode ser escalado pela competição continental.

Schweinsteiger deve surgir como opção para a rodada de fim de semana da Premier League, quando deverá disputar posição com Michael Carrick, Morgan Schneiderlin e Marouane Fellaini. No treino desta segunda-feira Schweinsteiger foi saudado por Wayne Rooney e enaltecido diante da imprensa pelo lateral Luke Shaw.

A última partida de Schweinsteiger pelo United aconteceu em março. O alemão sequer participou da decisão da última FA Cup, em que os red devils foram campeões. Já se cogitava sua transferência para o futebol norte-americano ou árabe, e o próprio havia afirmado que o United era seu último clube na Europa.

Schweinsteiger não “salvará a pátria” em Old Trafford. Sua re-integração é mais uma forma de colocá-lo na vitrine para a janela de transferências de inverno, do que um ganho técnico.

Imagem de Schweinsteiger (ao centro) no treino desta segunda-feira: John Peters/ Getty Images