A Football Association britânica suspendeu o atacante hispano-brasileiro Diego Costa, por três partidas da Premier League. O motivo foi o lance ocorrido no confronto entre Chelsea 2×0 Arsenal, no último sábado pela liga inglesa. Costa provocou os zagueiros gunners Koscielny e Gabriel Paulista, em lance que culminou na expulsão do segundo.

Diego Costa simulou um tapa no rosto de Koscielny ao fim do primeiro tempo da vitória contra os gunners. Na sequência seguiu discutindo com os dois defensores do Arsenal. A expulsão de Gabriel Paulista foi creditada à sua própria inexperiência. A FA analisou imagens do prosseguimento da partida, onde Diego e Koscielny seguiram discutindo. O hispano-brasileiro não recebeu cartão vermelho.

A FA enquadrou Diego Costa enquanto propagador de conduta violenta, dando-lhe a suspensão de três jogos. O cartão vermelho recebido por Gabriel, foi anulado e se mantido suspenderia o ex-zagueiro do Vitória/BA e Villarreal, também por três partidas. O periódico espanhol El País, ressaltou que trata-se da segunda suspensão de Diego Costa, atuando pelo Chelsea desde a temporada 2014/2015.

Histórico.

Em partida contra o Liverpool ocorrida em janeiro deste ano e válida pela FA Cup, Costa pisoteou o meia alemão Emre Can. O atacante não chegou a ser expulso, mas a federação impôs-lhe posteriormente uma sanção de três partidas. A última temporada, primeira de Diego Costa na Inglaterra se encerrou com um total de oito cartões amarelos em 26 partidas, número elevado.

O histórico de Diego Costa faz constar um tipo de comportamento “encardido” de sua parte, incomodando os zagueiros que realizam marcação sobre si, também com provocações verbais. Isso desde os tempos de Atlético de Madrid. O técnico do inglês Everton, Roberto Fernandéz afirmou que alguns estrangeiros precisam entender “a ética e a cultura do futebol britânico”. Noutras palavras o chamado fair play.

O treinador espanhol dos toffees afirmou que o “comportamento do futebol britânico é único. A última coisa que se espera é a falta de respeito entre um jogador e outro”. Por outro lado, Diego Costa é ovacionado pelas torcidas dos clubes onde atua, justamente pelo jeito “encardido” de se portar dentro da área adversária.

Gary Neville ex-lateral do Manchester United se pronunciou via redes sociais oficiais afirmando que a atribuição da acusação de “conduta violenta” ao atacante, foi demasiado exagerada. Mais além, Neville afirmou que seria agradável ver Diego Costa atuando pelo próprio Manchester United. E disse ainda que a Inglaterra já criou tipos realmente “maldosos” do futebol.

O El País recordou uma expulsão de Diego Costa atuando pelo Atlético de Madrid, contra o Viktoria Pilsen em partida válida pela Europa League 2012/2013. O atacante deu uma cabeçada num atleta adversário, e pouco antes havia sido expulso num derby contra o Real Madrid, em que cuspiu no zagueiro blanco Sérgio Ramos.

O periódico recordou que o técnico Diego Simeone solicitou ao seu jogador “feitos” ao invés de “palavras”, quando Diego afirmou que aquilo “não se repetiria”. O atacante não mais foi expulso, desde o fim da sua trajetória no Vicente Calderón.

Voltando ao presente, o Chelsea venceu o modesto Walsall na quarta-feira, por 4×1 em partida válida pela Capital One Cup (Copa da Liga). Os blues retornam a campo já sem Diego Costa no sábado, visitando o Newcastle United pela Premier League.

Imagem de Diego Costa, Gabriel (de costas): Andy Rain – EFE