Milan: um alento no horizonte?

1438267574_156929_1438267960_noticia_normal

O torneio de pré-temporada International Champions Cup segue em disputa nos EUA, mas estão acontecendo partidas desta competição em outros locais do mundo. Além dos times que estão nos EUA foram disputados jogos no México e haverá o confronto entre Fiorentina e Barcelona em Florença (Itália), neste próximo fim de semana.

E houve ainda a “perna” asiática da ICC, já encerrada na China tendo elencado Manchester City, Internazionale, Milan e Real Madrid. Nesta quinta-feira o italiano Milan foi derrotado pelo espanhol Real Madrid em Xangai (China). Os blancos venceram nos penaltis uma partida que terminou em 0x0, e ficaram com o trofeu asiático da ICC.

Praticamente todas as equipes europeias envolvidas na ICC, ainda estão ganhando rítmo de jogo. A pausa para hidratação (water break) está sendo utilizada em todas as partidas, realizada por volta de 28 minutos de jogo, de primeiro e segundo tempos. As equipes estão sendo alteradas praticamente inteiras, do primeiro para o segundo tempo.

Para a torcida rossonera, houve a possibilidade de vislumbrar uma nova temporada bem menos pior do que as últimas três, apesar da derrota.

O Milan de Sinisa.

O Milan em especial fez um excelente primeiro tempo contra o Real Madrid, levando em consideração o desnível físico. O destaque rossonero foi o contestado M’Baye Niang, que levou perigo em pelo menos duas finalizações. A equipe italiana finalizou seis vezes na primeira etapa, contra duas finalizações certas dos merengues, que tiveram Cristiano Ronaldo, Modrić, Benzema e Gareth Bale na formação inicial.

O técnico Sinisa Mihajlovic escalou Niang aberto pelo lado esquerdo e o atacante se sobressaiu nas costas do brasileiro Danilo, recém contratado pelo Real Madrid. O Milan precisa adquirir uma saída de jogo veloz pelos lados do campo, e a impressão é a de que Mihajlovic o fará, se valendo do desenho tático em 4-2-3-1.

A escalação milanista da primeira etapa era a da equipe reserva, à exceção do volante Nigel De Jong, único a atuar 90 minutos. Convém lembrar que De Jong não tem peça de reposição a altura e sem sua presença, o meio-campo rossonero esfarela. Dentre os nomes obscuros estiveram presentes o jovem atacante espanhol Jesus Suso, o meia italiano Andrea Bertolacci recém adquirido junto à Roma e o zagueiro brasileiro Rodrigo Ely, revelado pelo Grêmio porto-alegrense.

Na segunda etapa vieram a campo os prováveis titulares Zapata, Méxes, Montolivo, Honda e as novas aquisições Luiz Adriano e Carlos Bacca. Adriano atua mais fixo à área e Bacca tem um estilo mais incisivo, tendo se postado pelo lado direito do ataque. Outro atleta interessante é o volante José Mauri de ascendência argentina, vindo do recém falido Parma. Mauri de apenas 19 anos, pode atuar como um externo esquerdo.

A formação ideal rossonera teria Diego Lopez, De Sciglio, Méxes, Zapata (Alex) e Antonelli. De Jong, Montolivo, Bacca, Honda e Menéz (Bonaventura). Luiz Adriano. Destaque da última temporada, o francês Jérémy Menéz foi apenas relacionado pois acaba de se recuperar de uma lesão física.

Na Itália, Mihajlovic é enaltecido por ostentar uma personalidade disciplinadora e rígida. Um problema que o comando de Pippo Inzaghi deixava transparecer na última temporada, era a preparação mental dos atletas que frequentemente esmoreciam diante de situações adversas.

Elenco ainda em formação e o dinheiro de mr. Bee.

O colombiano Bacca custou 30 milhões de Euros pagos ao Sevilla, sendo que inicialmente o Milan pretendia adquirir seu compatriota Jackson Martínez, que por sua vez acabou no Atlético de Madrid. Luiz Adriano custou 8 milhões de Euros pagos ao ucraniano Shakhtar Donestk, que a princípio queria negociá-lo com o futebol árabe.

Na Europa comenta-se que o nebuloso magnata tailandês Bee Teachaubol deva concretizar a compra de 48% das ações do Milan, nos próximos dias. Isso significa que Bee depositará pouco mais de 400 milhões de Euros nos cofres rossoneros. Silvio Berlusconi e Adriano Galliani pretendem utilizar 100 milhões para a contratação de mais reforços, até o fim da janela em 31 de agosto.

Segundo consta, os cartolas rossoneros querem um reforço para a defesa, um para o meio-campo e um para o ataque. A imprensa italiana comenta o interesse do clube em viabilizar um retorno de Zlatan Ibrahimović, mesmo o sueco já tendo afirmado que deverá cumprir seu vínculo com o francês PSG.

O meio-campista seria o belga Axel Witsel do russo Zenit St. Petesburg. Entre os defensores pretendidos está o jovem Alessio Romagnoli que pertence à Roma, e está sendo tomado como a grande promessa italiana dentre os zagueiros. A Roma pede 30 milhões de Euros por Romagnoli e o Milan estaria disposto a pagar 25 milhões.

Em relação ao elenco da última temporada, já deixaram Milanello o zagueiro Adil Rami (agora no Sevilla), os volantes ganeses Michael Essien e Sulley Muntari (que foi para o futebol árabe). Além dos atacantes Pazzini (repassado para o Hellas Verona) e El Sharaawy, emprestado para o Monaco. O meia holandês Marco Van Ginkel foi devolvido ao Chelsea e o atacante Mattia Destro, à Roma.

Imagem de Cristiano Ronaldo cercado por Rodrigo Ely (camisa 15) e Antonelli: X. Ya – EFE