No último sábado 30/01 líder e vice-líder da Premier League se enfrentaram pela vigésima terceira rodada. O Chelsea recebeu o Manchester City em Stamford Bridge, em partida que acabou empatada em 1×1. Com isso a pontuação e a colocação entre ambas as equipes seguiu mantida em cinco pontos de diferença, 53 para os blues e 48 para os citzens. Apesar do empate o Chelsea é favorito ao título.

Os gols saíram no primeiro tempo. O francês Remy, que chegou praticamente anônimo no elenco blue, abriu o placar por volta dos 41 min, após cruzamento de Hazard. Os citzens no entanto, empataram dois minutos depois num chute cruzado de Agüero, desviado por David Silva. O panorama foi de jogo fechado, num duelo tático acirrado, no qual José Mourinho jogou com o regulamento na mão. Manter as coisas como estavam em termos de tabela, já era o suficiente para o comandante blue.

A seu favor o Chelsea tem atletas de reposição que não deixam a qualidade técnica cair, na hora de suprir os titulares. Contra o City, os blues vieram sem o artilheiro Diego Costa e sem o lesionado Cesc Fàbregas. Costa foi suspenso pela Copa da Liga inglesa mas a punição vale para a Premier League. Cesc foi vetado pelo departamento médico.

Remy tem atuado como suplente de Costa e tem feito gols nas ocasiões em que tem entrado em campo. São dois gols em oito aparições pela liga inglesa. Sua presença é tão satisfatória ao ponto dos blues estarem negociando o tetra-campeão alemão Andre Schürrle, com o Wolfsburg. Fàbregas é insubstituível no quesito passes e distribuição de jogo. Foi porém substituído por Ramires, no sábado. O brasileiro parece estar em 100% das condições físicas. Não distribui o jogo como o espanhol, mas pode imprimir maior velocidade em jogadas de contra-ataque.

O Manchester City, atual campeão da Premier League, não terá um súbito crescimento de produção e tem mostrado o que pode. No aspecto físico e mental, a segunda quinzena de fevereiro passará a atribuir tanto para blues quanto para citzens, a jornada dupla entre Premier League e oitavas de final da Champions League. O conjunto blue parece mais sólido.

O City tem atletas diferenciados mas alguns pilares do elenco não estão 100% nesta temporada. O volante Yayá Touré está servindo a seleção da Costa do Marfim, na Copa das Nações Africanas. Fernandinho (Brasil) e o capitão Kompany (Bélgica) atuaram por suas respectivas seleções até estagios avançados do mata-mata no Mundial 2014, e tiveram período de férias menor.

Menos ainda tiveram Zabaleta (ausente contra o Chelsea), Demichelis e Agúero que atuaram até a final pela vice-campeã Argentina. São detalhes que refletem no condicionamento físico de todos citados até aqui. Só uma hecatombe tirará o favoritismo do Chelsea.

Foto: Ian Kington – AFP