Após duas rodadas empatando fora de casa contra Empoli (2×2) e Cesena (1×1), o Milan voltou a vencer pela sexta rodada da Série A italiana. O rossonero recebeu o Chievo Verona no San Siro (Milão) no último sábado e impôs um placar convincente de 2×0, apresentando uma postura minimamente regular. A sequencia sem vitórias englobou três rodadas, tendo se iniciado com a derrota por 1×0 para a Juventus, na terceira rodada.

O time montado por Pippo Inzaghi mostra um padrão. Contra o Chievo o Milan teve Abbiati, Abate, Rami, Alex e De Sciglio. De Jong, Muntari, Honda, Menéz e Bonaventura. Fernando Torres. A disposição é um 4-2-3-1. Aparentemente um “anônimo” Bonaventura que se destacou na última temporada pela Atalanta, ganhou a posição, aberto pelo lado esquerdo da linha dos três meias ofensivos.

Keisuke Honda e Jéremy Menéz podem se revezar pelo centro e pelo lado direito. Menéz em especial pode estar fixo à área como referência, enquanto Fernando Torres se movimenta puxando a marcação. O japonês Honda vem em grande momento, tendo anotado o segundo gol rossonero contra o Chievo, em magistral cobrança de falta.

Atletas asiáticos tem compleição física menos avantajada. O que faz de Honda superior a Shinji Kagawa, é a capacidade de atuar pelos lados do campo, “na zona morta”. Kagawa se habituou ainda na Alemanha, a jogar centralizado pelo Borussia Dortmund, onde fez parte do time bi-campeão alemão em 2010/2011 e 2011/2012. No Manchester United, Kagawa não foi feliz e quando se obrigava a atuar pelos lados do campo (geralmente o esquerdo), concorria com Nani e Ashley Young.

Coma chegada de Juan Mata, Kagawa definitivamente perdeu o pouco espaço que tinha em Old Trafford. Honda teria mais chances de se adaptar à Premier League do que Kagawa, que voltou para o Borussia nesta temporada. Honda chegou ao Milan no começo de 2014, ostentando a camisa 10, outrora pertencente a Rui Costa e Seedorf. O japonês veio do russo CSKA Moskow e se mostra plenamente adaptado ao futebol italiano.

Dadas as atuais condições de “time médio” do Milan, a campanha desenvolvida até aqui é boa, sendo que o rossonero até agora só perdeu para a Juventus, um time realmente superior a si. Com os resultados da sexta rodada em que a Juve, líder (18 pontos) bateu a vice-líder Roma (15 pontos) por 3×2, no domingo, o Milan se vê em quinto lugar com 11 pontos.

Foto de Keisuke Honda atuando contra o Chievo: fanpage oficial do Milan no Facebook.