O técnico do Barcelona, Luís Enrique assumiu a culpa pela derrota estrondosa, sofrida diante do Real Madrid (3×1) pela liga espanhola no último fim de semana. O periódico espanhol El País ressaltou palavras de Enrique na terça-feira. O treinador se disse “contente” com a autocrítica, tanto de si mesmo como aquela de seus jogadorese comissão técnica.

Em momento algum Enrique depreciou seu elenco e enfatizou que todos sem exceção, lutaram e buscaram reverter o resultado. Apontou também o número de escanteios obtidos pelo Barcelona, nove em toda a partida contra apenas três obtidos pelos blancos. Porém, Luís Enrique lamentou a incapacidade “culé” em recuperar e reter a posse de bola. Algo que o Barcelona conseguia fazer de forma eficaz, num passado não muito distante.

Na Espanha há uma preocupação razoável por parte de crítica e torcida, com o fato do Barcelona não ter vencido seus adversários mais duros até agora, PSG (pela Champions League) e o Real Madrid pela liga. O olho da imprensa se dirige ao problema das laterais. Luís Enrique afirmou que “virão momentos piores” e também, que prefere que seus atletas digam frontalmente, quando há um problema. A primeira expressão veio do zagueiro francês Mathieu, que vem sendo utilizado na lateral esquerda e declarou-se “surpreso” com o fato.

Contra os meregues Mathieu foi escalado pelo lado esquerdo da defesa com Enrique abdicando de Jordi Alba. A estratégia do técnico culé não foi equivocada, pois Daniel Alves aberto pela direita poderia explorar as costas do blanco Marcelo. Entretanto, o controle de jogo defensivo no meio-campo, foi drasticamente inferior ao visto no meio da semana passada. Na vitória contra o Ajax, Mascherano surpreendentemente voltou ao meio-campo na partida válida pela Champions League. Contra o Real Madrid, retornou para o miolo de zaga.

Ter Alves e Alba pelos lados custou a derrota para o PSG, na segunda rodada da fase de grupos da CL. Isso Luís Enrique mostrou ter percebido rapidamente. É preciso observar se o treinador voltará a promover o uso de Mascherano em sua posição de origem, ou seja na cabeça de área. Xavi e Iniesta já não possuem mais vigor físico para realizar a marcação. A escalação do primeiro contra os blancos, também parece ter se dado mais por currículo, do que por momento físico/técnico.

Na liga espanhola o Barcelona divide a liderança com o Sevilla (22 pontos cada). O Real Madrid “dormiu” líder de sábado para domingo, mas após fechamento da nona rodada, viu-se na terceira colocação.

O blaugrena retorna a campo nesta quarta-feira em derby catalão contra o Espanyol. A partida vale pela Supercopa da Catalunha.