Algo que temos ressaltado neste 90 Minutos também tem sido frisado de forma efusiva pela imprensa futebolistica espanhola. Anteriormente, mencionamos aqui de que forma o técnico Carlo Ancelotti compensaria futebolisticamente a saída do volante Xabi Alonso, liberado para o FC Bayern, no fim da última janela de transferências. O El País chamou a atenção para a “forma perigosa” como os blancos tem atuado.

No último fim de semana, o Real Madrid venceu o Villarreal no El Madrigal, por 2×0 pela liga espanhola. O time ainda não aparece nas 3 primeiras posições da tabela, liderada pelo Barcelona. O El País sublinhou a estatística de 19 finalizações reais de gol proporcionadas pelo Villarreal, apesar da derrota. Dentre vários dados estatísticos, o atual Real Madrid já é diferente do time vencedor de “lá décima”.

Uma diferença crucial é o atual número de bolas recuperadas, tido em 52 por jogo. Na última temporada o time recuperava 60 bolas por partida, lembrando que o desarme que era uma virturde de Alonso. Anteriormente a média de chutes a gol sofridos era de 10 por partida e agora a estatistica aumentou para 12 por jogo. O fato de haverem poucos atletas de marcação no plantel, já é enfatizado pela imprensa espanhola.

O risco calculado de Ancelotti.

Por outro lado, os blancos contabilizaram 18 gols anotados (e 4 sofridos) em 3 partidas anteriores ao confronto com o Villarreal. Gols estes proporcionados no 5×1 contra o Basel pela Champions League e, nas goleadas consecutivas de 8×2 sobre o La Coruña e 5×1 contra o Elche pela liga. A aplicação ofensiva proposta por Ancelotti, no entanto é enaltecida. Aquela proporcionada pelo meio-campo com Modrić/James/Kroos, alardeada no Brasil como “jogar sem volante”.

Curiosamente o Real Madrid da última temporada finalizava mais (19,5 vezes por jogo), porém com menos precisão (2,7 gols por partida). O time agora tem em média 3,3 gols por partida em média de 17,8 finalizações por jogo. O El País ressaltou o dito de Ancelotti na coletiva pós jogo do fim de semana: “Sabemos que estamos expostos a mais riscos, mas são riscos calculados”.

Na semana passada algumas fontes ventilaram um suposto interesse do clube blanco no futebol do volante Ramires, do Chelsea. O brasileiro, adquirido pelos blues na época em que Carletto trabalhava lá, poderia ser um alvo na próxima janela de transferências. No momento atual, é possivel fazer muitos gols nos adversários sofrendo poucos, consequentemente. Porém, o nivel dos adversários muda drásticamente, ao passo que os blancos avancem ao mata-mata da Champions League.

Fazer oito gols no La Coruña sofrendo dois é algo dentro do previsível. Porém, num mata-mata de CL é possivel vislumbrar um panorama hipotético. Por exemplo, empatar em 0x0 dentro do Bernabeu e defender um empate em 1×1 na partida de volta na casa do oponente. Entretanto, no mata-mata da CL esse oponente pode ser um Bayern, um Chelsea ou um PSG. Os blancos realmente devem adquirir um marcador de meio campo na janela de transferências de janeiro.

O Real Madrid visita o bulgaro Ludogorets nesta quarta-feira, em jogo válido pelo grupo B, referente a segunda rodada da fase de grupos da Champions League.