Findada a data FIFA de amistosos e jogos eliminatórios, as ligas nacionais europeias retornam neste fim de semana. A Série A italiana tem jogos neste sábado e domingo, com o Milan visitando o Parma no Ennio Tardini, na data dominical que complementa a segunda rodada do torneio. Pelo lado rossonero, todas as expectativas estão ao redor da possibilidade de estreia do atacante espanhol Fernando Torres.

Nos últimos dias a imprensa europeia repercutiu ditos do novo goleiro rossonero, Diego Lopez, também espanhol e ex-Real Madrid. Lopez afirmou que Torres será mais útil do que Mario Balotelli, que por sua vez foi negociado pelo Milan com o Liverpool. O site da BBC britânica repercutiu palavras do goleiro afirmando que Torres “é capaz de coisas incríveis”, que “el niño” “mostrará gols, velocidade e trabalho duro”.

Na últimas temporadas, Torres atuou pela Premier League britânica desde 2007, tendo jogado por Liverpool e Chelsea. Também segundo levantamento da BBC, entre 2007 e 2011 “el niño” fez 65 gols em 102 partidas da Premier League, pelo Liverpool, onde foi o principal homem de ataque em sua estada em Anfield Road.

No Chelsea foram 20 gols em 110 jogos da Premier League entre 2011 e 2014. Em Londres, Torres concorria com mais atacantes de alto nível no elenco, tendo por outro lado, vencido títulos que não vieram quando atuou pelo Liverpool (Champions League e Europe League).

“El niño” no Milan de Inzaghi.

Na primeira rodada da Série A o Milan de Pippo Inzaghi bateu a Lazio por 3×1 numa boa atuação. Pippo dispôs o time num 4-2-3-1 sem homem de área fíxo, com El Shaarawy e Ménez flutuando como referências. Shaarawy atua aberto pela esquerda na linha dos três meias ofensivos com Honda aberto pela direita. Longe de ser craque, Jéremy Ménez sem “grife” para permanecer no PSG, é um segundo atacante que pode atuar na área.

Quando o francês se tornava referência, Poli compunha a linha dos três meias, ou ao centro ou à direita, sobressalente a Honda. Ex-Roma, Menéz atuou tranquilamente sem necessitar de tempo de adaptação, anotou um dos três gols cobrando penalti, e será mais efetivo que Robinho ao longo da temporada.

Fernando Torres será o finalizador de ofício que o plantel do Milan tinha na figura de Balotelli. Torres não possui o vigor físico de Balotelli, mas é superior na parte técnica e bem mais apto ao estilo de jogo do Milan atual. O espanhol é psicologicamente mais confiável, tendo também trajetória mais expressiva atuando por seleções (campeão Mundial 2010 e EURO 2008 e 2012 pela Espanha).

Há alguma escassez de atacantes de área no futebol mundial, mas o camisa 9 já não é mais fundamental. Um bom elenco precisa ter um bom camisa 9, mas os times já não jogam mais em função dele (a não ser nas cabeças de Felipão e Fred). Por não ter a aptidão de atuar numa linha de três meias ofensivos, Torres perdeu espaço no Chelsea, ofuscado 1) pela volta de Drogba e 2) pelo grande início de Diego Costa.

Paralelamente a isso Hazard, Schürrle, Willian e até Oscar podem atuar dentro da area ou abertos pelos lados como segundo atacantes. No Milan porém, Torres não concorre com tantos atacantes de alto nível ao seu redor. O panorama neste caso, pode ser similar aos seus tempos de Liverpool e Atlético de Madrid. Uma dupla formada por “faraoni” El Shaarawy e “el niño” Torres, parece muito promissora.

Com Muntari e De Jong a frente da defesa, o sistema defensivo rossonero mostrou uma segurança que há muito não se via com a chegada de Alex, que formou dupla com Zapata. Não é uma linha defensiva world class, mas é preciso lembrar que nas últimas temporadas o Milan chegou a atuar com Bonera, Yépes e Antonini de lateral esquerdo. A chegada de Diego Lopez para o gol, tomando a titularidade de Abbiati, dispensa comparações.

Não fosse o fato de ter sido revelado pelo Atlético de Madrid e jurado jamais atuar pelo rival Real Madrid, Torres era o galáctico perfeito para a lacuna preenchida pelos blancos com Chicharito Hernandez. Parma e Milan jogam no domingo às 15:45 (hr de Brasília).