Na última quinta-feira o grande atrativo do feriado de Corpus Christi foi a partida entre Uruguai 2×1 Inglaterra, válida pelo grupo D do Mundial 2014. Não apenas pelo confronto em si, opondo duas seleções já vencedoras de copas (Uruguai 2 vezes, Inglaterra 1), mas pela forma como o espetáculo se desenhou. A celeste mostrou que padeceu de alguma tensão na estreia em que acabou atropelada pela Costa Rica, por 3×1.

A vitória dos costa-riquenhos sobre a Itália (1×0) no dia seguinte, mostrou que a seleção da América Central vive de fato um momento inédito em sua história. O Uruguai do técnico Oscar Tabárez não foi apenas a raça uruguaia.

A base atual da celeste é conduzida por Tabárez desde as divisões de base, onde a alguns anos atrás ele próprio era o técnico. A dois anos atrás a dupla Cavani/Suárez, formava o ataque da seleção olímpica do Uruguai, nos jogos de Londres. Luis Suárez não atuou na partida de estreia do atual Mundial, entrando em campo pela primeira vez, na última quinta.

A seleção uruguaia mostrou que sofre da “Suárez dependência”, até porque seu banco de reservas carece de maiores opções, quando seus principais atletas estão indisponíveis. Suárez entrou em campo contra os britânicos,que o conhecem muito bem. Roy Hodgeson o treinou no Liverpool e a base do atual English Team, trás pelo menos cinco atletas titulares dos reds.

Tão logo o último campeonato inglês acabou, Suárez se submeteu a um artroscopia, num dos joelhos. Foi a segunda vez que ele se submeteu ao procedimento. Na última quinta-feira, o atacante completava o vigésimo sétimo dia, pós operatório. Suárez mostrou grande movimentação em campo, em justaposição ao titã Edinson Cavani, o próximo grande atacante do futebol europeu a eclodir.

Tanto um quanto outro, podem se revezar na área, como “falsos centroavantes”. Suárez é leve e mais rápido e Cavani, fisicamente mais vigoroso. Cavani se movimenta sem bola, para atrair os marcadores, abrindo lacunas para Suárez preencher. Não bastasse a grande atuação, Luisito, fez os dois gols da vitória uruguaia.

Elegante alfinetada

Suárez ganhou os holofotes no último Mundial em 2010. Nas quartas de final, o atacante evitou um gol certo da seleção de Gana, obstruindo a trajetória da bola, com uma das mãos. O lance resultou em pênalti e na expulsão de Luisito. Os ganeses porém, desperdiçaram o tiro livre direto e o jogo empatado em 1×1 foi para os pênaltis, onde a celeste venceu. Sem Luisito suspenso, o Uruguai acabou eliminado nas semifinais e teve que se contentar com um quarto lugar. O time já sofria de uma “Suárez dependência”. Após aquela copa, o atacante foi negociado do holandês Ajax para o britânico Liverpool.

Em Anfield Road protagonizou um caso de ofensa racial num derby entre os reds e o Manchester United, por volta de 2011. Suárez teria proferido ofensas ao lateral dos red devils, o francês Patrice Evra. Na Inglaterra a questão ganha um caráter superdimensionado e Suárez foi alvo fácil das manchetes esportivas sensacionalistas, tornado um símbolo da malandragem e do anti-fair play. Luisito, teve que cumprir suspensão e no confronto contra o United válido pelo segundo turno daquela ocasião, não cumprimentou Evra antes do início da partida. A imprensa começou a descrevê-lo enquanto mais um jogador “superestimado”.

10297631_333534383438176_1984783793150454572_nGerrard e Suárez. (Foto: Clive Rose)

No começo da temporada que acabou, Luisito deu a entender que queria deixar o Liverpool, mas prosseguiu. Os reds perderam o título da liga inglesa vencida pelo Manchester City, na última rodada. Foi o Liverpool que passou a desenvolver uma “Suárez dependência”, sendo que Luisito acabou artilheiro da Premier League com 31 gols.

Na penúltima rodada, Luisito se abaixou após o fim da partida contra o Crystal Palace que acabou em 3×3, em jogo onde os reds começaram vencendo por 3×0 e que poderia selar a conquista. Luisito parecia chorar, resignado com a perda do título ali. Steven Gerrard, capitão dos reds e da seleção inglesa aparecia ajudando Luisito a se levantar e a se dirigir aos vestiários.

No dia seguinte à derrota dos ingleses ocorrida na última quinta, a fanpage oficial do Liverpool mostrava Luisito, oferecendo uma garrafa d’água ao exemplar capitão Gerrard, lamentando a derrota de seu time. Luisito elogiou Gerrard e deu apoio ao companheiro de clube. Luisito foi o “man of the match”, Luisito fez dois gols, Luisito sonhou com a vitória sobre a Inglaterra, como revelou emocionado aos repórteres. Luisito respondeu aos ingleses a altura, sem perder o fair play!