Preview da temporada: Internazionale

Reforços: Alvarez, Forlán e Zárate – os três atacantes.
Ausências: Samuel Eto’o, que carregou o time nas costas quando Sneijder não estava bem.
Técnico: Gian Piero Gasperini.
Destaque: Wesley Sneijder, indiscutível.
Aposta: Ricardo Alvarez, o “Ricky Nerazzurro”.
Ponto fraco: a equação esquema tático+elenco.
Luta pelo… titulo na Itália e com menos entusiasmo, na Europa.
Na temporada…a Internazionale iniciará pela primeira vez com um time quase sem nenhuma referência das deixadas por Mourinho. Javier “El Cid” Zanetti não tem mais o vigor dos bons anos de Calciopoli (bons para a Inter, claro), a defesa envelheceu, Eto’o foi embora, Milito sumiu e somente Sneijder e Cambiasso parecem ter a mesma armadura do ano da vitória europeia. A Inter terá de conviver com um aparente retorno à esquizofrenia gerencial. O elenco dado a Gasperini, excelente mas monotemático técnico, não é adaptado ao 3-4-3 que ele prefere. Sobram laterais, faltam atacantes de movimento  e principalmente, sacrifica o melhor jogador do time, o cracaço Sneijder, que no 3-4-3 fica fora da zona próxima à área, sua predileta. Na colheita de atacantes, a Inter também não buscou um parceiro para Pazzini, trazendo mais centroavantes (embora Zárate possa fazer bem esse papel). Forlán é parecidíssimo com Pazzini originalmente, mas tornou-se hábil na seleção uruguaia em mergulhar no meio-campo para buscar a bola (que diferença da seleção de MM, onde os craques viram toscos). A Inter é um dos três melhores elencos da Itália (com Milan e Napoli), mas ao contrário dos outros dois, favorece um 4-3-1-2 que Gasperini não usa há pelo menos sete anos. Se houver bom senso e paciência, a Inter é candidatíssima ao título. Contudo, esses dois itens, na história da Inter (exceto o período de Calciopoli, sem concorrência), são tão raros quanto um trevod e quatro folhas.

Anteriores

Equilibrado e medíocre

Próximo

Preview da temporada: Udinese

13 Comments

  1. Cassiano Gobbet

    Verdade que nenhum desses é craque, mas o Jonathan é pior, porque se acha craque. Maicon jogou temporadas fenomenais (mesmo, dignas de entrar para a história) com o Mourinho. Antes e depois foi um jogador comum. O mesmo vale para o Julio César. abs

  2. Cassiano Gobbet

    Nem há dois anos o elenco da Inter era bom para vencer a LC. Venceu num capolavoro do Mourinho. Hoje, esse time não tem nem como vencer o Italiano combalido. Se reverter a situação, gasperini virará lenda em Milão. abs

  3. Cassiano Gobbet

    Caro, o ponto ( na minha visão) é que, desses, só o Cambiasso e o Sneijder são os mesmos jogadores. Todos os outros tiveram um acréscimo no rendimento porque jogavam num time organizado.Não creio que nenhum dos outros citados voltará a jogar como sob o comando do Mourinho. abs

  4. Anônimo

    Se Antonini, Abate, Sorensen, De Ceglie jogaram em grandes clubes recentemente, não sei porque razão o Jonathan não jogaria..na época que o Maicon chegou falaram a mesma coisa..

  5. Anônimo

    Eu acho que a Inter tem um elenco de primeira classe que é capaz, sim, de vencer a liga dos campeões novamente, mas que no 3-4-3 (ou seja lá o que foi “aquilo” que eu vi contra o Milan no ninho de pássaro) não vai render o que se espera. Eu ficarei surpreso se Gasperini conseguir terminar essa temporada no comando da Inter.

  6. Vamos ver se Gasperini fará igual a última temporada no Genoa, quando se manteve fiel ao 3-4-3 mesmo com o elenco oferecendo melhores opções para outros esquemas. A saída de Eto’o vai significar uma grande ausência nos momentos decisivos, e até que trouxeram alguns bons jogadores e poderiam ter limpado mais o elenco.

    E o Jonathan hein? É o mesmo empresário do Doni?

  7. Kazuo Aoki

    Seleção de MM onde os craques viram toscos foi a melhor!!! hahha

  8. Anônimo

    a Inter vai começar toda errada mesmo. Um treinador com um material humano incompativel com seu sistema predileto. E o Cassiano lembrou bem, parece estar voltando aos tempos gerenciais do passado, trazendo uma estrela do futebol espanhol em decadência, que é o Forlán (lembra Zamorano..)

  9. Michel Carlos Magno Costa

    Concordo com o âmago da análise. No entanto, ainda vejo a presença da base campeã europeia no elenco. Júlio César, Maicon, Lúcio, Samuel, Cambiasso, Sneijder e Milito estão lá e muitos deles ainda tem chão pela frente. Mesmo assim, acredito que o período é de transição e não vejo em Gasperini com seu inconfundível 3-4-3 o nome ideal para promovê-la. Abs

  10. Michel Carlos Magno Costa

    Concordo com o âmago da análise. No entanto, ainda vejo a presença da base campeã europeia no elenco. Júlio César, Maicon, Lúcio, Samuel, Cambiasso, Sneijder e Milito estão lá e muitos deles ainda tem chão pela frente. Mesmo assim, acredito que o período é de transição e não vejo em Gasperini com seu inconfundível 3-4-3 o nome ideal para promovê-la. Abs

  11. Michel Carlos Magno Costa

    Concordo com o âmago da análise. No entanto, ainda vejo a presença da base campeã europeia no elenco. Júlio César, Maicon, Lúcio, Samuel, Cambiasso, Sneijder e Milito estão lá e muitos deles ainda tem chão pela frente. Mesmo assim, acredito que o período é de transição e não vejo em Gasperini com seu inconfundível 3-4-3 o nome ideal para promovê-la. Abs

  12. Michel Carlos Magno Costa

    Concordo com o âmago da análise. No entanto, ainda vejo a presença da base campeã europeia no elenco. Júlio César, Maicon, Lúcio, Samuel, Cambiasso, Sneijder e Milito estão lá e muitos deles ainda tem chão pela frente. Mesmo assim, acredito que o período é de transição e não vejo em Gasperini com seu inconfundível 3-4-3 o nome ideal para promovê-la. Abs

  13. A Inter realmente pode não se adaptar a esse esquema do Gasperini, ele poderia ter uma outra opção para alguns jogos pelo menos; acho que ainda faltou um zagueiro e mais um meia para o time, vamos ver se Ranocchia e Nagatomo darão conta do recado, se o Zarate confirma ser um bom jogador e o Forlán substitua pelo menos um pouco o Eto’o.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top