Rápidos comentários sobre a rodada da Série A

Além da escorregada da Udinese para fora da zona costumeira de qualificação da LC, nenhuma surpresa. Inter e MIlan fizeram o que se esperava, assim como Lazio, Roma e Napoli. Na vitória da Roma, talvez esteja um indiciativo de descendente da Udinese, algo que seria pertinente à forma física e mais do que aceitável diante do campeonato impressionante até aqui. E soam os alarmes para Parma e Sampdoria.

Em Florença, o Milan poderia ter vencido com folga não fosse a má jornada de Ibrahimovic. Visivelmente nervoso, ele trabalhou bastante, prendendo a marcação e correndo para fechar os zagueiros, mas errou uma quantidade inacreditável de passes (embora tenha propiciado o gol de Pato) e conclusões. Seedorf e Thiago Silva estão em grande forma; sim, houve pênalti em Comotto, mas a não-marcação não foi um absurdo (e se o árbitro Nicoletti estivesse a fim de favorecer o Milan, não expulsaria o sueco, que não foi absolutamente acintoso em seu desabafo). De qualquer maneira, o final “em ritmo de infarte” (aspas da Gazzetta) do Milan, deixa claro que o torcedor rossonero não tem nenhuma razão para festejar ainda.

Em Milão, sem sustos, a Inter bateu um Chievo acuado sem um grande futebol e sem organização tática. Arrigo Sacchi, na sua coluna da Gazzetta Dello Sport, lembrou como Leonardo desmontou o time e dividiu os setores, embora tenha lembrado que é preciso dar tempo ao técnico.

Capítulo Napoli: sem Cavani, o Napoli é outro time: perde incisividade, passe e movimento. Hamsik, Lavezzi são bons jogadores, mas não dão ao Napoli a inventividade necessária para conduzir o time a um “scudetto” – mesmo que esse ainda seja possível. Vitória de autoridade da Lazio e em Udine, a Roma fez com que a Udinese desse a sensação de que virou o fio, fisicamente falando. O jogo de domingo em Napoli será definitivo para o time do Friuli demonstrar quais suas ambições. Jogando o que pode, o Napoli corre sérios riscos.

Pausa para Sampdoria e Parma: os lígures perderam 11 de suas últimas 16 partidas. Por mais que significassem Pazzini (e Cassano afastado) o time não teria como ter essa queda abissal sem outros fatores, especialmente tendo um elenco cheio de bons jogadores (Poli, Ziegler, Dessena, Palombo, Tissone, Gastaldello). Enfrentar um Milan com a faca entre os dentes no sábado certamente não ajuda. O Parma (10 pontos nos últimos 36 disputados) indo a Milão pegar a Inter também não dormirá bem até lá, mas conta com um time mais modesto. Exceção feita ao praticamente rebaixado Bari, as outras duas vagas no inferno estão abertas. Que se cuidem emilianos e genoveses.

Anteriores

Mais um inglês não é mais inglês

Próximo

A força do profissionalismo corintiano

8 Comments

  1. Fabio

    Por falar em “o Inter”, alguém pode me explicar por qual motivo os veículos “globais” insistem em repetir “o Inter”, “o Juventus”, “o Roma” e outros “os” onde seriam “as”?!?

  2. Fabio

    Por falar em “o Inter”, alguém pode me explicar por qual motivo os veículos “globais” insistam em repetir “o Inter”, “o Juventus”, “o Roma” e outros “os” onde seriam “as”?!?

  3. Cassiano Gobbet

    Poder, pode, mas o Leonardo terá de contradizer a sua curta história, refazendo a defesa e incutindo uma mentalidade de pegada no meio-campo e diminuindo o espaço entre os marcadores e defensores. Ou seja: é bastante difícil, mas não impossível porque há dois ou três jogadores que podem carregar o time nas costas numa grande fase. abs

  4. Yuna

    Você acha que o Inter ainda pode ganhar titulos essa temporada? E você acha que Leo permanece mesmo com o final da temporada sem titulos?

    Otimo blog!

    bjs

  5. Boni dos Santos

    Eu não costumo falhar pra identificar bons jogadores nos times pequenos, eu falei que algum grande ia pegar Floccari no Atalanta e acertei, esse ano tem me chamado a atenção três jogadores; Cossu do Cagliari, Giacherini do Cesena e Gillet do Bari. Aposta R$ 500 reais que eles permanecerão na Serie A por algum outro time.

  6. Boni dos Santos

    O melhorzinho da Sampdoria é Guberti, esses que foram citados não jogam nada, nem Palombo, que por sinal perdeu vaga pra Barone nos 23 que foram pra Alemanha 2006..

  7. Raphael

    O time da Sampdoria é um bando em campo, extremamente desorganizado, desmotivado, pra mim joga um futebol tão ruim quanto o do Bari. O que mais me impressiona é a péssima forma do Palombo, que não lembra em nada o jogador de temporadas anteriores. Com Cesena, Lecce e Brescia demonstrando muita vontade pra escapar, acredito que a Samp vá jogar a Série B na próxima temporada.

  8. Gilson

    Impressiona a reduzida quantidade de gols que a Samp vem marcando neste ano. A equipe caminha celeremente para a Serie B.

    E acredito que, embora a Udinese seja efetivamente uma boa equipe, nenhum dos ponteiros perde ponto na próxima rodada. O Napoli até corre risco, mas creio que acaba vencendo.

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top