Primo pobre do Manchester quer casa com dinheiro próprio

Enquanto a maioria dos clubes pelo mundo quer um estádio de graça pago pelo governo, o FC United, clube originado por parte da torcida do Manchester United revoltada com a compra do clube pelo acionista americano Malcolm Glazer em 2004, dá uma lição. O clube da sétima divisão quer fazer um estádio próprio para 5 mil pessoas em Newton Heath, área degradada da cidade onde o poderoso Manchester United surgiu no século XIX. Dinheiro público? Só o do terreno doado pela prefeitura. O resto virá de um fundo comunitário sustentado por torcedores e simpatizantes. O estádio será construído com uma cláusula legal eterna impedindo do mesmo ser vendido por uma futura direção do clube. Tudo isso de olho no bolso: o FC United não gasta mais que 20% do orçamento com salários e reduziu o preço dos ingressos por causa da crise. O FC United quer mostrar que um futebol diferente do megaendividado modelo da Premier League é possível.

PS: Esta nota foi publicada no diário Lance! no dia 23/09.

5 respostas para “Primo pobre do Manchester quer casa com dinheiro próprio”

  1. Nao se trata do modelo econômico, Michel. É a relação que as pessoas devem ter com o futebol. O que o United propõe é um clube perto das pessoas. Isso é possível, sim, na minha opinião. abs

  2. “O FC United quer mostrar que um futebol diferente do megaendividado modelo da Premier League é possível.”
    É possível sim… na sétima divisão!!!

  3. Quando o Fair Play financeiro entrar em vigor, eles tendem a crescer mais rápido nos escalões do futebol inglês…

Os comentários estão desativados.