A derrocada de Amauri

Não resta dúvidas que a temporada falimentar da Juventus ajudou o brasileiro Amauri a se enterrar. Amauri, cujo custo foi de €23 milhões, está sem mercado e as chances de sua convocação na seleção italiana desapareceram. Mas as causas vão bem além do campo.

A derrocada de Amauri começou quando ele cometeu um erro primário na Itália – o de achar que podia se virar sozinho. Amauri, que era agenciado pelo empresário Vittorio Grimaldi, responsável por sua ascensão do Napoli à Juve, via Chievo, Piacenza e Palermo, decidiu que cuidaria de suas coisas sozinho. E se deu mal. Os contatos de Grimaldi asseguraram sua contratação e suas esperanças de seleção – claro, a um custo fiduciário alto. Amaurio não quis pagar e deu mal.
Marcello Lippi é cercado de rumores por convocações movidas por contatos alheios. A acusação estava bem no meio do caso de ‘Calciopoli’, quando seu filho, Davide Lippi, era sócio do filho de Luciano Moggi na GEA. O “boato” era o seguinte: para ser convocado na Itália, tinha de ser agenciado por Lippi filho. Para jogar na Juve, pela GEA. E para atuar na Itália, era preciso da bênção de Moggi.

Amauri incorreu num erro que, de outras maneiras, também foi o erro de Luiz Felipe Scoalri no Chelsea. Felipão e seu staff acharam que poderiam passar sem um tradutor. Além disso, Scolari foi pessimamente assessorado no trato com a imprensa inglesa. Aqui, nenhuma crítica à sua assessoria de imprensa para o Brasil, feita por Acaz Felleger. Felleger sempre deu conta do recado com Scolari, mas não é páreo para os tabloides – e no Brasil, ninguém é. Scolari poderia ter durado mais se tivesse aconselhamento de publicistas ultraprofissionais como Max Clifford ou o SFX Sports Group, hoje da Wasserman Media.

A “aculturação” poderia ter dado a Scolari indicativos de porque não deveria fazer isto ou aquilo, tanto no trato com atletas como no manuseio da imprensa. Hoje, o futebol é entretenimento e vai muito além da assessoria de imprensa em mercados maduros. Não, o Brasil não o é.

Feita a digressão, o problema de Amauri é técnico, sim, mas também é político. Na Itália, não se existe sem empresário, a menos que se seja um ícone como Kaká ou Totti. Ele é um atacante ideal para um grande time, mas dificilmente para a Juve – problema que tembém enfrenta Diego. Creio que ele deve aportar num outro clube em julho.

Anteriores

Comentando a seleção: David Villa

Próximo

Show, Barça, Inter e o que o jogo permite.

5 Comments

  1. Júnior

    Entendi, obrigado pela resposta. Porém, imaginei que fosse questão política, não só tática. Acho que o grupo da Juventus foi mal montado este ano, com muitos volantes e centroavantes. Mas o Diego ainda pode render em um meio em losango, confio em seu potencial. E o Chiellini merece um parceiro à sua altura.
    Abraços.

  2. Cassiano Gobbet

    A análise feita pelo próprio Moggi foi acertada. O Diego não é um mau jogador, mas faz com que a Juve tenha que jogar com um ‘trequartista’ (o “1” do 4-3-1-2), esquema que não é natural a ela por conta do elenco (que tem vários externos de meio-campo). O Amauri, em tese, joga melhor com um segundo atacante ao seu lado, assim como Trezeguet e Iaquinta. Sobra o Del Piero, que passou de sua melhor fase Na Inter, por exemplo, uma dupla Amauri-Pandev seria genial. Diego poderia fazer o vice-Sneijder. Sim, acho ele bom, mas o Sneijder é muito mais completo. abs

  3. Júnior

    Interessante sua análise. Porém, alguém que não conhece os meandros do futebol italiano, como eu, não entende o motivo de o Amauri (e o Diego, que considero bom jogador) poder se acertar em outro time grande da Itália (Milan e Inter, por exemplo) e não acontecer o mesmo na Juve. Qual é a diferença? É só a questão dos Moggis e da GEA? Em que a Juventus difere das outras equipes?

  4. Raphael

    quem irá se habilitar a comprar o Amauri, pq a Juventus não vai querer vender por pouco, creio eu, caso for de fato vende-lo?

  5. Recorte interessante a respeito do que Felipão passou na Inglaterra, detalhes que nós de fora dos bastidores da imprensa dificilmente perceberiamos. Se o Milan (que segundo consta ja teve interesse em Amauri) não vai gastar, poderia a Inter pagar por Amauri?

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top