O Milan que foi a Tóquio não é um time completo. Faltam atacantes (pelo menos dois), externos de defesa e meio-campo (todos, exceto Jankulovski que ainda volta de contusão), goleiros (Dida é claramente uma temeridade para um time que é uma potência global) e – como detalhe, é verdade – uma média de idade um pouco menos. Mesmo assim, pode ser imbatível.

Ler mais