Posição final: 7ºlugar.
Em agosto estará na…Série A, sem copas europeias.
Técnico: Luigi Delneri (substituído por Antonio Conte)Herói caído...Fabio Quagliarella.
Destaque: Fabio Quagliarella (atacante, 9 gols em 17 jogos).
Calcanhar de Aquiles: empatite – foram 13 os empates; seis deles, dentro de casa.
Na temporada…, não houve praticamente nada que funcionasse. A melhor contratação (Quagliarella) se machucou antes do primeiro turno acabar; o jogador que recusou a Juve (Di Natale), foi artilheiro do torneio pela segunda vez; nomes fundamentais como Aquilani, Chiellini e Buffon não jogaram ou jogaram mal; contratações caras como Bonucci não renderam e o treinador Delneri deu adeus às suas chances de voltar a uma grande equipe algum dia. Tudo na Juventus deu errado e na maior parte dos casos a questão foi de gerenciamento humano. Há um núcleo “duro” de poder no clube que minou o pouco que Delneri poderia dar. Felipe Melo fracassou retumbantemente em mais um a temporada, mais pelo seu comportamento do que pelo seu futebol (que não é genial, mas que serviria bem para tampar o buraco da defesa juventina). Além disso, o departamento médico da Juve foi um fiasco, com lesões em praticamente todos os jogadores e com uma média de nove indisponíveis a cada rodada. Com Quagliarella e Buffon em 30 das 38 rodadas, por exemplo, a história seria outra, inclusive na ambientação de Bonucci e Aquilani, por exemplo. Não houve o que salvar para 2011. Para 2012, Conte precisa recuperar e levar ao máximo do rendimento os “flopados” Chiellini, Bonucci e talvez Sissoko para garantir a ambientação dos novos. A prova dos nove será saber se ele vai conquistar o clube como fez Allegri no Milan ou se vai tentar dar murro na mesa como fizeram Leonardo e Ferrara. Desta temporada, a Juve não leva nada – nem uma vaguinha ca Europa League.