Resumo 2009/10 – Itália

Num campeonato que virou um eterno e modorrento passeio, a Internazionale ganhou mais uma vez com seu time que, sem italianos, tornou-se dono da Europa. Milan e Roma esboçaram uma resistência que foi ignorada, enquanto a Juventus afundou na sua pior temporada em quase 50 anos, em grande parte graças aos maus desempenhos de Diego e Felipe Melo.

O craque: SNEIJDER (Inter)
Sem dúvida, o cara que deu à Inter um toque de classe. José Mourinho sabia que seu time era forte, mas não tinha a fagulha do craque. Sneijder entregou isso a ele. Ativo na marcação, foi o jogador capaz de buscar a bola mais atrás e iniciar a jogada e também dar o último passe. Por maior que tenha sido o futebol de Robben, a venda de Sneijder foi a burrada do ano do Real Madrid. A Inter agradece.

O melhor italiano: DI NATALE (Udinese)
Em sua sexta temporada na Udinese, Di Natale desbancou jogadores mais renomados para fazer sua melhor temporada. De externo de meio-campo foi definitivamente convertido em atacante e desandou a fazer gols, que infelizmente não replicou na Copa do Mundo. Com 32 anos, é um exemplo de como a Itália terá trabalho para se renovar, pois dificilmente terá papel fundamental na seleção.

A promessa: BONUCCI (Bari)
O zagueiro foi a revelação mais grata da Itália na temporada. Com 1m90, tem bastante agilidade para seu tamanho e uma noção de posicionamento digna da melhor escola de zagueiros italianos. Indo para a Juventus, deve jogar com Chiellini numa dupla que será replicada na seleção.

Melhor Brasileiro: MAICON (Inter)
Com Mourinho, Maicon deixou de ser um bom jogador para virar um astro. A jogada pela direita da Inter foi o ponto forte do time graças ao pulmão e força do lateral brasileiro. Vários brasileiros estão em alta na Itália como Pato e Thiago Silva (Milan), mas Maicon está no degrau mais alto.

Destaque: SAMPDORIA
Com um elenco quase só italiano (quatro estrangeiros) e um orçamento contido, conseguiu uma vaga na Liga dos Campeões e não perdeu para a Internazionale nos dois confrontos. Isso tudo com um futebol atraente e incisivo.

Decepção: JUVENTUS
A “Velha Senhora” gastou no mesmo patamar da Inter para a temporada, mas terminou o campeonato numa melancólica sétima posição. Diego e Felipe Melo foram fracassos épicos e o segundo ficou sem clima para continuar no clube. O ‘flop’ causou uma revolução que passou por técnico, diretoria e comissão técnica.

Campeão: Internazionale
Copa da Itália: Internazionale
Artilheiro: Di Natale (Udinese, 29 gols)

PS: esta nota foi publicada no Diário Lance! em 20/07.

Cassiano Gobbet
Cassiano Gobbet é jornalista, formado pela Universidade de São Paulo e mestre em jornalismo digital pela Bournemouth University.

2 Comments

  1. perfeita análise, no mais diria que a Fiorentina também decepcionou, porque tem um bom elenco, ótimo treinador e vinha realizando boas campanhas, e acabou num 11º, e que o Bari e Parma fizeram ótimas campanhas no retorno a Série A, o Parma no 1o turno chegou a ficar entre os 4 primeiros.

  2. Enquanto teve Pato e Nesta, o Milan, mesmo perdendo os clássicos, tinha push para brigar pelo título. Com o elenco limitado que tem, é uma benção a vaga na UCL.

    Essa temporada o filme parece se repetir. Se a Inter quiser, vai ganhar tudo de novo na Bota.

    E pensar que o Milan tinha prioridade sobre a compra no saldão do Real Madrid…

Comments are closed.

Top