Analisando um evento celestial

Assim que o jogo acabou, fiquei pensando no que dizer e sentei no computador pronto para fazer uma ode de amor ao esporte. Mas refreei meu impulso. Exercitei a paciência para deixar este texto sair alguns dias depois, tentando diminuir o impacto de uma das maiores exibições de um time de futebol na história na minha percepção. E, claro, tentando escapar do lugar-comum que foi elogiar AQUELE jogo nas 24 horas subsequentes. Continue lendo “Analisando um evento celestial”

Mística

Clubes têm místicas. Normalmente ligadas a um sentimento. Os gaúchos são comumente ligados à fibra de times passados e da resistência para não entregar os pontos. O Corinthians, pela ajuda mítica de sua torcida – assim como o Flamengo. O Santos sempre se remete à história de Pelé. Hoje em dia, contudo, esta mística é tudo o que resta para alguns clubes ignorarem as gestões sofríveis que têm. Ou como chamava Nelson Rodrigues, Sobrenatural de Almeida. Continue lendo “Mística”

Mergulho no fel

A semana passada começou até com um certo otimismo para Juventus e Inter. A primeira tinha perdido para o Arsenal por 2 a 0, mas em se tratando da Juventus, tudo é possível; a Inter então, tinha até um resultado favorável embaixo do braço quano viajou para Villarreal, que convenhamos, está longe de ser um time de dar medo. Mesmo assim, a semana se encerrou para os dois times encerrados numa profunda e cava depressão, como diria Nelson Rodrigues. Continue lendo “Mergulho no fel”

Nem todos na mesma batida

Turbo Inter e Juventus, mais Roma. Milan nos boxes aguardando. A primeira rodada do Italiano começou surpreendendo, mais com a ajuda do clima do que necessariamente de uma mostra de futebol similar entre todos os times.De qualquer maneira, a Inter, ainda que diante de um adversário seguramente frágil, fez sua parte e deu mostras de que tem um time, teoricamente, em condições de acabar com a fila. Continue lendo “Nem todos na mesma batida”